Desde 2001 que polícias negros alertam para racismo de agentes do Capitólio

Jim Lo Scalzo / EPA

Com a invasão do Capitólio, investiga-se o alegado racismo existente na Polícia do Capitólio. Desde 2001 que agentes negros denunciam casos de discriminação racial no departamento.

Desde 2001, centenas de agentes policiais negros processaram o departamento por discriminação racial. Muitos alegam que colegas caucasianos tratam-nos por nomes pejorativos, como nigga. Caso um agente branco tivesse uma boa relação com um agente negro também era alvo de calúnias.

“Há um problema de racismo neste país, em praticamente todos os estabelecimentos que existem”, disse Kim Dine, antigo chefe da Polícia do Capitólio que deixou a agência em 2016, em declarações à ProPublica.

A invasão de apoiantes de Donald Trump ao Capitólio está sob investigação, havendo suspeitas de que alguns agentes podem ter sido cúmplices ao permitir que os manifestantes entrassem no centro legislativo dos EUA. Enquanto muitos agentes foram filmados a lutar contra os desordeiros, pelo menos 12 outros estão sob investigação por possivelmente ajudá-los.

À BuzzFeed News, dois agentes negros da Polícia do Capitólio confessaram estar enfurecidos com as atuais falhas de liderança. Numa cidade em que 46% das pessoas são negras, apenas 29% dos agentes da Polícia do Capitólio são negros. Em comparação, 52% dos agentes da Polícia Metropolitana de Washington são de cor negra.

Sharon Blackmon-Malloy, uma ex-polícia do Capitólio que foi a principal responsável do processo de discriminação de 2001 movido contra o departamento, disse que não ficou surpreendida que manifestantes pró-Trump tivessem invadido o Capitólio. O caso de 2001, que começou com 250 queixosos, continua pendente.

“Nunca nada foi realmente resolvido. O Congresso ignorou o racismo em na Colina do Capitólio”, disse Blackmon-Malloy à ProPublica. “O 6 de janeiro aconteceu porque ninguém nos levou a sério”.

O aposentado Tenente Frank Adams processou o departamento em 2001 e 2012 por discriminação racial, admitindo ter sido vítima e ter testemunhado racismo e sexismo.

Adams também conta que uma vez encontrou um cartoon na sua mesa de um homem negro a ser saudado por um membro do Ku Klux Klan no céu. Reclamou aos seus superiores, mas diz que desde aí lhe foram negadas oportunidades de promoção e sofreu outras formas de retaliação.

“Eles só se envolvem na fiscalização quando está no ciclo de notícias”, disse Adams. “Eles ignoraram o racismo que está a acontecer no departamento. Eles ignoraram o ódio”.

Daniel Costa, ZAP //

PARTILHAR

RESPONDER

Bebés voltam a poder ser registados no hospital

No início da pandemia, o serviço "Nascer Cidadão" foi encerrado, Agora, mais de um ano depois, já é possível voltar a registar os bebés nos hospitais onde nascem. Os balcões "Nascer Cidadão" foram instalados há mais …

Fauci revela que uso de máscara está a ser revisto nos EUA para pessoas vacinadas

Anthony Fauci, conselheiro de saúde da Casa Branca, disse que os Estados Unidos estão a estudar a possibilidade de levantar a obrigatoriedade do uso de máscara para pessoas vacinadas contra a covid-19. Este domingo, Anthony Fauci …

Tratamentos de radioterapia em risco no IPO de Lisboa

Tratamentos de radioterapia no Instituto Português de Oncologia (IPO) de Lisboa estão em risco devido à falta de profissionais. O IPO de Lisboa conta com sete aceleradores lineares, aparelhos sofisticados que obrigam à presença física de …

Presidente de associação solidária acusado de violar e escravizar mulheres em situações precárias

O presidente da associação "Paz no Coração" está a ser acusado por 60 crimes sexuais. Atualmente, encontra-se em prisão preventiva. Alfredo Marques Carvalho, líder da associação, acolhia vítimas de violência doméstica, atiradas para a rua com …

Sócrates sai em defesa de Vieira. Em Portugal, "prende-se primeiro e pergunta-se depois"

Em Portugal, "prende-se primeiro e pergunta-se depois", considera o antigo primeiro-ministro José Sócrates, num artigo de opinião publicado esta segunda-feira no qual reage às detenções de Luís Filipe Vieira e Joe Berardo. "Tudo igual, tudo igual, …

Thomas Daley: o ouro para quem sofreu muito

Bullying na escola, morte do pai, homossexualidade, incapaz de caminhar. Thomas Daley venceu uma prova de saltos para a água, em Tóquio, ao lado do também britânico Matty Lee. Surpresa nos saltos para a água, nos …

Depois de uma época dourada, Portugal cai sete lugares no ranking da inovação

A economia nacional caiu sete posições, naquela que é a primeira inversão na trajetória ascendente desde 2014. Apesar do recuo, Portugal melhorou em 18 dos 32 indicadores. A notícia, avançada esta segunda-feira pelo jornal Público, dá …

Mortes de crianças com covid-19 disparam na Indonésia. No Reino Unido aumentam casos graves entre jovens

Médicos britânicos alertaram para o aumento do número de crianças e jovens infetados com covid-19 a dar entrada nos hospitais, apelando à vacinação para não "sofrerem desnecessariamente" com a evolução da doença. "Os doentes estão a …

Empresa portuguesa arrisca multa por enviar ilegalmente resíduos de plástico para a Roménia

Uma empresa portuguesa foi apanhada a enviar resíduos de plástico para a Roménia sem cumprir os requisitos necessários para o fazer. Segundo noticia o Público, a Inspeção-Geral da Agricultura, do Mar, do Ambiente e do Ordenamento …

Marcos Freitas e Fu Yu brilham no ténis de mesa, Yolanda Sequeira avança no surf

Do ténis de mesa ao surf, a armada portuguesa em Tóquio tem estado em destaque. Marcos Freitas, Fu Yu e Yolanda Sequeira progrediram nas suas respetivas competições. O português Marcos Freitas apurou-se hoje para os oitavos …