Desde 2001 que polícias negros alertam para racismo de agentes do Capitólio

Jim Lo Scalzo / EPA

Com a invasão do Capitólio, investiga-se o alegado racismo existente na Polícia do Capitólio. Desde 2001 que agentes negros denunciam casos de discriminação racial no departamento.

Desde 2001, centenas de agentes policiais negros processaram o departamento por discriminação racial. Muitos alegam que colegas caucasianos tratam-nos por nomes pejorativos, como nigga. Caso um agente branco tivesse uma boa relação com um agente negro também era alvo de calúnias.

“Há um problema de racismo neste país, em praticamente todos os estabelecimentos que existem”, disse Kim Dine, antigo chefe da Polícia do Capitólio que deixou a agência em 2016, em declarações à ProPublica.

A invasão de apoiantes de Donald Trump ao Capitólio está sob investigação, havendo suspeitas de que alguns agentes podem ter sido cúmplices ao permitir que os manifestantes entrassem no centro legislativo dos EUA. Enquanto muitos agentes foram filmados a lutar contra os desordeiros, pelo menos 12 outros estão sob investigação por possivelmente ajudá-los.

À BuzzFeed News, dois agentes negros da Polícia do Capitólio confessaram estar enfurecidos com as atuais falhas de liderança. Numa cidade em que 46% das pessoas são negras, apenas 29% dos agentes da Polícia do Capitólio são negros. Em comparação, 52% dos agentes da Polícia Metropolitana de Washington são de cor negra.

Sharon Blackmon-Malloy, uma ex-polícia do Capitólio que foi a principal responsável do processo de discriminação de 2001 movido contra o departamento, disse que não ficou surpreendida que manifestantes pró-Trump tivessem invadido o Capitólio. O caso de 2001, que começou com 250 queixosos, continua pendente.

“Nunca nada foi realmente resolvido. O Congresso ignorou o racismo em na Colina do Capitólio”, disse Blackmon-Malloy à ProPublica. “O 6 de janeiro aconteceu porque ninguém nos levou a sério”.

O aposentado Tenente Frank Adams processou o departamento em 2001 e 2012 por discriminação racial, admitindo ter sido vítima e ter testemunhado racismo e sexismo.

Adams também conta que uma vez encontrou um cartoon na sua mesa de um homem negro a ser saudado por um membro do Ku Klux Klan no céu. Reclamou aos seus superiores, mas diz que desde aí lhe foram negadas oportunidades de promoção e sofreu outras formas de retaliação.

“Eles só se envolvem na fiscalização quando está no ciclo de notícias”, disse Adams. “Eles ignoraram o racismo que está a acontecer no departamento. Eles ignoraram o ódio”.

Daniel Costa Daniel Costa, ZAP //

PARTILHAR

RESPONDER

Várias escolas de Tóquio pedem "certificados de cabelo real" aos alunos

As escolas japonesas são conhecidas pela sua rigidez relativamente à aparência dos seus alunos, tanto que os estudantes que não seguem o padrão de "cabelo liso e preto" têm de apresentar provas. Dados divulgados, esta semana, …

UE estima normalidade nas vacinas daqui a duas semanas. Orbán recebeu vacina chinesa

A União Europeia (UE) estima que dentro de duas a três semanas "tudo vai funcionar normalmente" na produção e distribuição de vacinas nos Estados-membros. Entretanto, o primeiro-ministro húngaro já foi vacinado (mas com uma vacina …

"Os dados de milhões de pessoas estão em risco", alertam denunciantes da Amazon

Denunciantes da Amazon alertam que os dados de milhões de pessoas estão em risco devido à falta de preocupação da empresa com a cibersegurança. A par da Google, Apple, Microsoft e Facebook, a Amazon é uma …

Mais 41 mortes e 718 novos casos de covid-19 nas últimas 24 horas

Portugal registou, este domingo, mais 41 mortes e 718 novos novos casos de infeção pelo novo coronavírus, segundo o boletim epidemiológico da Direção-Geral da Saúde (DGS). De acordo com o último boletim da DGS, dos 718 …

Navalny chega a colónia penal a leste de Moscovo

O principal opositor do Kremlin chegou, este domingo, a uma zona a cerca de 200 quilómetros a leste de Moscovo para ser transferido para uma colónia penal onde vai cumprir a sua pena, informou um …

Já chegou o voo de repatriamento com 300 passageiros vindos do Brasil

O voo de repatriamento vindo do Brasil chegou, este domingo de manhã, ao Aeroporto Humberto Delgado, em Lisboa, com cerca de 300 passageiros. De acordo com a RTP, o voo de repatriamento vindo de São Paulo, …

Costa imune ao descontrolo da pandemia. Popularidade de Marcelo dispara

A sondagem TSF/JN/DN regista uma avaliação positiva do primeiro-ministro e do Presidente da República, com este a atingir um novo pico de popularidade. Os líderes do PSD e do Chega surgem empatados como principais figuras da …

Mais seis mortos nos protestos em Myanmar. Embaixador na ONU afastado

Seis manifestantes foram mortos em Myanmar, este domingo, por forças de segurança que dispersavam com violência as manifestações pró-democracia. Três manifestantes foram mortos em Dawei (no sul do país), enquanto dois adolescentes, de 18 anos, morreram …

Siza Vieira anuncia que Programa Apoiar vai ser reforçado e alargado

O programa Apoiar, destinado a empresas afetadas pela pandemia da covid-19, vai ser reforçado e alargado a novas situações, anunciou o ministro da Economia, indicando que as medidas vão ser anunciadas na próxima semana. "Queremos reforçar …

Embaixadora deixa Venezuela na terça-feira. UE chama embaixador em Cuba

A embaixadora da União Europeia na Venezuela vai sair do país na terça-feira, informou à agência Lusa fonte diplomática europeia, sem adiantar mais detalhes. Na última quarta-feira, a Venezuela decidiu expulsar Isabel Brilhante Pedrosa, em retaliação …