Pó de talco cancerígeno vale indemnização de 29 milhões a uma das mulheres afetadas

A Johnson & Johnson foi condenada a pagar 29 milhões de dólares (25,6 milhões de euros) a Terry Leavitt, mulher que alega que o amianto presente no pó de talco esteve na origem do seu cancro.

A decisão jurídica foi anunciada esta quarta-feira num tribunal californiano. A empresa, que enfrenta mais de 13 mil processos nos Estados Unidos relacionados com os seus produtos, disse que ia recorrer da decisão, alegando existirem “erros processuais e probatórios” durante o julgamento, argumentando ainda que os advogados e a mulher indemnizadas falharam ao provar que o pó de bebé continha amianto.

Este processo começou a 7 de janeiro e durou nove semanas. A empresa é ainda acusada de saber da existência de amianto e de não ter alertado os seus consumidores.

A empresa nega também que o pó de talco seja cancerígeno. Garante que existem estudos e testes feitos pelo mundo que mostram que os seus produtos são seguros e não causam cancro.

“Respeitamos o processo judicial e reiteramos que os veredictos jurídicos não são conclusões médicas, científicas ou legislativas sobre um produto”, defendeu-se a empresa, citada pelo Público.

A mulher agora indemnizada diz que usou produtos da marca no passado, nas décadas de 1960 e 1970, e que desenvolveu mesotelioma – cancro na pleura, a membrana que cobre os pulmões – em 2017. Foi um dos primeiros casos a vir a público dos que serão agora julgados em 2019.

Já em julho do ano passado, a multinacional Johnson & Johnson foi condenada a pagar uma indemnização de mais de quatro mil milhões de euros a 22 mulheres que alegavam ter cancro do ovário por utilizarem produtos da marca.

Este veredicto foi conhecido depois de seis semanas de testemunhos e alegações por parte de especialistas da defesa e da acusação. A empresa foi processada por mais de nove mil mulheres que afirmaram que o pó de talco contribuiu para o desenvolvimento do cancro do ovário — seis das 22 queixosas morreram.

Em julho, especialistas médicos confirmaram que o amianto, conhecido cancerígeno, é misturado com o talco mineral, principal ingrediente do pó talco da Johnson & Johnson. De acordo com o advogado da acusação, Mark Lanier, “a multinacional encobriu provas da existência de amianto nos produtos durante mais de 40 anos”.

Desde os anos de 1970 que a empresa sabia que o pó de talco tinha amianto, mas não avisou os consumidores. A acusação garantia ainda que foram encontradas fibras de amianto e partículas de talco nos tecidos dos ovários de muitas mulheres.

ZAP //

PARTILHAR

RESPONDER

Família de George Floyd apresenta queixa-crime contra Minneapolis

A família de George Floyd apresentou esta quarta-feira uma queixa-crime contra o município de Minneapolis e contra quatro polícias pela responsabilidade na morte do afro-americano às mãos da polícia, em maio, anunciaram os advogados. "Não foi …

UE reduz lista de países para reabrir fronteiras e mantém EUA e Brasil de fora

Os Estados-membros da União Europeia (UE) atualizaram, esta quinta-feira, a lista de países aos quais reabrem as fronteiras externas, mantendo de fora os Estados Unidos e o Brasil. "Na sequência da primeira revisão ao abrigo da …

24 horas depois, estátua de manifestante antirracismo em Bristol foi removida

A estátua de uma manifestante do movimento Black Lives Matter, erguida, esta quarta-feira, na cidade de Bristol, no Reino Unido, já foi removida. De acordo com o jornal The Guardian, 24 horas depois de ter sido …

Advogados continuam luta para manter declarações fiscais de Trump em segredo

Depois de o Supremo Tribunal ter determinado que os procuradores nova-iorquinos podem ter acesso às declarações de impostos do Presidente dos Estados Unidos (EUA), Donald Trump, os seus advogados informaram na quarta-feira que estavam a considerar …

EUA negam vistos a funcionários da Huawei que apoiem "violadores de direitos humanos"

Esta quarta-feira, o Governo norte-americano que vai impor restrições nos vistos a funcionários da Huawei e a outras empresas que os Estados Unidos vejam como apoiantes de Governos violadores de direitos humanos. Além das restrições, o …

Ventilador produzido em Portugal recebe autorização de utilização do Infarmed

O ventilador Atena, produzido em Portugal, recebeu, na terça-feira, a autorização do Infarmed para o seu uso em contexto hospitalar na luta contra a covid-19. Esta quarta-feira, numa publicação na sua página de Facebook, o CEiiA …

American Airlines avisa 25 mil trabalhadores que podem perder emprego

Os dirigentes da American Airlines escreveram a cerca de 25 mil trabalhadores da transportadora aérea para lhes comunicar que o seu emprego pode desaparecer em outubro. Os dirigentes das Companhias de aviação dos Estados Unidos admitiram …

Trump substitui diretor de campanha a menos de quatro meses das eleições

O Presidente dos Estados Unidos substituiu, esta quarta-feira, o seu diretor de campanha, perante os maus resultados nas sondagens, a menos de quatro meses das eleições. "Tenho o prazer de anunciar que Bill Stepien foi promovido …

Bristol acordou com uma nova estátua. Manifestante antirracismo substitui comerciante de escravos

Bristol acordou com uma nova estátua. Um artista britânico ergueu uma estátua de uma manifestante do movimento ‘Black Lives Matter’ no topo do pedestal na cidade inglesa antes ocupado pela estátua de um comerciante de …

Enfermeira norte-americana matou sete doentes num hospital de veteranos com injeções de insulina

Uma enfermeira num hospital de veteranos norte-americanos matou deliberadamente pelo menos sete doentes com injeções de insulina. A mulher, que admitiu o crime, deverá ser condenada a sete penas de prisão perpétua, mais 20 anos …