“Nem sei onde é Alcochete”. Pinto da Costa ouvido como testemunha de Bruno de Carvalho

Estela Silva / Lusa

O presidente do FC Porto, Jorge Nuno Pinto da Costa

O presidente do FC Porto foi ouvido, esta terça-feira, como uma das testemunhas do ex-dirigente leonino no julgamento da invasão à academia do Sporting, em Alcochete, que está a decorrer no tribunal de Monsanto, em Lisboa.

Pinto da Costa foi ouvido esta tarde, por videoconferência, na qualidade de testemunha arrolada pela defesa de Bruno de Carvalho, tendo afirmado que não percebe por que razão foi chamado.

“Perguntaram-me se conhecia o presidente do Sporting. Felizmente conheci muitos e sou amigo ainda de alguns, que são vivos. Sinceramente não percebi bem por que vim cá. Aliás, a juíza agradeceu a minha presença e disse que não era da responsabilidade dela eu ter ido. Provavelmente sentiu que não vim adiantar muito. Também não podia adiantar porque, felizmente, desconheço totalmente este processo. O que podiam perguntar? Nem sei onde é Alcochete”, explicou o dirigente dos azuis-e-brancos, citado pela rádio TSF.

De acordo com a rádio, Pinto da Costa disse ter presenciado, a 4 de fevereiro de 2018, uma conversa que o deixou “chocado”, mas que encarou como sendo uma “brincadeira”, entre Bruno de Carvalho e Jaime Marta Soares, à data, presidente da Mesa da Assembleia-Geral (MAG) de Alvalade.

Segundo o presidente portista, o ex-dirigente leonino dirigiu-se ao então presidente da MAG dizendo: “Este também era dos croquetes e eu reabilitei-o”, ao que Marta Soares respondeu: “Isto ainda acaba tudo destituído”.

Esta terça-feira, também foi ouvido Carlos Vieira, ex-vice-presidente da direção de Bruno de Carvalho, que revelou que, na reunião no dia anterior à invasão, o treino foi alterado para a tarde por sugestão de Raul José, antigo treinador adjunto de Jorge Jesus.

Segundo a TSF, esta é uma informação que vai contra o que tem sido dito em tribunal, até pelo próprio treinador adjunto que, a 4 de dezembro, testemunhou que foi Bruno de Carvalho quem sugeriu que o treino fosse marcado para a tarde.

António Pedro Santos / Lusa

O ex-presidente do Sporting, Bruno de Carvalho

Durante a manhã de hoje foi também ouvido Eduardo Barroso, antigo presidente da Mesa da Assembleia Geral do Sporting, que afirmou em tribunal estar convicto de que o ex-presidente não foi o mandante da invasão. “Se tivesse a noção de que o Bruno de Carvalho pudesse ser o mandante desta atrocidade, não estava aqui”, declarou.

Eduardo Barroso aludiu ainda a uma frase que lhe terá sido dita por Bruno de Carvalho: “Só descansam quando eu estiver preso ou morto”.

O coletivo de juízes ouviu também o judoca Jorge Fonseca, que falou de Bruno de Carvalho como alguém “que sempre tratou muito bem os atletas”; José Estorninho, antigo membro do grupo Stromp; João Trindade, antigo presidente do Conselho Leonino; José Ribeiro, ex-assessor do clube, e ainda o pai do ex-dirigente leonino, Rui de Carvalho.

O julgamento prossegue na quarta-feira, com a audição de dois arguidos, e tem sessões marcadas até final do mês de fevereiro. Hoje, a presidente do coletivo de juízes, Sílvia Pires, anunciou que Bruno de Carvalho vai ser ouvido no dia 28 de fevereiro. Mustafá, por sua vez, será ouvido em tribunal no próximo dia 26.

O processo tem 44 arguidos, acusados da coautoria de 40 crimes de ameaça agravada, de 19 crimes de ofensa à integridade física qualificada e de 38 crimes de sequestro, todos estes (97 crimes) classificados como terrorismo.

Bruno de Carvalho, Mustafá e Bruno Jacinto, ex-oficial de ligação aos adeptos do Sporting, estão acusados de autoria moral de todos os crimes.

ZAP // Lusa

PARTILHAR

RESPONDER

Cientistas estão a atirar rochas vulcânicas para telhados (para provar que são perigosas)

Uma equipa de cientistas da Universidade de Canterbury está a lançar rochas vulcânicas para telhados na Nova Zelândia na esperança de ajudar os habitantes de Auckland a entender os perigos vulcânicos. "Auckland localiza-se num campo vulcânico …

A cordilheira Kong nunca existiu, mas esteve nos mapas durante um século

A cordilheira Kong nunca existiu, mas esteve durante 100 anos em muito dos principais mapas do continente africano. Acabaria por ser um militar francês, que explorou o rio Níger, a acabar com este "fantasma da …

"Continua a pairar perigosamente". Relógio do Juízo final mantém-se a 100 segundos do Apocalipse

A Humanidade nunca esteve tão perto do Apocalipse, alertam os cientistas responsáveis pelo "Relógio do Juízo Final", que decidiram mantê-lo na mesma posição do ano passado, a 100 segundos da meia-noite. O relógio, que é uma …

A primeira bateria doméstica de hidrogénio armazena três vezes mais energia do que uma da Tesla

Para usar energia solar doméstica, é preciso gerar energia quando o Sol brilha e armazená-la quando não aparece. Para isto, as pessoas usam normalmente sistemas de bateria de lítio. Porém, a empresa australiana Lavo construiu …

Um oásis LGBTQ, Budapeste é posto à prova pelo populismo e pela pandemia

Budapeste é um oásis para a comunidade LGBTQ, mas a cena drag da capital húngara vê-se ameaçada pela pandemia de covid-19 e pelas políticas conservadoras e populistas de Viktor Orbán. Durante muitos anos, Budapeste desfrutou a …

Coreia do Sul "ressuscitou" voz de uma superestrela. Chovem preocupações éticas

Pela primeira vez em 25 anos, a distinta voz da superestrela sul-coreana Kim Kwang-seok será ouvida na televisão nacional. O famoso cantor folk morreu em 1996. De acordo com a CNN, a emissora nacional da Coreia …

Maioria dos países africanos só terá vacinação em massa a partir de 2023

A maioria dos países africanos só terá imunização em massa a partir de 2023, segundo previsão da The Economist Intelligence Unit, que admite que, com o evoluir da pandemia, muitos dos países mais frágeis possam …

Mulher que "morreu" com covid-19 aparece viva 10 dias após funeral

Uma mulher de 85 anos ficou infetada com covid-19 num lar na Galiza, em Espanha. A 13 de janeiro a família de Rogelia Blanco recebeu a informação do lar de que a mulher tinha falecido. …

Familiares de vítimas na China pressionadas a não falar com OMS

As autoridades chinesas estão a pressionar as famílias das primeiras vítimas da covid-19 para que não entrem em contacto com os investigadores da Organização Mundial da Saúde (OMS) em Wuhan, segundo familiares dos falecidos. Mais de …

Falsas vacinas à venda na Internet são grande risco para a saúde

Embora milhões de pessoas tenham sido já vacinadas contra a covid-19 nos países ricos, proliferam as fraudes na Internet com fármacos falsos que representam um grande risco para a saúde, alertaram peritos das Nações Unidas. As …