Petróleo está 35% mais barato, mas o preço dos combustíveis é o mais alto desde 2014

Marcelo Camargo / ABr

Quando um português atesta o seu carro com 50 euros de gasolina, paga 31 euros em impostos. O alerta, em forma de crítica ao Governo pelas taxas aplicadas aos combustíveis, surge do CDS numa altura em que os preços da gasolina estão a um nível mais alto do que em 2014, apesar de o petróleo estar 35% mais barato.

Mais de metade do preço de venda dos combustíveis, em Portugal, resulta de taxas e de impostos, com destaque para o Imposto Sobre os Produtos Petrolíferos (ISP) que representa a maior fatia do valor pago pelos consumidores.

Segundo dados da Comissão Europeia, na semana de 14 de Maio, o litro do gasóleo custava 1,35 euros em Portugal – o 10.º mais caro entre os 28 países da União Europeia –, quando o valor, antes de impostos e taxas, era de apenas 0,62 euros.

Já a gasolina 95 (a mais vendida) custava em média 1,56 euros por litro, quando antes do IVA, do ISP, da contribuição sobre o sector rodoviário e do adicional por taxa de carbono era de 0,61 euros por litro.

O preço da gasolina 95 em Portugal, é o quinto mais alto na UE a 28, sendo 26 cêntimos mais elevado do que o praticado em Espanha. Só Holanda, Itália, Grécia e Dinamarca tinham a gasolina mais cara na semana em análise.

Por 50 euros de gasolina, 31 euros são impostos

Para a próxima semana, espera-se uma nova subida nos preços dos combustíveis em Portugal, com os valores a situarem-se em níveis mais elevados do que em 2014. Isto, quando o preço do petróleo está, nesta altura, 35% mais barato do que há quatro anos.

Estes dados ilustram o peso dos impostos no preço final que é pago pelos condutores portugueses para abastecerem o carro. A Entidade Nacional para o Mercado de Combustíveis (ENMC), revela que o ISP representa 47 cêntimos (38,6%) no preço de referência do gasóleo e 66 cêntimos (45,9%) no da gasolina.

Em termos mais práticos, o deputado do CDS Pedro Mota Soares refere que “é muito importante que um português, sempre que vá a uma bomba de gasolina pôr 50 euros, saiba que 31 são impostos, que em 30 euros de gasolina 19 são impostos ou em 20 de gasolina 12 são impostos”.

As declarações do deputado centrista foram feitas no âmbito da apresentação de um site  que permite aos visitantes colocar uma determinada quantia de combustível para ficar a saber o preço final e também o peso dos impostos nesse valor.

O CDS apresentou no Parlamento, uma proposta que visa eliminar o adicional ao ISP que está em vigor desde 2016.

“Uma forma diferente de austeridade”

Também o PSD critica o Governo, acusando-o de “agravar os preços” com o aumento do ISP para compensar a descida do preço do petróleo.

É “uma forma diferente de austeridade que é imposta aos portugueses”, salientou o vice-presidente da bancada do PSD, Leitão Amaro, lamentando que “houve uma escolha do Governo de agravar o preço dos combustíveis”.

O PS justificou a actual situação de escalada nos preços com a subida de custo das matérias-primas e com a cotação internacional dos produtos petrolíferos. Já Bloco de Esquerda e PCP criticaram as margens de lucro das multinacionais petrolíferas e a falta de regulação dos mercados nacional e internacional.

Em 2016, o Governo aumentou o ISP em seis cêntimos por litro para corrigir a perda de receita fiscal resultante da diminuição da cotação internacional do petróleo, e comprometeu-se a fazer uma revisão trimestral do valor do imposto em função da variação do preço base dos produtos petrolíferos, o que levou a pequenas reduções do ISP ao longo desse ano.

No entanto, em 2017, o Governo deixou de rever o valor do imposto, apesar das variações do preço do petróleo.

Segundo os dados mais recentes da execução orçamental, que foram publicados pela Direcção-Geral do Orçamento, o Estado arrecadou 803,2 milhões de euros com o ISP no primeiro trimestre deste ano, mais 2,4% do que os 784,1 milhões de euros no mesmo período de 2017.

No conjunto do ano passado, o ISP rendeu 3.364,4 milhões de euros aos cofres do Estado, mais 3,2% do que em 2016.

ZAP // Lusa

PARTILHAR

12 COMENTÁRIOS

  1. Esta é a AUSTERIDADE encapotada de Costa !!!
    Diz para todo o mundo que os impostos baixaram, mas o que assistimos é a um aumento vergonhoso dos impostos indirectos, como é o caso de toda a fiscalidade relacionada com os transportes.
    Onde está o Regulador ??
    A dormir, depois de lhe terem ensaboado as mãos.
    Costa prometeu baixar o imposto sobre combustíveis quando o preço do crude subisse (como agora subiu ). Palavra dada, Palavra pró penico ! Mentiroso !

    • Já Agora, para quem faça a A1 lisboa-porto a andar a 100, paga mais de gasóleo ou de portagem?? Antes mesmo deste descalabro de preços? Isso não reparam nem querem saber?? Pois… mas roubo ninguém quer saber, mas quem tem idade para isso acharia NORMAL não pagar nem metade do que paga em combustível pelas portagens, mesmo quando o gasóleo não era este assalto. A ideia é que (lentamente) sejamos todos privados de transporte próprio, vide as leis sobre a velocidade em cidade, as lombas novas que tem a altura de 2 ou 3 passeios, etc.
      Só não enxergam, porque se recusam a acreditar na natureza incrivelmente malévola de quem realmente manda no mundo ocidental (que ninguem vê na tv). Tudo o que o cidadão “comum” adquiriu como direitos, à custa de 2 guerras mundiais está a ser sistematicamente destruído por esta “organização”. É tudo disfarce e justificações fabricadas para papalvo papaguear nos cafés.

  2. Inadmissivel. Depois veem fazer campanha a dizer que os impostos estão a descer. Continuem a dar força a estes governantes. mas todos eles são responsáveis pois nenhum se opoe. Está em causa a manutenção das suas benesses por isso está tudo bem!

  3. O que vale é que impostos indirectos para os “geringonça” não contam como tal, daí afirmarem que não sobem impostos mas no depósito do meu carro com o mesmo dinheiro entra semana a semana cada vez menos combustível, por este andar brevemente só entrará ar!.

  4. “Também o PSD critica o Governo, acusando-o de “agravar os preços” com o aumento do ISP para compensar a descida do preço do petróleo.”
    quem sao o PSD de criticar os outros se eles quando eram governos fizeram o mesmo?
    porque eles nao baixaram os preços ou os impostos?
    agora vêm criticar os outros?
    é tudo igual, so muda a cor

    25/052/2018
    https://www.dn.pt/lusa/interior/preco-do-barril-brent-desce-304-e-fecha-semana-nos-7644-dolares-9379534.html

    Preço do barril Brent desce 3,04% e fecha semana nos 76,44 dólares
    76.44€/250L (BARRIL)=0.305€/L
    como se vê aqui esta a roubalheira

    • Não é bem assim… longe de mim estar a defender o governo do Passos (que era tão mau que nem é para aqui chamado!), mas a verdade é que o Costa, com a baixa do preço do barril, criou uma taxa extraordinária no ISP e disse que seria reduzida (ou eliminada) se o preço do barril subisse – o preço está a subir há semanas e ainda não ouvi o Governo falar em redução (ou eliminação) dessa taxa extraordinária!…
      Claramente não está a cumprir o prometido!!
      .
      Também não percebi essas contas!…
      Um barril de crude Brent são cerca de 159 litros (e não 250l!!), mas esse crude NADA tem a ver com o combustível que está nas bombas e não faz sequer qualquer sentido falar em preço do litro de crude!…

  5. É fácil de resolver. O PCP ou Bloco ou CDs ou PSD fazem uma proposta na assembleia e passa com os votos destes. Parece fácil e é. Mas não vai acontecer… Todos Ladrões!

Responder a Wilma Cancelar resposta

Um planeta pode ter sido "roubado" do Sistema Solar

Uma nova análise de astrónomos da Universidade Stony Brook, em Nova Iorque, revelou que as estrelas "roubam" planetas umas às outras - e isso também poderá ter acontecido no nosso próprio Sistema Solar. Quase tudo o …

Netflix passa a mostrar "top 10" diário de séries e filmes

A Netflix disponibiliza, desde esta segunda-feira (24), uma nova feature para os utilizadores do serviço de streaming: uma lista com os 10 filmes e as 10 séries mais vistas no país em cada dia. Esta nova …

A Realidade Virtual pode ser a próxima terapia para tratar pânico, fobias e distúrbios

A Oxford VR, empresa britânica de realidade virtual, acaba de acumular mais de 13 milhões de euros para investir na terapia com a tecnologia do futuro. A companhia surgiu a partir do departamento de psiquiatria da …

Apple não deixa que vilões de filmes usem iPhones

A Apple não deixa que os vilões dos filmes de Hollywood usem os telemóveis iPhone no grande ecrã. Esta é apenas uma das empresas que não permite este tipo de coisa. Os filmes podem ter uma …

O coronavírus pode ser a "doença X" temida pelos especialistas

O coronavírus, que já matou 2.700 pessoas e infetou mais de 80 mil desde dezembro, está a tornar-se "rapidamente" no primeiro grande desafio pandémico do mundo, enquadrando-se nos moldes da "doença X" temida por especialistas. O …

Media Capital passou de lucros a prejuízos de 54,7 milhões

A Media Capital registou prejuízos de 54,7 milhões de euros no ano passado, contra lucros de 21,6 milhões de euros um ano antes, anunciou hoje a dona da TVI, que está em processo de compra …

Camas na classe económica dos aviões podem vir a tornar-se uma realidade

A companhia aérea neozelandesa Air New Zealand está a pensar incluir camas na classe económica de alguns dos seus voos mais longos. A ideia deverá avançar dentro de um ano. A companhia aérea neozelandesa Air New …

Temperatura do planeta pode estabilizar nos valores de há três milhões de anos

A temperatura no planeta pode estabilizar nos valores de há três milhões a cinco milhões de anos, caso a humanidade consiga estancar as emissões de gases com efeito de estufa até 2030, diz a especialista …

Operação Lex. Juiz Vaz das Neves arguido por corrupção e abuso de poder

O ex-presidente do Tribunal da Relação de Lisboa Vaz das Neves é arguido na Operação Lex por suspeitas de corrupção e abuso de poder relacionadas com a distribuição eletrónica de processos, disse à Lusa fonte …

Governo quer licenças de trabalho parcial pagas para pais no primeiro ano dos filhos

O Governo quer implementar licenças de trabalho parcial remuneradas para pais e mães de crianças no seu primeiro ano de vida, no âmbito do programa para a conciliação entre vida profissional e vida familiar e …