Petição para deportar Justin Bieber está a ser analisada pela Casa Branca. Será aceite?

Adam Sundana / Flickr

Justin Bieber

Justin Bieber

179 mil pessoas assinaram a petição que pedia a deportação de Justin Bieber por ser um mau exemplo para a sociedade americana, quase o dobro das assinaturas necessárias para que o pedido seja analisado pela Casa Branca. Agora, a batata quente está nas mãos do governo americano: o que fazer ao miúdo-problema?

“Nós, povo dos Estados Unidos, sentimos que não estamos bem representados no mundo da cultura pop. Gostaríamos que o perigoso, insensato, destrutivo e consumidor de drogas Justin Bieber fosse deportado e a sua autorização de residência revogada”.

Começa assim a petição – curta e grossa – que pedia a deportação do jovem cantor desde 23 de janeiro. Apesar das notas com algum humor, o texto foi levado muito a sério: 179 mil americanos subscreveram o pedido, que afirma que Bieber “não apenas ameaça a segurança do nosso povo mas é também uma péssima influência para os jovens da nossa nação. Nós, o povo, queremos que Justin Bieber seja afastado da nossa sociedade.”

O mínimo para que seja analisada pela Casa Branca eram 100 mil assinaturas, o que significa que já está na lista para ser analisada. Outros casos têm sido enviados para a Casa Branca com base no apoio popular, como aconteceu com o pedido para a construção da Estrela da Morte, uma estação espacial do universo Star Wars capaz de destruir planetas.

A resposta à petição para a deportação Bieber pode demorar várias semanas a ser respondida, mas nada garante que a resposta seja positiva. No caso da Estrela da Morte, uma petição com um tom claramente irónico, a resposta – que demorou dois meses a chegar – esteve à altura: “a Administração não apoia a destruição de planetas”.

O caso de Bieber é semelhante: os vistos para imigrantes nos Estados Unidos só podem ser retirados se houver um crime violento ou uma sentença de prisão de mais de um ano, podendo ser deportado se for declarado culpado de um delito com agravante, como um roubo ou posse de droga.

No caso de Justin Bieber, a polémica começou quando foi detido em Miami por participar numa corrida ilegal de automóveis, sob o efeito de álcool e droga. O site Hollywood Reporter calcula que, mesmo que seja condenado pelos delitos que tem vindo a cometer, terá no máximo seis meses de prisão por participar em corridas de carros ou por conduzir sob influência de substâncias. Ou seja, legalmente, pode não ser possível reunir elementos suficientes para que o jovem seja deportado.

Justin Bieber será formalmente acusado de condução sob a influência de substâncias tóxicas, velocidade excessiva e resistência, sem violência, às autoridades. O jovem cantor está em liberdade sob caução desde a passada quinta-feira e deveria ter comparecido numa audiência nesta segunda-feira, o que não aconteceu, pois se encontrava no Panamá.

Aline Flor, ZAP

PARTILHAR

RESPONDER

Depois do "selo Brexit", os correios da Áustria emitem o "selo corona" impresso em papel higiénico

O serviço postal da Áustria uniu dois pontos da pandemia do novo coronavírus ao criar um selo impresso em papel higiénico que, segundo os correios, as pessoas também podem, a qualquer momento, usar para ajudar …

A Moog celebra os 100 anos do Theremin com um novo instrumento: o Claravox Centennial

Este ano marca o 100º aniversário do Theremin - um dos primeiros instrumentos musicais completamente eletrónicos, controlado sem qualquer contacto físico pelo músico. Para celebrar vai ser lançado o Claravox Centennial. Foi em 1920 que Leon Theremin, …

Depósito inexplorado na Sibéria tem uma das maiores reservas de ouro do mundo

O maior produtor de ouro da Rússia, PJSC Polyus, anunciou esta semana que o seu depósito inexplorado em Sukhoi Log, na região siberiana de Irkutsk, possui uma das maiores reservas mundiais deste metal preciosos. De …

Os novos iPhones não trazem carregador. Apple poupa muito nos custos, mas não no ambiente

A Apple decidiu vender os seus novos iPhones sem carregador ou auscultadores, alegando que a alteração tem em conta o ambiente, uma vez que serão utilizados menos produtos na embalagem dos telemóveis, mas os especialistas …

Caça ao tesouro secular. Lendária ilha pode esconder Santo Graal, manuscritos de Shakespeare e jóias reais

Perto da Nova Escócia, no Canadá, há uma lendária ilha com misteriosos túneis e estranho artefactos. Há quem acredite que esconde o Santo Graal, os manuscritos de Shakespeare e um tesouro de um capitão. Porém, …

Aprender "baleiês" pode evitar choque de navios com o animal

Uma equipa de cientistas da Universidade de Stanford, nos Estados Unidos, tem uma nova ideia para salvar as baleias-azuis em migração das colisões com navios. Durante a época de migração das baleias-azuis, os animais enfrentam sérios …

Afinal, os carros elétricos não são a melhor resposta para combater as alterações climáticas

Os carros elétricos, surgem como alternativas mais sustentáveis aos veículos a gasolina ou gasóleo, podem não ser a melhor forma de combater as alterações climáticas no âmbito dos transportes, de acordo com um novo estudo. …

Seria Jesus um mágico? Há arte romana que parece sugerir que sim

Em alguma arte antiga, Jesus é retratado a fazer milagres com algo na mão que parece ser uma varinha. Investigadores sugerem que se trata de um cajado, que era usado como símbolo de poder. Segundo a …

Nem todos os clubes estão a afundar – alguns estão a prosperar durante a pandemia

Nem todos os clubes estão a sofrer às mãos desta pandemia de covid-19. Alguns deles têm conseguido bons resultados financeiros apesar da crise. A covid-19 provou ser um adversário devastador para o desporto profissional em todo …

Kibus: o aparelho que vai revolucionar a forma como os nossos cães se alimentam

Ter cães como melhores amigos pode ser muito benéfico, mas também traz a sua dose de trabalho e responsabilidades. Levar ao veterinário, dar banho, levar a passear, brincar, dar de comer... No fundo é como …