Pedro Nuno é “novela mexicana”, descreve Cotrim

8

Manuel de Almeida / LUSA

Pedro Nuno Santos

Rui Rio acha que faltou coragem ao primeiro-ministro. Ventura também pede intervenção do Presidente da República.

Ia sair mas não saiu. Pedro Nuno Santos continua a ser ministro das Infraestruturas e da Habitação, apesar da “trapalhada” que criou no Governo.

O ministro iria avançar com o projecto do novo aeroporto de Lisboa mas essa ideia foi travada pelo primeiro-ministro António Costa – que nem sabia desse documento.

Na RTP, Pedro Nuno admitiu que Marcelo Rebelo de Sousa, Presidente da República, também não sabia desta decisão.

Os partidos reagiram no próprio dia, quinta-feira, à continuidade do ministro das Infraestruturas.

Rui Rui foi directo: “É claro para mim que o ministro não tem condições para estar no Governo. Se o primeiro-ministro assobiar para o ar e tentar que tudo continue na mesma, acho que o Presidente da República numa situação destas deve ter uma intervenção”.

O ainda presidente do PSD disse que “há uma notória falta de coragem” em António Costa para demitir um ministro. “É uma situação profundamente caricata”.

André Ventura acha que Pedro Nuno Santos “já não existe politicamente, está desautorizado a todos os níveis pelo próprio primeiro-ministro”.

O líder do Chega também defendeu intervenção imediata de Marcelo Rebelo de Sousa, numa situação “absolutamente lamentável” e um “circo inacreditável”, que ficou marcada por um ministro “desrespeitar directamente o Governo e o primeiro-ministro”.

João Cotrim Figueiredo, presidente do Iniciativa Liberal, classificou este contexto como uma “novela mexicana”. E explicou: “Um ministro foi desautorizado de uma forma humilhante e um primeiro-ministro que reconheceu um erro grave, mas não demitiu o ministro”.

Do lado do Partido Comunista Português, Paula Santos, líder da bancada parlamentar, aponta para uma “grande fragilidade do Governo”.

O PAN olha com “alguma preocupação” para este processo, que é “demasiado relevante” para o país. Inês Sousa Real deixou para António Costa os esclarecimentos e o nível de confiança que mantém em Pedro Nuno, admitindo que foi “grave” o facto de Marcelo e outros partidos não terem sabido deste projecto.

Pedro Filipe Soares, do Bloco de Esquerda, considera que a decisão inicial de Pedro Nuno Santos foi “errada” e esta situação criou “um caos político incompreensível nos primeiros meses de uma maioria absoluta”.

  Nuno Teixeira da Silva, ZAP //

8 Comments

  1. VERGONHA… tanto deste cantagalo, que se tivesse vergonha na cara ter-se-ia demitido logo, como do kostinha do kastelo… e o PR é só mesmo para enfeitar…

  2. Largar o osso jamais !!!!! Ser ministro é das profissões que não requer qualquer experiência nem currículo, e das profissões onde a responsabilidade é zero independentemente dos erros e como recompensa o salário é chorudo.

  3. Tenho a certeza pelo que com as pessoas que já falei, a maioria dos Portugueses estavam contentes com a ação do ministro, que foi uma desilusão o recuo, parecia que ja tínhamos governo de maioria absoluta, que já tínhamos deixado a politica do encona aqui encona acola dos PS e dos PSD, afinal voltamos ao mesmo, continuar no encona.

  4. Além de ser PALHAÇO É TAMBÉM fantoche. Uma política desavergonhada. O barbudo fala muito para entreter alguns papalvos a meter os pés pelas mãos . Este gajo devia demitir-se . Se não o faz as pessoas vêm-no como um espinho espetado na carne. O seu trajeto terminou com esta trapalhada.

  5. O PR além de enfeitar passa a vida a ajudar para acalmar as turras e assim poder manter-se um parlapatão daqueles que vale tanto como uma palha podre. No tempo do Salazar andava a limpar latrinas. Assim como muitos pulhíticos. Saiu-lhes o euro milhões.

Deixe o seu comentário

Your email address will not be published.