PEC não “compensa aumento do SMN” e beneficia empresas “pouco saudáveis”

A descida dos Pagamentos especiais por conta (PEC) anunciada esta quinta-feira “não compensa diretamente” o aumento do salário mínimo e tem “o risco claro” de beneficiar empresas menos saudáveis ou que praticam evasão fiscal, diz uma fiscalista contactada pela Lusa.

O Governo anunciou a descida dos pagamentos especiais por conta (PEC) e a medida vai ser feita a dois tempos: ao cálculo do PEC previsto no código do IRC – Imposto sobre o Rendimento de pessoas Coletivas será acrescida uma redução fixa de 100 euros e uma redução proporcional de 12,5% do remanescente da coleta paga por cada empresa.

A medida foi a solução alternativa à descida da taxa social única (TSU) paga pelas empresas relativamente a trabalhadores que ganham o salário mínimo nacional, que tinha sido acordada em concertação social para compensar a subida de remuneração para os 557 euros – mas que foi chumbada no parlamento, com o PSD a juntar-se ao BE e ao PCP.

Em declarações à Lusa, a fiscalista Mariana Gouveia de Oliveira, da Miranda & Associados, afirmou que se trata de uma “medida transversal às empresas que pagam PEC”, que “deixa de fora as empresas mais saudáveis, que pagam mais impostos”, já que estas pagam “IRC normal e não apenas PEC”.

Segundo a fiscalista, a medida “não compensa diretamente o impacto da subida da remuneração mínima mensal”.

Para a advogada, a medida tem “uma vantagem” e um “risco claro”: a vantagem é que “não ser uma medida compensatória direta é não subsidiar dessa forma as chamadas políticas de baixos salários“.

O “risco claro” é que “beneficia as empresas menos saudáveis” (e até as que praticam evasão fiscal), as quais poderão colapsar sob o peso do aumento das remunerações mínimas após o período transitório”.

Mariana Gouveia de Oliveira considera que “todas as empresas que estejam sujeitas ao pagamento do PEC sentirão um alívio na sua tesouraria” porque vão “pagar menos imposto antecipado”.

Já no caso das empresas que não pagam IRC suficiente porque “apresentam sucessivamente prejuízos fiscais”, a medida vai implicar “não apenas um alívio de tesouraria mas uma efetiva redução de imposto“.

A fiscalista da Miranda recorda que o PEC surgiu “como uma medida antifraude” e que “as empresas tendencialmente atingidas pelo PEC são empresas que apresentam prejuízos fiscais ou lucros declarados bastante baixos”.

Mariana Gouveia de Oliveira explica que o imposto que uma empresa que sucessivamente apresente prejuízos fiscais paga efetivamente é o PEC e não o IRC normal, uma vez que ao montante do PEC a pagar se deduz o valor do pagamento por conta.

Os pagamentos por conta funcionam no IRC do mesmo modo que as retenções na fonte no IRS – Imposto sobre o Rendimento de pessoas Singulares: é uma forma de o Estado ir arrecadando receita ao longo do ano e é um indicador sobre a saúde das empresas.

Como ao montante do PEC se deduz o valor do pagamento por conta, “as empresas com lucros que pagam IRC normal não pagam PEC” porque já pagaram o pagamento por conta, que é deduzido ao valor do PEC a pagar.

Neste sentido, reduzir no PEC a coleta mínima em 100 euros fixos e em mais 12,5% do remanescente da coleta pode ser “realmente baixar a tributação”, defendeu Mariana Gouveia de Oliveira.

A advogada elogia, no entanto, o facto de esta redução temporária do PEC “apenas se aplicar a empresas com gastos em remunerações declarados na Informação Empresarial Simplificada (IES) acima de 7.420 euros, valor mínimo para uma remuneração equivalente a um trabalhador a tempo inteiro durante um ano”.

Desta forma, será possível “pelo menos excluir dos beneficiários desta medida sociedades que não são verdadeiras empresas, mas apenas veículos de detenção de património sem atividade efetiva que não têm quaisquer trabalhadores”.

Questionada sobre se a descida do PEC é mais benéfica para as empresas com trabalhadores que ganham o salário mínimo do que a descida de 1,25 pontos da TSU, a fiscalista considera que “o impacto concreto da medida varia de empresa para empresa em função do volume de negócios e do lucro tributável”.

Não há uma resposta universal (ou sequer tendencial) para esta questão”, conclui.

// Lusa

PARTILHAR

2 COMENTÁRIOS

  1. Prefiro de longe esta opção á da tsu. Esta medida incide básicamente nas pequenas e micro empresas que são as que ainda geram mais empregos no nosso país. Não promove a “colagem” ao ordenado mínimo para obter ganhos como era com a tsu. Espero no entanto que não se torne “moda” que a subida do ordenado minimo esteja sempre condicionado á oferta de benesses para as empresas.

  2. Talvez assim, as empresas “pouco saudáveis” melhorem de saúde…
    Nem tudo o que não tem saúde deve morrer, não?
    Eu como o CHE, prefiro esta opção.

RESPONDER

ADN antigo revela mistério do extinto macaco das Caraíbas

Uma análise de ADN do misterioso macaco extinto das Caraíbas revelou que estes animais tinham um maior grau de parentesco com os macaco-titis oriundos da América do Sul do que com qualquer outra espécie.  Há cerca …

"Queria? Já não quer?". Finalmente, o livro que revela se está ou não correto

Brevemente nas livrarias, o livro Dicionário de Erros Falsos e Mitos do Português, da autoria de Marco Neves, promete desmontar os mitos que foram construídos em redor da língua portuguesa. Não, este não é só mais um …

Itália vs Portugal | Empate valeu apuramento e primeiro lugar

Portugal foi a Milão arrancar um empate sem golos ante a Itália, em jogo do Grupo 3 da Liga das Nações, e garantiram o apuramento para a final four da Liga das Nações. Numa partida …

Vespa asiática está a propagar-se pelo centro do país

A vespa asiática, ou vespa velutina, uma espécie invasora predadora das abelhas, está a propagar-se pela região centro do país, com ninhos identificados em todo o norte do distrito de Santarém, disse hoje à Lusa …

Já há mais de mil desaparecidos nos incêndios da Califórnia

As autoridades dos Estados Unidos informaram nesta sexta-feira que o número de desaparecidos no gigantesco incêndio que queima há mais de uma semana no norte da Califórnia já superam o milhar. Em conferência de imprensa, o …

As orcas partilham traços de personalidade com humanos e chimpanzés

As orcas exibem características de personalidade semelhantes aos humanos e chimpanzés, como a brincadeira, a alegria e o afeto, de acordo com uma nova investigação divulgada pela Associação Americana de Psicologia (AAP). Investigadores em Espanha analisaram …

Manifestante morre atropelada por mãe desesperada em bloqueio dos “coletes amarelos” em França

Uma manifestante dos “coletes amarelos” morreu em Sabóia, sudeste de França, atropelada por uma condutora em pânico, disse este sábado o ministro do Interior francês, Christophe Castaner. A condutora, que levava a filha ao médico, teve …

A César o que é de César. Costa fica a saber quem manda nos deputados do PS

António Costa está "muito satisfeito" com a liberdade de voto concedida pelo líder da bancada parlamentar do PS, Carlos César, aos deputados na proposta do Governo sobre o IVA da tauromaquia. Mas o mal-estar entre …

Distracção de professora provoca lesões em 40 crianças na China

A distracção de uma professora que se esqueceu de apagar uma luz ultravioleta numa escola de Tianjin, perto de Pequim, causou ferimentos e queimaduras em mais de 40 crianças, informou esta sexta-feira a imprensa local. Os …

A Terra está a comer os seus próprios oceanos

À medida que as placas tectónicas da Terra mergulham umas nas outras, arrastam 3 vezes mais água para o interior do planeta do que se pensava - e essa quantidade de água não está a …