Pais que torturaram 13 filhos declaram-se inocentes

Andrew Gombert / EPA

A procuradoria de Riverside vai acusar, David Allen Turpin, 57 anos, e Louise Anna Turpin, 49, de abuso às 13 crianças

David Allen Turpin e Louise Ann Turpin foram, esta quinta-feira, formalmente acusados de tortura e sequestro de doze dos 13 filhos durante vários anos. Perante as acusações, o casal declarou-se inocente.

Presentes a juiz, David e Louise Trupin, o casal que acorrentou e torturou em casa os 13 filhos, declarou-se inocente das acusações de sequestro e tortura.

À exceção do mais novo, de apenas dois anos, os filhos do casal estavam severamente malnutridas, só tomavam banho uma vez por ano e nunca foram ao dentista, descreve o Jornal de Notícias.

Além disso, segundo a investigação policial ainda a decorrer, as crianças tinham direito a apenas uma refeição por dia e era frequente serem acorrentadas às camas com cordas e cadeados, sem poderem deslocar-se à casa de banho. Estes castigos podiam durar semanas ou meses. Estavam também proibidas de lavar as mãos acima da linha do pulso sob pena de serem acusadas de estar “a brincar com água”.

O caso terá começado por negligência, como conta Mike Hestrin, procurador do condado de Riverside, mas rapidamente escalou para “maus-tratos brutais”.

Os pais foram acusados de tortura, sequestro, maus-tratos, atos obscenos e negligência, mas ainda poderão ser inculpados de outros crimes, e não deram explicações para a situação dos filhos.

Se todas as acusações se provarem verdadeiras, o casal arrisca uma pena entre 94 anos e perpétua. A polícia norte-americana encontrou no domingo 12 irmãos mantidos em cativeiro, alguns acorrentados, esfomeados e sujos na residência dos pais, depois do alerta dado pela 13.ª vítima, uma rapariga de 17 anos que conseguiu fugir da habitação situada em Perris, a duas horas a sudeste de Los Angeles (costa oeste).

Handout

David e Louise Anna Turpin podem ser condenados a 100 anos de prisão

A adolescente, que estava “um pouco magra” e parecia ter dez anos, de acordo com o comunicado da polícia, “afirmou que os 12 irmãos e irmãs tinham sido presos no interior da residência pelos pais e que alguns deles estavam acorrentados”.

Inicialmente, a polícia julgava que as 12 pessoas encontradas “subnutridas e muito sujas” eram todas menores de idade, mas percebeu que sete são adultas, com idades entre os 18 e os 29 anos. Seis das vítimas, incluindo a adolescente que alertou as autoridades, são menores. Entre elas há um bebé de dois anos.

Os agentes detiveram David Allen Turpin, de 57 anos, e a mulher, Louise Anna, de 49, que não explicaram porque é que as crianças foram encontradas acorrentadas a camas, no escuro e no meio de um odor pestilento.

Turpin é o diretor de uma escola privada em Perris, a Sandcastle Day School, que abriu em 2011, de acordo com um site do departamento de Educação dos Estados Unidos.

  ZAP //

Deixe o seu comentário

Your email address will not be published.

PUBLICIDADE
PUBLICIDADE