Pais, alunos e professores manifestam-se quinta-feira contra falta de docentes

Julien Lagarde / Flickr

-

Pais, alunos, professores e funcionários vão manifestar-se quinta-feira em frente às escolas onde continuam a faltar professores, cinco semanas depois de terem começado as aulas, anunciaram hoje responsáveis pela iniciativa.

Numa conferência de imprensa realizada hoje em frente à escola básica Pedro Santarém, em Lisboa, professores, pais e elementos da associação de pais daquela escola alertaram para a “mais caótica abertura de ano letivo de que há memória”.

Na escola básica Pedro Santarém, por exemplo, “continuam a faltar 23 professores: três do 1.º ciclo, uma docente do jardim-de-infância e os restantes do 2.º e 3.º ciclo”, disse Patrícia Henriques, da associação de pais daquele estabelecimento de ensino.

Sem professores, os alunos do 1.º ciclo viram chegar à escola um monitor disponibilizado pela junta de freguesia e depois acabaram por ser “transferidos” para as salas de aula dos outros meninos, contou por seu turno, Carla Semeão, também da associação de pais.

Já no caso dos alunos do 2.º e 3.º ciclo, a situação “ainda é mais caricata: temos meninos que vinham às 8h30 da manhã para ter uma aula e depois às 9h30 regressavam para casa, porque não tinham mais professores para dar as restantes aulas”, criticou Patrícia Henriques.

“Esta é a mais caótica abertura de ano letivo de que há memória”, lamentou Patrícia.

“Nunca houve nada desta dimensão”

Mesmo ali ao lado, no agrupamento de escolas da Quinta de Marrocos a situação repete-se, segundo os relatos do professor Manuel Grilo.

“Falta um professor do 1.º ciclo e vários do 2.º e 3.º ciclo. Há sempre problemas no arranque do ano, mas nunca houve nada desta dimensão. Nunca houve tantos alunos sem aulas e tantos professores sem escola”, criticou Manuel Grilo, que dá aulas naquela escola desde 2000.

Belardina Vaz, que é professora precária desde 1999, conseguiu este ano um horário de 14 horas na escola D. Pedro V, em Lisboa.

Todos os dias, desde que começaram as aulas, chega à escola e vê alunos sem aulas, por falta de professor de História, a disciplina que ministra. “Acho incrível que eu esteja ali com um horário reduzido e a direção da escola não me possa requisitar para dar aulas aos alunos que estão sem professor há cinco semanas”, criticou a docente.

Para estes professores e pais, o problema poderia ser facilmente resolvido: “Bastava o ministério decidir preencher as vagas colocando os professores pela lista de graduação nacional e o problema resolvia-se em dois dias”, defendeu Belardina Vaz, acrescentando que os professores já colocados deverão manter-se ao serviço e os que foram erradamente colocados deverão ficar para reforçar as necessidades das escolas.

Na quinta-feira, os pais e professores vão manifestar-se entre as 19h30 e as 20h30 em frente às escolas onde ainda há problemas e estão a apelar a que os manifestantes coloquem fotos da contestação na página de Facebook.

Já aderiram ao protesto, o professor Santana Castilho, o presidente da Associação Nacional de Professores Contratados (ANVPC), Arlindo Ferreira, autor do blogue de Ar Lindo, Paulo Guinote, do blogue A Educação do Meu Umbigo, dirigentes sindicais e representantes de associações de pais.

/Lusa

PARTILHAR

RESPONDER

Tribunal rejeita providência cautelar requerida pela Ordem dos Enfermeiros contra ministério

O Tribunal Administrativo do Círculo de Lisboa rejeitou a providência cautelar pedida pela Ordem dos Enfermeiros (OE) contra o Ministério da Saúde no processo de sindicância à OE, anunciou esta segunda-feira o Governo. Em comunicado, o …

Paraísos fiscais. Portugal transferiu 672 milhões em 2018

Os bancos a operar em Portugal transferiram 672 milhões de euros no ano passado para territórios que constavam das listas de offshores problemáticos da União Europeia. Em 2018, os bancos a operar em Portugal transferiram 672 …

Discurso da Rainha. Entre crime, saúde e imigração, o Brexit foi destaque

Várias propostas de lei relacionadas com o Brexit destacam-se no programa do governo britânico para os próximos meses apresentado esta segunda-feira pela rainha Isabel II no parlamento, o qual inclui a implementação de um eventual …

Conservadores polacos vencem legislativas com maioria absoluta

Os conservadores nacionalistas no poder na Polónia venceram as eleições legislativas com 45,16% dos votos, de acordo com os resultados oficiais que se referem à contagem de 82,79% das circunscrições. O partido conservador eurocético Lei e …

Ambulâncias rejeitadas no Hospital de Setúbal por sobrelotação das urgências

Ambulâncias que chegavam ao Hospital de São Bernardo, em Setúbal, durante a tarde de domingo, foram encaminhadas para outros hospitais. As urgências do centro hospitalar estavam sobrelotadas. Entre as 12h e as 16h30 deste domingo, o …

Professores regressam à greve ao trabalho extraordinário

A paralisação poderá comprometer as avaliações intercalares dos alunos, alertam os sindicatos que pedem o cumprimento do horário de 35 horas semanais. A greve dos professores ao trabalho extraordinário regressa esta segunda-feira às escolas, sem data …

Caos na Síria. Bombardeamentos turcos levam à fuga de centenas de militantes do Daesh presos

Cerca de 800 militantes do Daesh fugiram neste domingo da prisão de Ain Issa, de acordo com a administração autónoma curda, que acusa a Turquia de ter dado “cobertura aérea” para que a fuga fosse …

Supremo Tribunal espanhol reativa mandado de detenção europeu contra Puigdemont

Um juiz do Supremo Tribunal de Justiça espanhol, Pablo Llarena, aceitou o pedido do Ministério Público e reativou o mandado de detenção europeu para a extradição de Carles Puigdemont. O ex-Presidente do governo regional da Catalunha …

A partir de agora, os saldos têm mesmo que ser saldos

Já estão em vigor as alterações à lei relativa aos saldos e promoções. As novas normas definem que um produto vendido em saldo ou promoção não pode ter um preço mais alto do que o …

Marcelo Rebelo de Sousa critica "instrumentalização do medo" pelo poder

O Presidente da República, Marcelo Rebelo de Sousa, disse hoje haver demasiados poderes com medo que o medo acabe, considerando a "instrumentalização do medo" para acorrentar os outros como um problema na ordem do dia. “Há …