Os pássaros vivem. Os sapos não. Investigadores preveem que animais sobrevivem às alterações climáticas

De acordo com os biólogos, os mamíferos de sangue quente e os pássaros terão mais facilidade do que os anfíbios e répteis a sobreviver às alterações climáticas.

Enquanto o nosso planeta continua a aquecer mais rapidamente do que o nosso almoço, os investigadores identificaram outra consequência prejudicial das alterações climáticas.

Não só a temperatura do nosso planeta está em completa desordem, como algumas espécies podem ter mais dificuldades em adaptar-se do que outras, potencialmente adulterando a balança da biodiversidade da Terra para sempre.

Um estudo sobre o assunto foi publicado na segunda-feira na revista Nature Ecology & Evolution.

Os investigadores da University of British Columbia, no Canadá, observaram os dados da atual distribuição dos animais, assim como o registo de fósseis e informações filo-genéticas de 11,465 espécies diferentes e reconstruiram com precisão o local exato onde cada espécie viveu e sob que temperaturas, durante os últimos 270 milhões de anos.

Assim, os cientistas descobriram que os animais endotérmicos, como os mamíferos e pássaros, conseguiram espalhar-se pelo planeta, e migrar para ambientes mais frios. Este facto torna-os mais propensos a sobreviver aos efeitos das alterações climáticas do que os seus pares ectotérmicos: os répteis e anfíbios.

O raciocínio baseia-se em três qualidades distintas que os mamíferos endotérmicos têm face às espécies ectotérmicas.

Em primeiro lugar, os pássaros e mamíferos têm limites climáticos mais amplos, o que significa que serão aptos a sobreviver numa maior variedade de ambientes. Em segundo lugar, os animais endotérmicos têm uma capacidade de dispersão maior. Ou seja, conseguem viajar por lugares inadequados para habitat. Por último, os investigadores identificaram que os endotérmicos são capazes de aquecer os seus embriões em desenvolvimentos e alimentá-los.

Por outro lado, os ectotérmicos não mostraram qualquer capacidade de se adaptar a climas a que não estejam habituados, potencialmente devido à sua fisiologia. Enquanto os mamíferos e pássaros vão ser capazes de auto-regular as suas temperaturas, os sapos e répteis não. E os seres humanos?

“O Homo Sapiens é apenas uma espécie endotérmica e uma espécie muito jovem (com apenas um milhão de anos), de modo que a conclusão do padrão geral pode não se aplicar a esta espécie em particular”, disse ao Alphr Jonathan Rolland, o autor do estudo.

“Uma potencial aplicação do nosso resultado nos humanos é provavelmente que a aquisição da endotermia na evolução pode ajudar todos os mamíferos (e provavelmente também todas as linhagens ancestrais que levem aos hominídeos) para sobreviver melhor após as alterações climáticas”.

E o que podem os Homo Sapiens aprender com os pássaros e mamíferos para sobreviver ao aquecimento global? Apesar de Rolland admitir não ser especialista na área, acredita que, ironicamente, a resposta pode estar na biodiversidade.

“Eu acredito que preservar a biodiversidade vai ajudar os humanos, porque confiamos em ecossistemas eficientes que funcionam para os nossos recursos e isso só pode acontecer se uma parte substancial da biodiversidade for conservada”, explicou Rolland.

“Conservar algumas espécies vai ajudar a conservar alguma estabilidade na cadeia alimentar e, em último plano, permitir-nos manter um tamanho populacional razoável ao longo do tempo”. É um plano apropriado, apesar de as coisas já não parecerem estar em muito bom estado no que toca à biodiversidade.

De acordo com o Centro de Saúde e do Meio Ambiente Global de Harvard, as alterações climáticas ameaçarão 25% das espécies na terra e na água com extinção, se estas falharem a adaptar-se às mudanças de temperatura do mundo.

ZAP //

PARTILHAR

RESPONDER

Marques Vidal diz que hipótese de recondução nunca lhe foi colocada

Joana Marques Vidal, atual procuradora geral da República, disse nesta sexta-feira que a hipótese de recondução para um novo mandato nunca lhe foi colocada, revelando ainda que só soube da decisão ontem à noite. Em reação …

Universidade de Lisboa vai ter de devolver milhares em propinas de bolseiros

A Universidade de Lisboa vai ter de devolver milhares de euros em propinas cobradas ao longo de dois anos a estudantes de doutoramento que tinham uma bolsa de estudo atribuída pela instituição de ensino. A Universidade …

94 mortos e dezenas de desaparecidos em naufrágio na Tanzânia

Pelo menos 94 pessoas morreram num naufrágio de uma embarcação, na Tanzânia, que transportava cerca de 400 pessoa. O balanço inicial dava conta de 79 mortes e dezenas de desaparecidos. De acordo com as equipas de …

Nem extraterrestres, nem espiões. FBI explica porque encerrou Observatório Solar

O Observatório Solar do Novo México, nos EUA, esteve encerrado durante 11 dias, sem se saber porquê. Depois dos rumores de extraterrestres ou de espionagem, descobre-se que, afinal, o fecho se deveu a uma investigação do …

Finanças confirmam fim da proibição dos prémios de desempenho

O Governo confirmou que vai eliminar no Orçamento do Estado para 2019 algumas normas para a função pública, como a proibição de atribuir prémios de desempenho ou a possibilidade de progressões na carreira por opção …

Taxista mantêm protesto até reunião em Belém. "Resistir, resistir, resistir"

As duas faixas 'Bus' da Avenida da Liberdade, em Lisboa, continuavam esta sexta-feira de manhã, pelo terceiro dia consecutivo, preenchidas com táxis em protesto contra a entrada em vigor da lei que regula as plataformas …

Criatura "alienígena" encontrada numa praia na Nova Zelândia

Uma família neozelandesa passeava ao longo de uma praia no norte de Auckland quando encontraram uma bizarra criatura em forma de bolha e vermelha. A criatura, que acabou por ser identificada como uma espécie específica de …

Presidente do Vietname morreu aos 61 anos

O Presidente do Vietname, Tran Dai Quang, figura conservadora do regime comunista, morreu esta sexta-feira aos 61 anos vítima de doença prolongada, informou a agência estatal de notícias VNA. “O presidente Tran Dai morreu no hospital …

Passos Coelho diz que faltou "decência" para justificar saída de Joana Marques Vidal

O ex-primeiro-ministro Pedro Passos Coelho disse que faltou "decência" para "assumir com transparência" os motivos que levaram à substituição de Joana Marques Vidal como procuradora-geral da República (PGR). “Nestes anos de mandato, que a Constituição determina …

Fazer omeletes sem ovos. O futuro da alimentação tem uma mão portuguesa

Há quem lhe chame carne artificial, carne celular ou até carne de laboratório, mas a verdade é que este tipo de carnes sintetizadas estão cada vez mais perto de se tornarem uma realidade na nossa …