Oposição israelita pedirá dissolução do parlamento e novas eleições

Brookings Institution / Flickr

O líder do Yesh Atid, partido da oposição israelita, Yair Lapid

O líder da oposição israelita, Yair Lapid, anunciou na segunda-feira que apresentará na próxima semana uma iniciativa para dissolver o Knesset (parlamento) e convocar eleições, num contexto de tensão na coligação governamental, noticiou a agência Lusa.

O anúncio de Lapid surge um dia depois do ministro da Defesa, Benny Gantz, parceiro de coligação do governo de Benjamin Netanyahu, anunciar a criação de uma comissão para investigar a alegada compra irregular de submarinos alemães, que envolve próximos do primeiro-ministro.

Numa reunião do seu partido, o Likud, o primeiro-ministro classificou de “cinismo” a abertura da investigação, considerando “vergonhoso que Gantz esteja a utilizar o exército como uma arma política”.

“A 02 de dezembro, na próxima quarta-feira, apresentaremos a votação uma iniciativa para dissolver o Knesset. Não vamos retirá-la no último minuto. Não vamos negociar, a lei será colocada a votação. É hora de eleições”, indicou Lapid através do Twitter.

O líder do partido Yesh Atid acusou o governo de ser “uma coleção de políticos que só se preocupam com eles próprios. Com os seus empregos. Com as suas lutas miseráveis”.

Lapid criticou o facto de “num momento de crise económica e sanitária” o governo estar submerso em confusão e ser “corrupto, mimado, incapaz de gerir seja o que for”, apelando para que 2 de dezembro seja um “momento de verdade” e se acabe com “o pior governo da história do Estado”.

Gantz e Netanyahu passaram de rivais a parceiros de governo em maio, mas as divergências não têm faltado e o orçamento ainda não foi aprovado por falta de acordo. A aliança entre ambos levou Lapid a abandonar a coligação centrista Azul e Branco, liderada por Gantz, e a passar para a bancada da oposição.

Num encontro com o seu partido, Gantz descartou esta segunda-feira apoiar a dissolução do parlamento. “Não tenho medo de eleições. Simplesmente não creio que sejam o que o país necessita neste momento e continuarei a fazer tudo o que possa por este governo”, disse ainda.

A abertura da investigação ao caso dos submarinos por parte do Ministério da Defesa surge depois de no mês passado ter sido bloqueada a criação de uma comissão no parlamento após uma desavença entre membros do governo.

A polícia israelita suspeita que responsáveis civis e militares tenham recebido subornos pela compra de submarinos ao grupo ThyssenKrupp, que ascendeu a cerca de dois mil milhões de dólares (1,6 mil milhões de euros). Entre os alegadamente envolvidos estão David Shimron, primo e advogado pessoal do primeiro-ministro israelita, e Yitzhak Moljo, negociador-chefe e enviado pessoal de Netanyahu na última década.

// Lusa

PARTILHAR

RESPONDER

A polícia holandesa achava que tinha em mãos o mafioso mais procurado da Europa. Afinal, era só um fã de F1

Um homem de Liverpool de 54 anos pensava que o grande evento da sua viagem aos Países Baixos seria assistir ao Grande Prémio de Fórmula 1, mas acabou detido numa prisão de alta segurança por …

Cobertura global de corais caiu para metade desde 1950, revela relatório

A cobertura global de recifes de coral caiu para metade desde 1950, cenário originado pelo aquecimento global, pesca excessiva, poluição e destruição de habitats naturais, revelou uma análise divulgada esta sexta-feira. Desde a Grande Barreira de …

O sonho de Christo concretizou-se, 60 anos depois. O Arco do Triunfo foi embrulhado como um presente

Já desde o início dos anos 60 que Christo imaginava como seria cobrir o Arco do Triunfo em tecido. A sua visão foi finalmente concretizada e pode ser visitada entre 18 de Setembro e 3 …

Holanda. Ministra da Defesa renuncia devido à crise de evacuação do Afeganistão

Após a ministra das Relações Externas holandesa, Sigrid Kaag, renunciar devido ao desastre da evacuação do Afeganistão, esta sexta-feira foi a vez da ministra da Defesa, Ank Bijleveld. Segundo relatou o Guardian, acredita-se que os ministros …

Tribunal da África do Sul recusa anular pena de prisão do ex-Presidente Jacob Zuma

O mais alto tribunal da África do Sul rejeitou o pedido do ex-Presidente Jacob Zuma para anular a sua sentença de 15 meses de prisão por não comparecer a uma sessão de inquérito por corrupção. Em …

EUA. Advogado planeou o próprio assassinato para o filho receber seguro. Foi detido por fraude

Um influente advogado norte-americano, cuja esposa e um dos filhos foram assassinados, foi acusado de fraude contra uma empresa de seguros e falso testemunho por organizar o seu próprio assassinato. Segundo avançou a agência France-Presse, …

Norberto Mourão conquista bronze nos Mundiais de canoagem adaptada

Norberto Mourão já tinha conquistado o bronze nos Jogos Paralímpicos de Tóquio e junta agora mais uma medalha à colecção, desta vez nos Mundiais de canoagem adaptada. O atleta de canoagem adaptada Norberto Mourão conquistou hoje …

Caso George Floyd. Polícia condenado a 22 anos de prisão pode ver a sentença revertida

A intervenção do Supremo Tribunal do Minnesota num outro caso de violência policial para reduzir a pena de um agente pode abrir um precedente para que haja alterações na sentença de Derek Chauvin. Segundo avança a …

Futebol português contra Campeonato do Mundo de dois em dois anos

O futebol português está contra a intenção da FIFA de aumentar a periodicidade do Campeonato do Mundo, passando de quatro para de dois em dois anos, refere um comunicado conjunto divulgado hoje. O documento, assinado pela …

Governo quer proibir empresas de recorrer ao 'outsourcing' após despedimento coletivo

O Governo quer proibir as empresas que façam despedimentos coletivos de recorrerem ao 'outsourcing' (contratação externa) durante os 12 meses seguintes, disse hoje a ministra do Trabalho, Solidariedade e Segurança Social, Ana Mendes Godinho. No final …