Oposição israelita pedirá dissolução do parlamento e novas eleições

Brookings Institution / Flickr

O líder do Yesh Atid, partido da oposição israelita, Yair Lapid

O líder da oposição israelita, Yair Lapid, anunciou na segunda-feira que apresentará na próxima semana uma iniciativa para dissolver o Knesset (parlamento) e convocar eleições, num contexto de tensão na coligação governamental, noticiou a agência Lusa.

O anúncio de Lapid surge um dia depois do ministro da Defesa, Benny Gantz, parceiro de coligação do governo de Benjamin Netanyahu, anunciar a criação de uma comissão para investigar a alegada compra irregular de submarinos alemães, que envolve próximos do primeiro-ministro.

Numa reunião do seu partido, o Likud, o primeiro-ministro classificou de “cinismo” a abertura da investigação, considerando “vergonhoso que Gantz esteja a utilizar o exército como uma arma política”.

“A 02 de dezembro, na próxima quarta-feira, apresentaremos a votação uma iniciativa para dissolver o Knesset. Não vamos retirá-la no último minuto. Não vamos negociar, a lei será colocada a votação. É hora de eleições”, indicou Lapid através do Twitter.

O líder do partido Yesh Atid acusou o governo de ser “uma coleção de políticos que só se preocupam com eles próprios. Com os seus empregos. Com as suas lutas miseráveis”.

Lapid criticou o facto de “num momento de crise económica e sanitária” o governo estar submerso em confusão e ser “corrupto, mimado, incapaz de gerir seja o que for”, apelando para que 2 de dezembro seja um “momento de verdade” e se acabe com “o pior governo da história do Estado”.

Gantz e Netanyahu passaram de rivais a parceiros de governo em maio, mas as divergências não têm faltado e o orçamento ainda não foi aprovado por falta de acordo. A aliança entre ambos levou Lapid a abandonar a coligação centrista Azul e Branco, liderada por Gantz, e a passar para a bancada da oposição.

Num encontro com o seu partido, Gantz descartou esta segunda-feira apoiar a dissolução do parlamento. “Não tenho medo de eleições. Simplesmente não creio que sejam o que o país necessita neste momento e continuarei a fazer tudo o que possa por este governo”, disse ainda.

A abertura da investigação ao caso dos submarinos por parte do Ministério da Defesa surge depois de no mês passado ter sido bloqueada a criação de uma comissão no parlamento após uma desavença entre membros do governo.

A polícia israelita suspeita que responsáveis civis e militares tenham recebido subornos pela compra de submarinos ao grupo ThyssenKrupp, que ascendeu a cerca de dois mil milhões de dólares (1,6 mil milhões de euros). Entre os alegadamente envolvidos estão David Shimron, primo e advogado pessoal do primeiro-ministro israelita, e Yitzhak Moljo, negociador-chefe e enviado pessoal de Netanyahu na última década.

Lusa // Lusa

PARTILHAR

RESPONDER

Inspetores do SEF rejeitam extinção sem aval do Parlamento (e dizem estar em causa o Espaço Schengen)

O sindicato dos inspetores do Serviço de Estrangeiros e Fronteiras (SEF) rejeitou este domingo a extinção daquele organismo sem a aprovação formal da Assembleia da República e considerou que está em causa a permanência de …

Testes rápidos registaram maior número de sempre. APED defende venda nos super e hipermercados

O recurso a testes rápidos de antigénio à covid-19 está a aumentar em Portugal, tendo atingido o maior número a 7 de abril, com mais de 34 mil realizados nesse dia, segundo dados do Instituto …

Francisco Rodrigues dos Santos admite que tem sido "difícil" juntar o CDS (mas "não por falta de iniciativa")

Francisco Rodrigues dos Santos, presidente do CDS-PP, afirmou, numa entrevista ao Jornal de Notícias e TSF que tem sido "difícil" conquistar a coesão do partido. Em entrevista ao Jornal de Notícias e à TSF, o líder …

Isabel dos Santos usou equipa de espiões para provar "conspiração" e "vingança" de João Lourenço

A empresária Isabel dos Santos contratou uma firma de antigos agentes secretos israelitas para provar que foi vítima de um ataque orquestrado pelo governo de João Lourenço. Isabel dos Santos criou uma equipa de espiões para …

"Perdemos o avô da nação". Morte do príncipe Filipe deixou "um grande vazio" na vida de Isabel II

A morte do príncipe Filipe, duque de Edimburgo, na sexta-feira, aos 99 anos, deixou a Rainha Isabel II, sua esposa, com "um grande vazio na sua vida", disse este domingo aos jornalistas o seu filho …

Mapa online interativo ajudou indígenas do Panamá a fazer frente à pandemia

Quando a covid-19 chegou ao Panamá no ano passado, o cartógrafo Carlos Doviaza temeu pelas pessoas indígenas da sua comunidade. Por isso, para as ajudar, dedicou-se a fazer aquilo que faz melhor: mapas. "Pensei: 'Porque não …

"A política ama traição, mas despreza o traidor". Sócrates acusa PS de "ataque injusto" (e diz-se alvo de "vingança" da direita)

"A política ama a traição, mas despreza o traidor". No livro "Só Agora Começou", que será publicado nos próximos dias, José Sócrates acusa a atual direção do PS de traição. De acordo com o Diário de …

Portugal regista mais 566 casos e seis óbitos por covid-19

Portugal registou, este domingo, mais seis mortes e 566 novos casos de infeção pelo novo coronavírus, segundo o último boletim epidemiológico da Direção-Geral da Saúde (DGS). De acordo com o último boletim da Direção-Geral da Saúde …

PS quer que Cavaco Silva diga "quando é que soube do buraco do BES"

O PS quer que o antigo Presidente da República Cavaco Silva esclareça "quando é que soube do buraco do BES" e porque é que "não agiu atempadamente" para evitar o aumento de capital, que gerou …

Perdoar o passado, celebrar o renascimento e cumprir tradições. A primavera traz o Nowruz, o ano novo persa

Assim que as flores começam a desabrochar e os dias ficam mais longos, fica claro que o Nowruz está prestes a chegar. A celebração do ano novo iraniano é secular, com raízes que remontam a …