Navio Ocean Viking atraca em Itália com 182 migrantes a bordo

Os 182 migrantes resgatados pelo navio Ocean Viking, em duas operações nos dias 17 e 18 de setembro, desembarcaram esta terça-feira em Messina, na ilha italiana da Sicília, após um acordo firmado por cinco países europeus para a realocação de migrantes.

A autorização de desembarque dada ao navio Ocean Viking pelas autoridades italianas aconteceu antes dos ministros do Interior da Alemanha, França, Itália e Malta terem assinado um princípio de acordo para uma distribuição automática dos migrantes resgatados no Mediterrâneo.

Alemanha, França, Itália e Malta foram os países, através dos respetivos ministros do Interior, que participaram numa reunião sobre migrações que decorreu na segunda-feira, na capital maltesa, La Valetta.

No encontro também estiveram presentes o ministro do Interior da Finlândia (país que assegura atualmente a presidência rotativa da UE) e o comissário europeu para as Migrações em funções, Dimitris Avramopoulos.

O documento, classificado como um “acordo de base”, será submetido à aprovação de todos os países da UE durante um conselho dos Ministros do Interior do bloco europeu agendado para o Luxemburgo a 8 de outubro, anunciaram as delegações presentes na reunião, numa conferência de imprensa conjunta.

Ainda que a solução para o Ocean Viking tenha sido alcançada antes deste pré-acordo, serviu como um teste para este mecanismo de realocação de migrantes, já que serão cinco países que acolherão os migrantes resgatados pelo navio, pertencente às organizações não-governamentais SOS Mediterranée e Médicos Sem Fronteiras (MSF), que inclui 14 crianças e um bebé de alguns dias.

Os migrantes não chegavam ao porto de Messina desde que o anterior Governo italiano aplicou uma política de portos fechados, mas com a mudança do Executivo, hoje todo o mecanismo de receção foi implantado para a chegada dos migrantes do Ocean Viking.

A nova ministra do Interior italiana, Luciana Lamorgese, que substituiu Matteo Salvini (de extrema-direita), explicou hoje alguns detalhes do acordo, que consistirá principalmente na redistribuição dos “solicitantes de asilo” que foram resgatados no Mediterrâneo Central.

Desta forma, os migrantes resgatados pelas ONG e navios militares serão distribuídos pelos países da UE antes de enviarem um pedido de asilo, que será examinado no país anfitrião, saltando assim as disposições do Tratado de Dublin.

Os outros pontos revelados por Lamorgese referem-se aos tempos para a realocação, que serão mais rápidos, e a rotação “voluntária” dos portos de desembarque.

Desde o início deste ano, apenas 13% dos 67 mil migrantes irregulares que chegaram à Europa desembarcaram em Itália e em Malta, contra os 57% registados na Grécia e os 29% em Espanha.

// Lusa

PARTILHAR

1 COMENTÁRIO

RESPONDER

Juventude Popular suspende congresso do próximo fim de semana

O XXIV Congresso da Juventude Popular, agendado para sábado e domingo, em Braga, foi suspenso e será reagendado 15 dias depois do levantamento do estado de emergência, decidiram esta terça-feira os órgãos da estrutura que …

Novo líder do Aliança reúne-se com Rui Rio (com autárquicas em cima da mesa)

Paulo Bento, recém-eleito presidente do Aliança, e Rui Rio, líder do PSD, vão encontrar-se esta quarta-feira. Em cima da mesa vão estar as eleições autárquicas do próximo ano. De acordo com o Público, o encontro destina-se …

Mais de 60% dos portugueses deixaram de ir a restaurantes. Só 33% considera que o Estado prioriza a saúde

A nível nacional, 63% dos portugueses que continuaram a ir a espaços de restauração indicaram o convívio familiar com principal motivo da deslocação. A nível dos cuidados de saúde apenas 33% dos portugueses consideram que …

Santa Casa contratou Paulo Pedroso como consultor por 3700 euros

O ex-ministro socialista Paulo Pedroso, actual director da campanha presidencial de Ana Gomes, foi contratado pela Santa Casa da Misericórdia de Lisboa (SCML) em Setembro passado, com um ordenado de 3700 euros e efeitos retroactivos …

Covid-19. Médicos devem dar prioridade a quem pode recuperar vida normal e não à idade

Os doentes que podem recuperar para uma vida normal devem ter prioridade face aos que têm baixa probabilidade de recuperação e a idade não pode por si só ser critério, recomenda um parecer do Colégio …

"Há doentes a ficar para trás". Ex-ministro da Saúde diz que mortes por falta de cuidados são inaceitáveis

O ex-ministro da Saúde Adalberto Campos Fernandes afirmou esta terça-feira que o Serviço Nacional de Saúde (SNS) está a ser exposto a um teste de stresse devido à pandemia e que não é aceitável que …

Ordem dos Médicos abre processo disciplinar a médica que divulgou receita para enganar testes à covid-19

Depois de médica divulgar receita para os possíveis infetados testarem negativo à covid-19, a Ordem dos Médicos abriu o terceiro processo contra membros do movimento que contesta o uso de máscaras - os "Médicos pela …

Aprovado alargamento das taxas agravadas do IMI e IMT para empresas em offshores

As empresas localizadas em offshore que criem um veículo para deter imóveis em Portugal vão passar a estar sujeitas a taxas agravadas de IMI e de IMT, segundo uma proposta aprovada pelo Parlamento nesta terça-feira. A …

Processo de contratação pública "é um terror" que "torna um inferno" o trabalho do Estado

O ministro das Infraestruturas, Pedro Nuno Santos, afirmou esta terça-feira que "o processo de contratação pública é um terror" que "torna num inferno" o trabalho do Estado e das empresas que fazem investimento público. "O processo …

"Não fui eu que o fiz". Nélio Lucas não se lembra de detalhes dos negócios com o FC Porto

O ex-presidente da Doyen, Nélio Lucas, disse esta terça-feira em tribunal, no âmbito do julgamento do caso Football Leaks, que não se recorda das circunstâncias e detalhes dos empréstimos que o fundo fez à SAD …