/

Obama i Teresa Guilherme ban a Miranda

A Câmara de Miranda do Douro promove de 14 a 16 de fevereiro um certame de produtos regionais com recurso a figuras icónicas da política mundial – atores, personagens bíblicas ou da história de Portugal – com falas em mirandês.

A ideia passa pela publicação de cartazes de filmes, personalidades famosas e factos da história de Portugal ou da bíblia, em situações facilmente reconhecíveis pelo público, e recriar essas situações com “falas” em mirandês.

“Estas situações têm o objetivo de promover o desejo de visitar Miranda do Douro e o Festival de Sabores. Em todas as imagens publicadas há a tentativa de criar algum humor e mesmo alguma crítica social”, disse à Lusa o presidente da Câmara de Miranda do Douro, Artur Nunes.

A campanha promocional, considerada “única e inovadora”, serve para promover a Feira dos Sabores Mirandeses, que dá destaque os produtos provenientes das raças autóctones do concelho e à peculiar cultura e língua mirandesa.

Cenas do dia-a-dia em que estão presentes personagens com Michelle e Barack Obama, Isabel II de Inglaterra, Marilyn Monroe, Al Capone, Fidel Castro, são alguns dos intervenientes, que com expressões em mirandês recheadas de humor se ” associam” à campanha “Todo mundo a Miranda“.

“Com uma mensagem simples personificada pelas pessoas ou filmes famosos, pretende-se chegar ao nosso público-alvo, desde os mais jovens aos mais idosos e ao mesmo tempo prover o conceito de visitar Miranda do Douro, numa forma inovadora de promover o nosso certame através de situações que ficam na memória das pessoas”, acrescentou o autarca.

As imagens ou cenas de filmes, fotografias de famosos (políticos ou atores) e banda desenhada estão publicadas no site do município de Miranda do Douro ou no seu Facebook.

“Esta campanha desenvolve-se somente no espaço virtual, mais concretamente, o que permite, por um lado, atingir milhares de pessoas (e de forma imediata), por outro, fazer chegar a mensagem a esses milhares de pessoas sem gastos financeiros suplementares, já que todo o processo decorre “de forma”, aspeto que não é despiciendo nos dias que correm”, explicou Artur Nunes.

No fundo, são mensagens muito breves (nunca mais de uma frase) já que os promotores estão convencidos de que o ritmo dos tempos de hoje e a predisposição da generalidade do público exige que as pessoas sejam “agarradas” ao primeiro “clic”, já “que ninguém tem paciência para grandes arrazoados”, acrescentou.

“Está também presente o desejo de `fazer diferente` no sentido de despertar a curiosidade das pessoas e, diríamos mesmo, imbuir as mensagens de alguma “provocação”, frisou.

Foram publicadas até ao momento mais de duas dezenas de imagens (ao ritmo de duas por dia) que atingiram centenas de visualizações e comentários.

Está prevista a publicação de imagens até ao dia seguinte ao do término do festival, que acontecerá a 17 de fevereiro.

/Lusa

Deixe o seu comentário

Your email address will not be published.

PUBLICIDADE
PUBLICIDADE