Número de casos da variante Ómicron em Portugal sobe para 19. Infeções diárias podem duplicar até ao Natal

4

Miguel A. Lopes / Lusa

A diretora-geral de Saúde, Graça Freitas

Diretora-geral da saúde admitiu ser a favor da vacinação das crianças, mas ressalvou que aguarda “com humildade” o parecer dos especialistas.

Graça Freiras revelou ontem, em entrevista à RTP3, que Portugal pode ver o seu número de infeções diárias de covid-19 duplicar no espaço de três semanas, um intervalo que coincidirá com o Natal. “Poderemos ter uma duplicação dos casos dentro de 26 dias”, apontou. A responsável admitiu ainda que esta subida pode ter impacto no número de internamentos e de óbitos.

Na entrevista, a diretora-geral da saúde anunciou que o número de infetados com a variante Ómicron em Portugal subiu para 19, todos no âmbito do surto registados na Belenenses SAD. Segundo Graça Freitas, “há outros casos a serem investigados“, já que neste momento há 24 casos positivos identificados no total.

A propósito desta situação, a responsável revelou que o jogador que “testou primeiro teve um primeiro teste antigénio positivo, mas todos os testes que fez posteriormente, incluindo o PCR, foram negativos“. Ainda de acordo com a responsável, o jogador que regressou de África do Sul fez dois testes PCR que deram negativos, ao contrário do auto-teste, o que provoca muita incerteza em relação ao caso, podendo não ter sido o jogador em causa a trazer a nova variante para Portugal.

A diretora-geral da saúde pediu “calma” aos portugueses relativamente à nova variante, dizendo que “não quer dizer que uma variante de preocupação venha a ser uma variante preocupante“. A responsável realçou o grande desconhecimento que existe ainda sobre a Ómicron, pelo que apela ao “princípio de responsabilidade“. “Até que a ciência nos conduza, vamos pelo princípio da precaução na saúde pública”.

Graça Freitas comentou ainda a recente polémica sobre a vacinação das crianças entre os 5 e os 11 anos, assumimdo ser “claramente a favor” da medida, apesar de a Direção Geral da Saúde aguardar “com humildade” a decisão dos especialistas, a qual, assegurou, será respeitada — apesar de estar já a ser preparado um calendário para o processo. “Não podemos estar à espera de uma decisão para pôr o mecanismo logístico a funcionar”, apontou. Se medida não for aprovada, vacinas podem ser doadas ou vendidas, explicou.

  ZAP //

4 Comments

  1. Não é possivel saber ao certo quantos casos existem de cada variante porque a esmagadora maioria dos casos não tem qualquer despistagem após um teste antigéneo positivo. O paciente, nessa situação, é colocado em isolamento e só no caso de sentir agravamento do seu estado de saúde a ponto de ser hospitalizado é que merece alguma atenção do SNS. Nesta circunstância, tanto podemos ter 19 casos como 1900.

  2. As vacinas estão a funcionar impecavelmente, estou a ver. Quanto mais o povo se vacina, mais espalha novas variantes. E mais gente tem ataques cardíacos.

    Os vossos pais nunca vos disseram para evitarem drogas e se manterem longe dos traficantes? Porque não seguiram esse conselho?

  3. Continuem a fazer jogos de Futebol à porta aberta. Os Concertos esses cancelem-nos todos, pois podemos espalhar o Covid,
    agora a PORCARIA do Futebol, que é muito importante e indispensável para que se possa fazer muita corrupção e ganhar muitos milhoes, esse NÃAAAOOO… Continuem a fazer os jogos que nós gostamos muitooooo

Deixe o seu comentário

Your email address will not be published.