/

O núcleo da Terra “comeu” partículas do primeiro vento solar

Análises de gases nobres indicam que as partículas do vento solar do Sol primordial foram encerradas no núcleo da Terra, há mais de 4,5 mil milhões de anos.

Há 4,5 mil milhões de anos, numa altura em que o Sistema Solar se estava ainda a formar, partículas do vento solar do Sol ficaram presas no núcleo da Terra, quando o nosso planeta se formou a partir de escombros espaciais.

As partículas penetraram o manto rochoso sobreposto ao longo de milhões de anos.

Uma equipa de cientistas da Universidade de Heidelberg, na Alemanha, chegou a esta conclusão depois de ter encontrado gases nobres solares num meteorito de ferro. Devido à sua composição química, estes meteoritos são frequentemente usados ​​como modelos naturais para o núcleo metálico da Terra, explica o EurekAlert.

O meteorito de ferro do condado de Washington foi encontrado há quase 100 anos no Colorado, nos Estados Unidos. É muito parecido com um disco de metal, com seis centímetros de espessura e, aproximadamente, 5,7 quilogramas.

Com a ajuda de um espectrómetro de massa de gás nobre, os cientistas determinaram que as amostras do meteorito contêm gases nobres cujas proporções isotópicas de hélio e néon são típicas do vento solar.

A equipa sugere que as partículas do vento solar no Sistema Solar primordial foram capturadas pelos materiais precursores do asteróide-pai do meteorito. Os gases nobres e as partículas terão sido dissolvidos no metal líquido a partir do qual se formou o núcleo do asteróide.

Os resultados das medições permitiram aos cientistas concluir, por analogia, que o núcleo da Terra também pode conter esses componentes de gases nobres.

Além disso, a equipa tem medido os isótopos de gás nobre solar de hélio e néon em rochas ígneas de ilhas oceânicas, como o Havai e a Reunião. Estes magmatitos derivam de uma forma especial de vulcanismo causado por plumas do manto que se elevam a milhares de quilómetros de profundidade no manto terrestre.

O seu conteúdo particularmente alto de gás solar torna-os diferentes do manto raso, representado pela atividade vulcânica das cordilheiras submarinas no meio do oceano.

As descobertas, publicadas a 14 de maio na Communications Earth and Environment, parecem confirmar a suposição de que os gases solares nobres nas plumas do manto se originam no núcleo do planeta.

  ZAP //

Deixe o seu comentário

Your email address will not be published.

PUBLICIDADE
PUBLICIDADE