Novos donos da TAP não estão disponíveis para serem sócios minoritários

Stuart Isett / Fortune Brainstorm Green

David Neeleman, dono da Azul Linhas Aéreas Brasileiras

David Neeleman, dono da Azul Linhas Aéreas Brasileiras

David Neeleman e Humberto Pedrosa, do consórcio Atlantic Gateway que comprou a TAP, estiveram esta quinta-feira reunidos com o ministro do Planeamento, Pedro Marques, para as negociações com o Governo tendo em vista a reversão da operação em favor do Estado.

Os novos donos da TAP mostraram-se indisponíveis para se tornarem sócios minoritários, com apenas 49% do capital, tal como pretende o Executivo de António Costa. “Já pagámos muita dívida, tomámos decisões nas últimas duas semanas, mais do que em todos os anos antes”, afirmou Neeleman no final do encontro.

O norte-americano explicou que foi assinado um contrato com “muitas restrições” e que a empresa vencedora do concurso pretende cumprir o acordo assinado que lhe dá 61% da transportadora aérea.

“Nós fizemos um acordo em que não podemos tirar um euro de lucro até as dívidas estarem pagas, e estamos a investir muito nessa causa”, justificou o empresário, mostrando que não é fácil negociar com os objetivos do atual Governo.

O norte-americano disse ainda que foi explicado ao Governo “todos os desafios que temos e que todo o dinheiro que colocámos e vamos colocar tem risco”. “A TAP tem uma situação difícil no Brasil e em Angola. É uma empresa que deve muito dinheiro. A TAP tem de ser salva. Estamos dia-a-dia a lutar por isso”, alertou.

Já Humberto Pedrosa deixou claro que “o Governo tem um projeto que é querer a maioria” e que os donos da TAP têm um projeto bem diferente “que não se muda de um dia para o outro”.

Questionado sobre a possibilidade de Governo e donos se entenderem, Humberto Pedrosa alertou que “isto não casa bem”, realçando que é difícil encontrar um ponto de união nos objetivos.

A reunião acontece 24 horas depois de o primeiro-ministro António Costa ter reafirmado, no seu primeiro debate quinzenal no Parlamento, que é “vital” para o Executivo “negociar na aquisição pelo Estado dos 51% do capital da TAP”.

“O Estado deve manter a maioria do capital da TAP”, defendeu o primeiro-ministro, explicando que a TAP “não é só uma companhia de aviação, é a garantia da independência nacional, da ligação do nosso território descontínuo ás comunidades emigrantes e um instrumento fundamental para economia portuguesa e para a afirmação da plataforma atlântica de Portugal”.

Para ficar com a maioria do capital da TAP, a Atlantic Gateway ofereceu 10 milhões de euros pelas acções da companhia aérea, tendo-se comprometido ainda a injectar 338 milhões de euros de capital, dos quais 150 milhões de euros entraram na empresa logo após a assinatura do contrato de compra com a Parpública.

Por agora, não está agendada mais nenhuma reunião entre o consórcio Atlantic Gateway e o Governo português.

ZAP

PARTILHAR

7 COMENTÁRIOS

  1. Pois é, aqueles que se julgam sábios, e com as santas alianças à esquerda, e com a feroz esquerdalha, o resultado só pode ser treta e mais treta e nada mais que treta, e mais não digo. …….

    • Mais treta foi a negociata da direitalha que não fez senão vender Portugal a retalho. E se você é português, não parece ou então é outro vendido a estrangeiros e/ou direitalha.

  2. Está a vista que a TAP (tal como outras empresas publicas) não prestava, apenas quando era do estado!
    Agora que os LOBOS do costume a abocanharam, não mais a largam…
    Percebe-se assim, como o anterior governo deixava afundar a empresas publicas, para depois as dar aos amigos de sempre….

    O povo é MANSO…

    • Pretenderá então dizer que foi o governo anterior que deitou abaixo a Lisnave, Setenave, Siderurgia Nacional, que fez uma reforma agrária para sacar tudo aos proprietários e pôs tudo no desemprego e abandono, que encontrou todas as transportadoras a dar lucro e as deixou a dar prejuízo entre tantos outros casos, pois pelo nome você deve ter sido importado da Argélia e está por cá há pouco tempo certamente o que tem direito a desculpa.

  3. Acaso a TAP vai mudar de nome? Vai deixar de ser portuguesa?
    Quem viaja de avião é porque pode. Não é um autocarro para transportar pessoas para o médico, para o mercado, para a escola. Nem o comboio, que deveria ter uma verdadeira função social. O Que é vital para a vida dos cidadãos é que deveria ser controlado pelo Estado, tal como o abastecimento de águas ao domicilio. Para usufruirem de bens e serviços, como água, electricidade, cuidados de saúde, transportes terrestres, os cidadãos não deveriam ter de depender da , por vezes ganância de detentores do direito de fornecer bens e serviços às populações.
    Agora, andar de avião, há muitas companhias, viaja quem quer e pode, por motivos particulares ou profissionais.
    Se alguém se prontifica a pagar as dívidas, salários e encargos e modernizar, qual é o problema, desde que se continue a chamar TAP AIR PORTUGAL ou TRANSPORTES AEREOS PORTUGUESES?
    Quais as implicações no turismo com estas teimosias?

RESPONDER

Inspetores da PJ entregam pré-aviso de greve (e fazem ultimato a Costa)

A Associação Sindical dos Funcionários de Investigação Criminal dá uma semana ao Governo para alterar estatuto profissional dos polícias, caso contrário, não desmarca a greve. A Associação Sindical dos Funcionários de Investigação Criminal (ASFIC) da Polícia …

Ministro coloca Chefe das Forças Armadas em sentido e abre-lhe a porta da saída

O ministro da Defesa desdramatiza as declarações do Chefe do Estado-Maior General das Forças Armadas (CEMGFA) que falou numa situação "insustentável". João Gomes Cravinho fala em "infelicidade na linguagem" e diz que se o CEMGFA …

Tribunal de Contas deteta falta de controlo na gestão de donativos de Pedrógão Grande

A auditoria do Tribunal de Contas detetou graves falhas nas decisões de fundo gerido pelo Estado, destinado à reconstrução das casas em Pedrógão Grande. A auditoria do Tribunal de Contas ao Fundo Revita - criado pelo …

Vingança pode ter motivado o atentado ao estúdio de animação no Japão

O autor do atentado ao estúdio de animação em Quioto terá dado a entender às autoridades que agiu por vingança quando lançou o incêndio que levou à morte de 33 pessoas. Segundo as fontes da Jiji …

Presidente da TAP fala em "fake news" sobre os enjoos nos aviões A330neo

Apesar de ter admitido os relatos de enjoos, o presidente da TAP, Antonoaldo Neves, disse que ainda não foi comprovada a correlação com os cheiros estranhos detetados. O presidente executivo da TAP falou esta quinta-feira por …

Iniciativa Liberal defende taxa única de IRS e liberdade de escolha da escola

Esta é a primeira vez que o partido concorre a umas eleições legislativas e, em declarações à agência Lusa, o presidente do partido e cabeça-de-lista pelo círculo do Porto, Carlos Guimarães Pinto, destacou algumas das …

Depois do veto de Marcelo, PSD chumba lei do lóbi

O grupo parlamentar do PSD vai votar conta as propostas de alteração do CDS e PS à lei do lóbi, fazendo cair o diploma. A 7 de junho, data da aprovação da lei do lóbi no …

Bloco defende fim das propinas na próxima legislatura

O Bloco de Esquerda vai propor o fim das propinas durante a próxima legislatura, anunciou esta quinta-feira, em Coimbra, a coordenadora nacional do partido, Catarina Martins, que defendeu também o financiamento plurianual para as universidades. “O …

Neto de Moura também processou outros juízes

O juiz Neto de Moura apresentou uma participação crime contra os juízes do Tribunal de Loures que absolveram um agente da PSP num processo apresentado pelo magistrado em 2012. Após os polémicos acórdãos sobre casos de …

PCP incita Parlamento a condenar ciganofobia do PAN

O grupo parlamentar do PCP apresentou um voto de condenação no Parlamento, que será votado esta sexta-feira, sobre a “atitude discriminatória e xenófoba” de uma representante do PAN para com a comunidade cigana na Moita, …