Novo confinamento pode comprometer contas de Leão (e pôr em xeque a metáfora da luz ao fundo do túnel)

Nuno Fox / Lusa

O ministro das Finanças, João Leão

O Orçamento do Estado para 2021 permitiu “ver a luz ao fundo do túnel”, mas João Leão avisou que ainda era preciso atravessá-lo. O aumento de casos e de internamentos e o novo confinamento que aí vem intrometeram-se no caminho do ministro das Finanças, que começa o ano com uma grande incógnita.

Os números do défice e do PIB de 2020 dão uma pequena folga para este ano, que começa com incertezas e envolto de dúvidas e surpresas. A maior delas é o novo confinamento, que não estava nos planos do Governo quando desenhou o Orçamento do Estado para 2021.

O Governo aprova esta quarta-feira as medidas de confinamento geral, mas o impacto que terá na atividade económica, na despesa e na receita pública ainda é incerto.

Apesar de Leão ter garantido que o OE “tem previsto que a pandemia terá uma dimensão significativa durante o primeiro semestre todo [de 2021]”, a verdade é que o documento pode não ter sido preparado com o cenário de um novo confinamento severo em mente. Ainda assim, salvaguarda o ECO, tal não significa que será necessário um retificativo.

No ano passado, a economia portuguesa (e mundial) foi apanhada de surpresa. Uma das vantagens de 2021 prende-se exatamente como facto de o mundo viver a braços com a pandemia há quase um ano, o que sugere que a adaptação será mais fácil.

Ouvido pelo diário, o economista Pedro Braz Teixeira realçou que o aumento do comércio online, um recurso maior ao take away ou drive thru, a maior capacidade de teletrabalho, entre outros fatores, foram adaptações que a sociedade se viu obrigada a fazer e que poderão trazer benefícios.

Por outro lado, a resistência a um segundo impacto no rendimento por parte das empresas e dos cidadãos deverá ser menor, o que coloca em causa a capacidade de recuperação nos trimestres seguintes. A incerteza é, portanto, a única certeza.

O impacto orçamental significativo é inegável, mas há amortecedores a caminho, como a intervenção do Banco Central Europeu (BCE) nos mercados financeiros e as primeiras tranches europeias para a execução do Plano de Recuperação e Resiliência.

De acordo com as contas do ECO, o impacto direto nas contas do Estado do confinamento de março e abril foi de 345 milhões de euros do lado da despesa e de 319 milhões de euros do lado da receita, o que perfaz um total de 664 milhões de euros. Em maio, o valor subiu para os 951 milhões (despesa) e 868 milhões (receita), num total de 1,8 mil milhões de euros, o equivalente a menos de 1% do PIB.

Apesar de o OE2021 já conter um conjunto de apoios à economia em virtude da pandemia, permanece a dúvida sobre se estas verbas serão suficientes para ajudar a economia este ano. Ainda assim, o ECO salvaguarda que poderá haver reforços através das dotações centralizadas.

Neste início de ano, a luz ao fundo do túnel não parece assim tão percetível, mas pode não se apagar de vez.

Liliana Malainho, ZAP //

PARTILHAR

RESPONDER

Há centenas de pessoas em busca de tesouros que não existem na Índia (e a culpa é de um boato)

Moradores de pelo menos três vilas no distrito de Rajgarh, no estado indiano de Madhya Pradesh (MP), passaram a última semana à procura de um tesouro antigo que provavemente não existe. Centenas de aldeões estão a …

João Ferreira diz que Marcelo deixou jovens em situação de "vulnerabilidade" (e elogia lay-off a 100%)

João Ferreira criticou este sábado o atual Presidente da República, Marcelo Rebelo de Sousa por deixar os jovens em situação de "vulnerabilidade". O candidato presidencial João Ferreira afirmou, este sábado, que o Presidente da República, Marcelo …

Marisa Matias critica que apenas 1% do orçamentado seja gasto com cuidadores informais

Marisa Matias, candidata presidencial apoiada pelo Bloco de Esquerda, criticou este sábado que apenas tenha sido executado 1% da verba prevista no Orçamento do Estado para 2020 para os projetos-piloto dos cuidadores informais. Os atrasos e …

Ana Gomes considera "elucidativo" que Sócrates a ataque e elogie Marcelo

Ana Gomes, candidata às eleições presidenciais, considerou “elucidativo” que o antigo primeiro-ministro José Sócrates a tenha atacado e elogiado Marcelo Rebelo de Sousa. Questionada pelos jornalistas sobre o artigo de José Sócrates divulgado na sexta-feira, em …

Só pela profissão, professores "não são grupo de risco"

Graça Freitas reconheceu a importância dos professores "para o funcionamento do país", mas rejeitou considerá-los um grupo de risco esta sexta-feira. Os professores não são considerados um grupo de risco que deva ser integrado entre as …

João Leão infetado com covid-19

João Leão, ministro das Finanças, testou positivo à covid-19. O governante encontra-se assintomático e em confinamento domiciliário. O ministro de Estado e das Finanças, João Leão, testou positivo à covid-19. A informação foi adiantada este sábado …

Ricardo Salgado quer anular multa de 75 mil euros

A defesa de Ricardo Salgado recorreu ao Supremo Tribunal de Justiça para tentar anular uma decisão do Tribunal da Relação de Lisboa que confirmou uma multa de 75 mil do Banco de Portugal por causa …

Portugueses começam a votar nas Presidenciais este domingo. Há 246 mil inscritos

Os portugueses começam a votar já neste domingo, uma semana antes das eleições Presidenciais de 24 de janeiro, no chamado voto antecipado em mobilidade para que se inscreveram mais de 246 mil eleitores. As europeias e …

Maduro ofereceu oxigénio ao Amazonas (quando há venezuelanos a morrerem por falta dele)

O presidente da Venezuela, Nicolás Maduro, ofereceu oxigénio hospitalar ao Estado do Amazonas, no Brasil, para ajudar a combater a falta deste gás devido ao elevado número de casos de covid-19. Uma generosidade que está …

Pior dia da pandemia. Portugal regista 10.947 infetados e 166 mortos em 24 horas

O boletim epidemiológico da Direção-Geral da Saúde (DGS) revela que, este sábado, Portugal atingiu dois recordes num só dia. Portugal voltou a registar um novo máximo este sábado, no dia dois do novo confinamento. Nas últimas …