Novo Banco penaliza défice em 1,1%

Mário Cruz / Lusa

A presidente do Conselho de Finanças Públicas (CFP), Nazaré Costa Cabral

O Conselho das Finanças Públicas (CFP) indica que é necessário um excedente de 0,6% do Produto Interno Bruto (PIB) no segundo semestre para o Governo atingir a meta do défice de 0,1%, enviada a Bruxelas.

“Para o cumprimento da nova estimativa do Ministério das Finanças para o saldo [orçamental] em 2019 (-0,1% do Produto Interno Bruto [PIB]), o segundo semestre terá de observar um saldo das Administrações Públicas (AP) de pelo menos 0,6% do PIB“, indica o CFP no relatório sobre a Evolução orçamental até junho de 2019, hoje divulgado.

Na análise, o CFP tem em consideração a previsão do Governo para o défice este ano, de 0,1% do PIB, inscrita no Projeto de Plano Orçamental (PPO) para 2020, enviada à Comissão Europeia em 15 de outubro.

A entidade liderada por Nazaré Costa Cabral adianta que esta evolução, a concretizar-se, “corresponderia a metade do excedente orçamental verificado em igual período do ano passado”.

Em 10 de outubro, o CFP antecipou que Portugal deixasse de ter défice já este ano, conseguindo um excedente orçamental de 0,1%.

No relatório hoje divulgado, o organismo indica que, “para o conjunto do ano, os desenvolvimentos orçamentais do primeiro semestre e a informação disponível, ainda que incompleta, relativa ao terceiro trimestre permitem perspetivar o cumprimento ou superação da estimativa anual para o saldo (de -0,1% do PIB) apresentada pelo Ministério das Finanças no âmbito do PPO/2020”.

O organismo liderado por Nazaré Costa Cabral recorda que, refletindo a revisão da base estatística, divulgada pelo Instituto Nacional de Estatística (INE) em setembro, o setor das administrações públicas registou na primeira metade do ano um défice orçamental de 789 milhões de euros, correspondente a 0,8% do PIB.

O CFP recorda que este resultado reflete a recapitalização do Novo Banco que penalizou em 1.149 milhões de euros (ou seja, 1,1% do PIB semestral) a despesa pública do segundo trimestre e que, excluindo o efeito desta medida temporária e não recorrente, ter-se-ia verificado um excedente orçamental de 0,3% do PIB.

No relatório de hoje, o CFP apresenta, contudo, um conjunto de fatores e riscos que “poderão afetar ou condicionar negativamente a evolução orçamental até final do ano”, nomeadamente a “incerteza quanto à recuperação do valor remanescente da garantia concedida pelo Estado ao BPP no novo montante previsto pelo Ministério das Finanças” e os encargos associados a medidas de política de valorização salarial dos trabalhadores das Administração Públicas (AP).

A entidade especifica que está em causa, nomeadamente, a conclusão do processo de integração de trabalhadores precários e o descongelamento salarial das carreiras das AP, cuja terceira fase teve início em maio de 2019 e cuja última fase ocorrerá em dezembro deste ano.

Sobre a evolução das despesas com pessoal, o CFP indica que o aumento registado até junho “está praticamente em linha com o implícito na estimativa do Ministério das Finanças para o conjunto do ano, não obstante a despesa com ordenados e salários apresentar um ritmo mais acentuado”.

“Esta evolução poderá constituir um risco orçamental, atendendo às crescentes pressões orçamentais na segunda metade do ano decorrentes do calendário do processo de descongelamento das progressões e da medida destinada a mitigar os anos de serviço congelado em carreiras em que a progressão depende do tempo de serviço”, nota o CFP.

Como outros fatores que podem condicionar a evolução orçamental na segunda metade do ano, o CFP aponta também a continuação de pressões orçamentais em áreas setoriais, em particular nas áreas da saúde e educação e a incerteza dos resultados das medidas relativas à revisão da despesa em consumo intermédio e “outras despesas correntes”.

O CFP acrescenta, contudo, que, “é expectável que aqueles fatores venham a ser parcial ou totalmente acomodados por evoluções com impacto positivo no saldo orçamental”, com destaque para o aumento da receita fiscal e contributiva e a “menor execução de algumas rubricas da despesa, nomeadamente o consumo intermédio e o investimento, face ao inicialmente esperado”.

Quanto ao rácio da dívida pública, o CFP indica que o cumprimento da meta de 119,3% do PIB para este ano, mantida no PPO/2020, implica uma redução do rácio da dívida de 1,9 pontos percentuais do PIB no segundo semestre deste ano.

// Lusa

PARTILHAR

1 COMENTÁRIO

RESPONDER

João Mário está desiludido com o Sporting, que já procura uma alternativa ao médio

O Sporting mostra-se intransigente no preço a pagar por João Mário. O médio português está descontente e já pediu ao seu agente para procurar outro clube. Também o Sporting já estuda uma alternativa. As negociações entre …

Vídeo polémico da TAP em Espanha. Um dos directores foi suspenso e o outro saiu mais cedo

O polémico vídeo feito por dois directores da TAP em Madrid, onde falam da contratação de trabalhadores em Espanha, já levou à suspensão de um deles e à saída antecipada do outro. Entretanto, o ministro …

Arqueólogos descobriram (e partiram) um ovo com mil anos

Uma equipa de arqueólogos descobriu, na antiga zona industrial de Yavneh, em Israel, um ovo de galinha com mil anos. O ovo estava enterrado no subsolo, onde se manteve preservado durante cerca de mil anos até …

"Já estamos na quarta vaga" e Lisboa é o motor. Especialistas pedem restrições imediatas

Especialistas pedem restrições para a região de Lisboa e Vale do Tejo. Carlos Antunes defende que "já estamos na quarta vaga" e que Lisboa é o motor. Lisboa já passou o patamar dos 240 casos por …

Cessar-fogo quebrado. Israel lança ataque aéreo na Faixa de Gaza

O cessar-fogo entre Israel e Hamas foi quebrado na madrugada desta quarta-feira. Os israelitas lançaram um ataque aéreo na Faixa de Gaza depois de, segundo dizem, terem sido lançados balões incendiários a partir deste território. …

"Síndrome de Maria Antonieta". Condição que torna o cabelo branco repentinamente pode ter explicação

Os últimos meses da vida de Maria Antonieta foram extremamente desgastantes, sendo que a onda de acontecimento negros culminou com a sua morte. Os livros de história contam que este cenário fez com que a …

Von der Leyen vem a Lisboa dar "luz verde" ao PRR. Plano é “ambicioso e robusto” (e pode avançar já na próxima semana)

A presidente da Comissão Europeia, Ursula von der Leyen, vai estar hoje em Lisboa para anunciar formalmente a aprovação do Plano de Recuperação e Resiliência (PRR) de Portugal. Von der Leyen vai “entregar pessoalmente ao primeiro-ministro, …

Biden e Putin reúnem-se em Genebra em busca de relação "estável e previsível"

A Ucrânia, a Bielorrússia, o destino do opositor russo detido Alexei Navalny, e os ciberataques são os temas da cimeira e o debate prevê-se áspero e difícil. A cimeira vai decorrer na cidade suíça de Genebra …

Testes recomendados em casamentos e batizados, eventos desportivos e empresas

Os testes à covid-19 passam a ser recomendados em eventos familiares com mais de dez pessoas, como casamentos e batizados, eventos culturais e desportivos, serviços públicos e empresas, segundo a Direção-Geral da Saúde (DGS). A norma, …

"Terramotos lentos" podem ajudar a ciência a prever grandes tremores

Prever um terramoto é impossível com o conhecimento e a tecnologia atuais, mas várias pesquisas realizadas nos últimos anos permitiram aos especialistas chegar mais perto de identificar certas condições para que ocorra um abalo. Os especialistas …