Há uma nova explicação para o impacto de meteorito mais explosivo da História

Na manhã de 30 de junho de 1908, algo explodiu na Sibéria, destruindo o local pouco povoado e achatando uma área de floresta com 2.150 quilómetros quadrados ao derrubar 80 milhões de árvores. Agora, há uma nova explicação para este evento, que foi o mais explosivo alguma vez registado na História.

Relatos de testemunhas descrevem uma bola de luz brilhante, janelas partidas, a queda de argamassa e e uma detonação ensurdecedora não muito longe do rio. O evento de Tunguska – como ficou conhecido – foi posteriormente caracerizado como um meteoro explosivo, ou bólido, de até 30 megatoneladas, a uma altitude de 10 a 15 quilómetros.

O fenómeno de Tunguska de 1908 é referido como o maior impacto terrestre registado na história moderna, apesar de nunca ter sido encontrada uma cratera.

Estudos revelaram fragmentos de rocha que poderiam ter origem meteórica, mas o evento ainda é um enigma.

De acordo com um artigo recente, publicado em fevereiro na revista científica Monthly Notices of the Royal Astronomical Society, um grande asteróide de ferro a entrar na atmosfera da Terra e a percorrer o planeta a uma altitude relativamente baixa antes de voltar para o Espaço poderia ter produzido os efeitos do evento de Tunguska, produzindo uma onda de choque que devastou a superfície.

“Estudámos as condições de passagem de asteróides com diâmetros de 200, 100 e 50 metros, consistindo em três tipos de materiais – ferro, pedra e gelo de água, através da atmosfera da Terra com uma altitude de trajetória mínima no intervalo de 10 a 15 quilómetros “, explicaram os invetsigadores, liderados por  Daniil Khrennikov, astrónomo na Universidade Federal da Sibéria, citados pelo ScienceAlert.

A equipe modelou matematicamente a passagem de todas as três composições de asteróides em tamanhos diferentes para determinar se tal evento é possível.

O corpo de gelo era simples de descartar. O calor gerado pela velocidade necessária para obter a trajetória estimada tê-lo-ia derretido completamente antes de atingir a distância que os dados observacionais sugerem que tenha coberto.

O corpo rochoso também teria menos probabilidade de sobreviver. Acredita-se que os meteoros explodem quando o ar entra no corpo através de pequenas fraturas no meteoro, causando um aumento de pressão à medida que voa pelo ar em alta velocidade. Os corpos de ferro são muito mais resistentes à fragmentação do que os rochosos.

De acordo com os cálculos da equipa, o culpado mais provável é um meteorito de ferro entre 100 e 200 metros, que voou 3.000 quilómetros pela atmosfera. Nunca teria caído abaixo de 11,2 quilómetros por segundo ou abaixo de uma altitude de 11 quilómetros.

Esta teoria pode explicar a ausência de uma cratera, uma vez que o meteoro terá passado rapidamente pelo epicentro da explosão sem cair.

A falta de detritos de ferro é explicada pela alta velocidade, uma vez que o objeto ter-se-á movido muito rapidamente e seria demasiaodo quente para deixar cair muitos.Qualquer perda de massa seria pela sublimação de átomos de ferro individuais, que se pareceriam com óxidos terrestres normais.

“Nesta versão, conseguimos explicar os efeitos óticos associados a uma forte poeira das camadas altas da atmosfera sobre a Europa, o que causou um brilho intenso no céu noturno”, escreveram.

Por outro lado, este artigo tem limitações: os investigadores “não lidaram com o problema da formação de uma onda de choque”, embora as suas comparações iniciais com o meteorito de Chelyabinsk permitissem que uma enorme onda de choque ocorresse em Tunguska.

ZAP ZAP //

PARTILHAR

5 COMENTÁRIOS

  1. Por favor, corrijam:
    a) O título: não é ‘da História’, mas sim ‘da História Moderna’;
    b) A expressão ‘teria-o’.
    Obrigado.

    • Caro Martim,
      Obrigado pelos reparos.
      a) Como dizemos no texto, este foi o meteorito mais explosivo “alguma vez registado na História”; em rigor, tem razão, mas consideramos que o título é uma aproximação aceitável.
      b) Expressão corrigida.

    • O maior teria sido o que provocou a destruição dos dinossauros, mas não há registo histórico, logo, não conta para esta estatística.

RESPONDER

Os humanos foram "superpredadores" durante dois milhões de anos

Uma nova investigação revelou que os humanos foram um predador de ponta durante cerca de dois milhões de anos. Só a extinção da megafauna e o declínio das fontes de alimentos de origem animal no …

Paços de Ferreira 0-5 Benfica | Seferovic “parte tudo” na Capital do Móvel

Na noite deste sábado, o Benfica somou o sétimo triunfo consecutivo no campeonato, ao golear o Paços de Ferreira por 5-0, num embate relativo à 26.ª jornada do campeonato. A equipa de Jorge Jesus, que acabou …

Após terramotos e deslizamentos, a "cidade moribunda" de Itália ainda resiste no topo de uma montanha

Chamar-se a si mesmo de "Cidade Moribunda" pode não parecer a melhor forma de atrair turistas, mas Civita, em Itália, aprendeu a viver com o facto de estar a morrer. Há vários séculos, a cidade …

"Alexa, estou com calor." Já é possível controlar o ar condicionado de um Lamborghini apenas com a voz

A Amazon está a dar um grande passo na indústria automóvel ao integrar a Alexa no Huracán EVO da Lamborghini, não apenas para fazer perguntas, mas dando ao assistente virtual a capacidade de controlar as …

Nova tecnologia pode enviar luz solar para o subsolo

Investigadores da Universidade Tecnológica de Nanyang, na Singapura, inventaram um novo dispositivo que pode ajudar o país a iluminar a sua crescente infraestrutura subterrânea. A Singapura é um dos países que tem apostado cada vez mais …

Livro lança "caça ao tesouro" a urna de ouro oferecida por Inglaterra a França antes da Entente Cordiale

Um novo enigma literário está prestes a chegar às estantes de livros com uma recompensa incomum. Pistas em "The Golden Treasure of the Entente Cordiale" podem levar leitores no Reino Unido e França a um …

Para evitar casos de burnout, LinkedIn deu uma semana de férias aos quase 16 mil funcionários

O LinkedIn decidiu dar uma semana de férias (remunerada), que começou esta segunda-feira, a todos os seus funcionários espalhados pelo mundo. O objetivo? Desconectar, recarregar baterias e prevenir casos de burnout.  "Queríamos ter a certeza de …

Pequenos nadadores-robô curam-se a si próprios (e em movimento)

Uma equipa de investigadores da American Chemical Society desenvolveu pequenos robôs nadadores que conseguem curar-se a si mesmos magneticamente. O tecido vivo pode curar-se autonomamente de muitos ferimentos, mas fornecer habilidades semelhantes a sistemas artificiais, como …

Tondela 0-2 FC Porto | Missão cumprida com serviços mínimos

Missão cumprida. O FC Porto fez poupanças no jogo com o Tondela, mas levou os três pontos para casa, graças a um triunfo por 2-0. Os “dragões” foram claramente superiores no primeiro tempo, marcaram por Toni …

Portugal pode atingir linha vermelha dos 120 novos casos por 100 mil habitantes em dois meses

Portugal pode atingir uma taxa de incidência de de 120 casos por 100 mil habitantes daqui a dois ou mais meses se se mantiver o atual ritmo de crescimento deste indicador. Esta é a conclusão de …