Há uma nova explicação para o impacto de meteorito mais explosivo da História

Na manhã de 30 de junho de 1908, algo explodiu na Sibéria, destruindo o local pouco povoado e achatando uma área de floresta com 2.150 quilómetros quadrados ao derrubar 80 milhões de árvores. Agora, há uma nova explicação para este evento, que foi o mais explosivo alguma vez registado na História.

Relatos de testemunhas descrevem uma bola de luz brilhante, janelas partidas, a queda de argamassa e e uma detonação ensurdecedora não muito longe do rio. O evento de Tunguska – como ficou conhecido – foi posteriormente caracerizado como um meteoro explosivo, ou bólido, de até 30 megatoneladas, a uma altitude de 10 a 15 quilómetros.

O fenómeno de Tunguska de 1908 é referido como o maior impacto terrestre registado na história moderna, apesar de nunca ter sido encontrada uma cratera.

Estudos revelaram fragmentos de rocha que poderiam ter origem meteórica, mas o evento ainda é um enigma.

De acordo com um artigo recente, publicado em fevereiro na revista científica Monthly Notices of the Royal Astronomical Society, um grande asteróide de ferro a entrar na atmosfera da Terra e a percorrer o planeta a uma altitude relativamente baixa antes de voltar para o Espaço poderia ter produzido os efeitos do evento de Tunguska, produzindo uma onda de choque que devastou a superfície.

“Estudámos as condições de passagem de asteróides com diâmetros de 200, 100 e 50 metros, consistindo em três tipos de materiais – ferro, pedra e gelo de água, através da atmosfera da Terra com uma altitude de trajetória mínima no intervalo de 10 a 15 quilómetros “, explicaram os invetsigadores, liderados por  Daniil Khrennikov, astrónomo na Universidade Federal da Sibéria, citados pelo ScienceAlert.

A equipe modelou matematicamente a passagem de todas as três composições de asteróides em tamanhos diferentes para determinar se tal evento é possível.

O corpo de gelo era simples de descartar. O calor gerado pela velocidade necessária para obter a trajetória estimada tê-lo-ia derretido completamente antes de atingir a distância que os dados observacionais sugerem que tenha coberto.

O corpo rochoso também teria menos probabilidade de sobreviver. Acredita-se que os meteoros explodem quando o ar entra no corpo através de pequenas fraturas no meteoro, causando um aumento de pressão à medida que voa pelo ar em alta velocidade. Os corpos de ferro são muito mais resistentes à fragmentação do que os rochosos.

De acordo com os cálculos da equipa, o culpado mais provável é um meteorito de ferro entre 100 e 200 metros, que voou 3.000 quilómetros pela atmosfera. Nunca teria caído abaixo de 11,2 quilómetros por segundo ou abaixo de uma altitude de 11 quilómetros.

Esta teoria pode explicar a ausência de uma cratera, uma vez que o meteoro terá passado rapidamente pelo epicentro da explosão sem cair.

A falta de detritos de ferro é explicada pela alta velocidade, uma vez que o objeto ter-se-á movido muito rapidamente e seria demasiaodo quente para deixar cair muitos.Qualquer perda de massa seria pela sublimação de átomos de ferro individuais, que se pareceriam com óxidos terrestres normais.

“Nesta versão, conseguimos explicar os efeitos óticos associados a uma forte poeira das camadas altas da atmosfera sobre a Europa, o que causou um brilho intenso no céu noturno”, escreveram.

Por outro lado, este artigo tem limitações: os investigadores “não lidaram com o problema da formação de uma onda de choque”, embora as suas comparações iniciais com o meteorito de Chelyabinsk permitissem que uma enorme onda de choque ocorresse em Tunguska.

ZAP //

PARTILHAR

5 COMENTÁRIOS

  1. Por favor, corrijam:
    a) O título: não é ‘da História’, mas sim ‘da História Moderna’;
    b) A expressão ‘teria-o’.
    Obrigado.

    • Caro Martim,
      Obrigado pelos reparos.
      a) Como dizemos no texto, este foi o meteorito mais explosivo “alguma vez registado na História”; em rigor, tem razão, mas consideramos que o título é uma aproximação aceitável.
      b) Expressão corrigida.

    • O maior teria sido o que provocou a destruição dos dinossauros, mas não há registo histórico, logo, não conta para esta estatística.

Responder a ZAP Cancelar resposta

Aeronave autónoma é uma alternativa acessível aos satélites (e já fez o seu primeiro voo)

A empresa Swift Engineering, em parceria com o Ames Research Center, da NASA, desenvolveu uma alternativa acessível aos satélites: uma aeronave autónoma de alta altitude e longa resistência. Já nasceu a alternativa acessível aos satélites: chama-se …

Reservas naturais chinesas salvaram os pandas da extinção (mas "esqueceram-se" dos leopardos)

Uma nova investigação revela que os esforços da China para salvar os pandas gigantes foram bem sucedidos, mas os mesmos falharam na proteção de outros animais que partilham o mesmo habitat, como é o caso …

Comunidade científica critica Trump por dizer que NASA estava "morta"

Na quarta-feira, o Presidente dos Estados Unidos (EUA), Donald Trump, afirmou no Twitter que "a NASA estava fechada e morta" até que o próprio fez com que voltasse a funcionar, afirmação que gerou consternação na …

É "bastante provável" que chegue à Europa uma Cybertruck de menores dimensões

É "bastante provável" que uma Cybertruck de menores dimensões venha a ser produzida e chegue depois ao mercado europeu, revelou Elon Musk, CEO da Tesla, empresa que produz estas pickups elétricas. Questionado na rede social …

Mais seis mortos e 131 novos casos em Portugal nas últimas 24 horas

Portugal regista hoje mais seis mortos e 131 novos casos de infeção por covid-19 em relação a sábado, segundo o boletim diário da Direção-Geral da Saúde. O número de pessoas internadas é de 366, mais nove …

"Erro" do Instagram favoreceu conteúdo de Trump face ao de Biden

Um "erro" da rede social Instagram favoreceu durante dois meses o conteúdo gerado pela campanha de reeleição do atual Presidente norte-americano, Donald Trump, quando comparado com as publicações de Joe Biden, candidato democrata que está …

Fotografia partilhada nas redes sociais levou à suspensão de alunos nos Estados Unidos

Pelo menos dois alunos da North Paulding High School, no estado da Georgia, dizem ter sido suspensos depois de terem partilhado nas redes sociais uma fotografia na qual é possível ver um corredor da escola repleto …

Estado de Nova Iorque com mais mortes por Covid-19 do que França ou Espanha

Os Estados Unidos registaram 1.252 mortos e 63.913 infetados com o novo coronavírus nas últimas 24 horas, segundo uma contagem independente da Universidade Johns Hopkins. Os últimos números de casos e óbitos registados devido a Covid-19 …

Turistas voltam a viajar, mas optam pelo low-cost

Mesmo num contexto de pandemia mundial o desejo de ir de férias continua vivo. Os turistas voltaram a procurar voos, contudo as opções recaem em percursos de curta distância e mais económicos. Ao longo dos últimos …

Ventura anuncia recandidatura ao Chega e só sai do parlamento quando “metade daquela esquerda" sair

André Ventura anunciou esta noite a recandidatura à liderança do Chega, numa cerimónia em Leiria em que disse que só vai sair do parlamento “quando metade daquela esquerda sair”. “Estamos a fazer uma revolução democrática e …