NOS avança com providência cautelar contra alteração das regras do leilão 5G

José Sena Goulão / Lusa

O Presidente da Comissão Executiva da NOS, Miguel Almeida

A NOS vai avançar com uma providência cautelar contra a alteração das regras do leilão propostas pela ANACOM, no dia em que termina o prazo para as operadores responderem.

Na última quinta-feira, no 60.º dia de licitação principal, a Autoridade Nacional de Comunicações (ANACOM) anunciou que “decidiu iniciar um procedimento de alteração do respetivo regulamento” para acelerar o leilão 5G, dando até hoje, 15 de abril, aos interessados para enviar os seus contributos e sugestões.

“Vamos meter uma providência cautelar”, afirmou à agência Lusa Filipa Carvalho, administradora executiva da NOS, salientando que “não há circunstâncias excecionais que justifiquem uma mudança” de regras, nem o tema da pandemia, nem da duração do leilão, “nem o tema de que está em causa o lançamento do 5G”, porque as obrigações das operadoras “continuam iguais”.

Entre as alterações – que visam viabilizar um maior número diário de rondas – está a redução da duração das rondas (60 para 15 minutos), e/ou alargando o período diário de licitações, prevendo-se ainda a possibilidade, “se for necessário, de inibir a utilização dos incrementos mínimos que os licitantes podem escolher numa dada ronda (1% e 3%)”.

A administradora executiva apontou que há “um conjunto de erros” na atuação da ANACOM, que classificou de “leviana”. O primeiro erro é, segundo Filipa Carvalho, “a mudança das regras a meio do jogo e a violação do princípio da confiança”.

Mediante as regras que estão em vigor, as operadoras estabelecem uma estratégia de licitação. “Ao alterar as regras, altera-se a forma de jogar”, explicou.

Por exemplo, no que respeita à possibilidade proposta pelo regulador de alterar a forma de definição do preço, removendo incrementos de 1% e 3% nas licitações, isso influencia a abordagem estratégica e a negociação até agora estabelecida entre os licitantes e “altera a dinâmica de jogo“.

Estas alterações, segundo a NOS, não são menores ou pouco importantes e terão impacto no resultado do leilão.

A administradora criticou ainda a criação de “uma tensão do interesse público versus interesse privado, quando ela não existe”. Aliás, “os operadores estão do lado do interesse público”, agora “não podem é ser prejudicados naquilo que é uma dinâmica própria do leilão”. Acresce a isso o tema “das comparações erradas” dos países, apontou.

O regulador tinha afirmado, na semana passada, que a flexibilidade na determinação dos incrementos “é uma regra que tem sido usada noutros leilões de espectro, designadamente nos leilões do tipo ascendente, de múltiplas rondas, que se realizaram mais recentemente na Europa, como por exemplo na Alemanha (2018), Finlândia (2018), Itália (2018) e Eslováquia (2020)”.

Em nenhum dos quatro países citados, segundo a NOS, o regulador aumentou o incremento mínimo. Também a Altice Portugal está a “equacionar mecanismos jurídicos”, os quais podem passar por providências cautelares, de acordo com o presidente executivo.

Esta quarta-feira, numa entrevista à agência Lusa e ao Diário de Notícias, Alexandre Fonseca disse que não ficou surpreendido com a intenção da ANACOM em alterar as regras do leilão, porque esta já habituou o setor a “tirar coelhos da cartola, que são de facto pérolas únicas a nível europeu, para não dizer a nível mundial”.

“Não houve um telefonema, uma conversa” prévia, criticou o presidente da Altice Portugal, apontando que o regulador “regula sozinho, de forma autista” e “prepotente”.

“Estamos perante um leilão que se iniciou debaixo de uma cortina de suspeições com um conjunto de questões que foram alvo de processos judiciais, que ainda estão a correr a nível nacional, mas também a nível europeu, com um conjunto de regras que são únicas: sejam regras porque protegem de forma descarada os novos entrantes, seja porque privilegiam empresas que, estando já em Portugal com licenças, nunca tiraram benefícios dessas licenças nem nunca criaram condições para criar valor” com as mesmas, apontou.

O processo tem sido bastante contestado pelas operadoras históricas, envolvendo processos judiciais, providências cautelares e queixas a Bruxelas, considerando que o regulamento tem medidas “ilegais” e “discriminatórias”, o que incentiva ao desinvestimento.

ZAP ZAP // Lusa

PARTILHAR

RESPONDER

Catarina Martins defende presunção de inocência de Luís Monteiro e fala da "situação insustentável" de Cabrita

A coordenadora do BE, Catarina Martins, considerou que as denúncias de violência doméstica nunca devem ser desvalorizadas, mas defendeu a presunção de inocência do deputado bloquista Luís Monteiro. Além disso, considerou a situação de Eduardo …

Dermatologistas dizem que 90% das mortes por cancro de pele podem ser evitadas

A Associação Portuguesa de Cancro Cutâneo (APCC) alerta para o facto de 90% das mortes por cancro de pele serem evitáveis, sublinhando que os custos em tratamento para os serviços de saúde rondam os 20 …

Especialista considera possível "largar as máscaras" antes de julho. Há 85 concelhos com zero casos de covid-19

A maior parte dos concelhos em Portugal encontra-se abaixo do limiar de risco e 85 contam mesmo zero casos. Para o virologista Pedro Simas, é possível que as máscaras deixem de ser utilizadas ainda antes …

Crónica ZAP - Nota Artística por Nuno Miguel Teixeira

Belenenses e Santa Clara também têm direito a nota artística

https://soundcloud.com/nuno-teixeira-264830877/belenenses-0-2-santa-clara-o-musical-1 - Então? Numa jornada de Benfica-Sporting e de um importante Rio Ave-FC Porto, este indivíduo aborda o Belenenses-Santa Clara neste espaço? - É verdade. Por duas razões: a primeira é que fui eleita a Miss Mundo …

Joe Exotic implora que o tirem da prisão. Sofre de um cancro na próstata

A estrela de Tiger King, Joe Exotic, revelou que tem cancro de próstata e voltou a pedir a sua libertação da cadeia. Joseph Maldonado-Passage, mais conhecido por Joe Exotic, está a cumprir pena de prisão depois …

Ryanair passa de lucro a prejuízo de 815 milhões de euros no último ano

A irlandesa Ryanair revelou hoje que teve um prejuízo de 815 milhões de euros no ano fiscal terminado em 31 de março, contra um lucro de 1.002 milhões de euros no exercício anterior. Na base deste …

Mais duas mortes e 199 novos casos em Portugal. R(t) sobe para 1

Portugal registou esta segunda-feira 199 novos casos de infeção por covid-19 e mais duas mortes, segundo o boletim epidemiológico da Direção-Geral da Saúde. De acordo com o boletim epidemiológico da Direção-Geral da Saúde (DGS), nas últimas …

"Ameaça emergente". Produção de armas em casa com impressoras 3D deixa polícia em alerta

O alerta surgiu da Europol. Na Europa, estão a ser fabricadas pistolas semiautomáticas em impressoras e teme-se que o fenómeno chegue a Portugal. Os programas podem ser descarregados em plataformas na internet. Segundo avança o Jornal …

Jerónimo acusa Governo de "falta de vontade" para responder à crise

O secretário-geral do PCP, Jerónimo de Sousa, defendeu que o Governo "tem meios" e só não responde aos problemas concretos causados pela crise sanitária, por lhe "faltar a vontade", dando como exemplo a questão das …

Marcelo Rebelo de Sousa inicia visita oficial à Guiné-Bissau, 32 anos depois de Mário Soares

Marcelo Rebelo de Sousa inicia esta segunda-feira à tarde a sua primeira visita oficial à Guiné-Bissau enquanto Presidente da República, com um programa intenso, que inclui encontros institucionais, com a comunidade portuguesa e uma homenagem …