Nos anos 60, um homem tentou voar da Austrália até casa escondido numa caixa

Um galês está a tentar encontrar os dois irlandeses que, nos anos 60, o ajudaram a regressar a casa, a partir da Austrália, fechado numa caixa dentro de um avião.

Corria o ano de 1965 quando Brian Robson, natural de Cardiff, no País de Gales, mas a trabalhar na Victorian Railways, na Austrália, ficou com saudades de casa. Na altura, com apenas 19 anos, o jovem não tinha dinheiro para pagar o bilhete de avião, que custaria cerca de 700 libras (cerca de 800 euros).

Por isso, o galês teve uma ideia fora da caixa ou, neste caso, dentro dela, literalmente. Segundo conta o jornal The Guardian, Robson decidiu comprar um pequeno caixote de madeira, no qual poderia ser enviado como carga, sem que ninguém o descobrisse.

Na caixa, que tinha o tamanho de um mini frigorífico, o inglês colocou, entre outros objetos, almofadas, uma mala, um livro de canções dos Beatles e duas garrafas (uma com água e outra para a urina).

Agora, quase 60 anos depois, Robson está a tentar encontrar os dois irlandeses, que só conhecia pelos nomes Paul e John, que o ajudaram a ir para a frente com a ideia. Foi esta a dupla que o fechou dentro da caixa que foi colocada num voo da Qantas a partir de Melbourne e com destino a Londres.

“A última vez que falei com o John e o Paul foi quando um deles bateu na parte lateral da caixa e me perguntou ‘Estás bem?’. Eu respondi ‘sim’ e eles responderam-me com um ‘boa sorte’. Adoraria vê-los outra vez”, recordou à cadeia televisiva CNN.

Só que, como escreve o jornal britânico, o plano não correu como planeado. O voo em questão estava cheio e, por isso, a caixa foi transferida para um outro voo da PanAm, que levou o galês para Los Angeles. Em território americano, Robson acabou por ser descoberto por funcionários aduaneiros e foi depois interrogado pelo FBI.

Depois do interrogatório, o britânico teve a sorte de não ser levado à justiça, nem nos Estados Unidos nem na Austrália, tendo sido mandado de volta para casa num novo voo com destino a Londres (e, desta vez, sem ser numa caixa).

Com 75 anos, o britânico admite que foi um plano “estúpido” e que acabou por se revelar uma “experiência horrível”. A jornada até casa durou quatro dias e em grande parte do tempo esteve armazenado de cabeça para baixo.

“A dor era insuportável. Não conseguia respirar direito e já estava a perder a consciência”, recordou também à CNN, acrescentando que começou a ter pesadelos extremamente vívidos e que já não conseguia distinguir o que era real do que não era.

Quando chegou a Londres, tinha jornalistas e câmaras de televisão à sua espera no aeroporto. “A minha família estava feliz por me ver mas, ao mesmo tempo, não estava feliz com o que tinha feito”, relembrou.

“Se os meus filhos tentassem fazer isto, matava-os. Mas pronto, era uma época totalmente diferente”, admitiu Robson, que escreveu um livro sobre este episódio da sua vida, chamado “The Crate Escape”, que vai ser lançado em breve e cuja história também está a ser desenvolvida para o cinema.

Filipa Mesquita Filipa Mesquita, ZAP //

PARTILHAR

RESPONDER

Marinha dos EUA está a desenvolver drones para matar ovos em ninhos de pássaros selvagens

A Marinha norte-americana e a empresa Hitron Technologies uniram esforços para desenvolver um drone autónomo projetado especificamente para procurar e destruir o maior inimigo da Marinha: os pássaros. Os drones, que estão já a ser testados …

Cientistas criam hologramas que se movem pelo ar

Uma equipa de cientistas da Universidade Brigham Young, nos Estados Unidos, conseguiu desenvolver um holograma que projeta imagens em movimento. Se é fã de Star Treck, ficará impressionado com a mais recente inovação. Um grupo de …

Gangue detido por falsificar a especiaria mais cara do mundo

As autoridades espanholas detiveram um gangue que fazia milhões de euros por ano a falsificar a especiaria mais cara do mundo: o açafrão. Os 17 membros da quadrilha foram detidos na região de Castela-Mancha. Os criminosos …

Santuário medieval recebe escultura em pedra que usa máscara contra a covid-19

Uma catedral histórica do Reino Unido renovou um santuário do século XIV, acrescentando um detalhe que coloca em evidência o momento pandémico que o mundo vive. Agora, a nova escultura está a usar uma máscara …

Aos 10 anos, Adewumi chegou à elite mundial do xadrez (e fugiu ao Boko Haram)

Tanitoluwa Adewumi foi perseguido pelo Boko Haram, fugiu da Nigéria e foi sem-abrigo nos Estados Unidos. Agora, com apenas 10 anos, chegou à elite mundial do xadrez. Grande Mestre é um dos títulos vitalícios concedidos pela …

Hegemonia económica da China cada vez mais longe. Queda demográfica coloca Pequim sob pressão

O objetivo do país é tornar-se na maior potência económica do mundo nos próximos anos, mas a corrida pela hegemonia - disputada com os EUA - pode não ser uma meta fácil de alcançar. O …

Miss Universo 2021. Concorrente da Singapura usa roupa com o slogan "Stop Asian Hate"

Bernadette Belle Ong, uma concorrente do Miss Universo 2021, vestiu uma roupa com as cores de Singapura que continha as palavras Stop Asian Hate ("parem com o ódio contra os asiáticos"). Bernadette Belle Ong aproveitou o …

A Índia está a tornar quase impossível a vacinação dos sem-abrigo

A Índia está a dificultar o processo de vacinação dos sem-abrigo, uma vez que o programa requer um número de telemóvel e uma morada residencial. Muitas pessoas não têm nem um, nem outro.  Na Índia, quase …

Violência contra as mulheres é "uma pandemia", alerta ONU

Uma década após a criação da Convenção de Istambul, o marco dos tratados de direitos humanos para acabar com a violência de género, as mulheres enfrentam um ataque global aos seus direitos e segurança, alertaram …

Já se sabe qual a ocasião mais perdida do ano devido à pandemia (e há uma campanha para compensar)

Tomar um café com um amigo ou um familiar é o momento mais perdido do último ano devido à pandemia de covid-19. Nos últimos 12 meses, e em todas as cidades europeias, estima-se ter havido …