Ninguém quer o novo aeroporto do Montijo. Medina apela a “avanço” na decisão

ANA / VINCI Aeroportos

Projeto para novo Aeroporto no Montijo

Autarcas e ambientalistas foram ouvidos, esta quarta-feira, no Parlamento, onde se discutiu o projeto do novo Aeroporto do Montijo. A posição de ambos parece clara: ninguém quer avançar com a ideia. A construção do aeroporto continua num impasse.

Os presidentes das câmaras da Moita e do Seixal reiteraram a sua discórdia face ao projeto e contaram com o apoio das associações ambientalistas. De acordo com o Expresso, o único argumento ouvido a favor foi o de desenvolvimento económico e de que é tempo de resolver um assunto de “várias décadas”.

Os autarcas continuam a bater de frente no estudo de impacte ambiental (EIA), que deu ‘luz verde’ à obra, embora com a aplicação de algumas medidas de mitigação, que Moita e Seixal continuam a recusar. Rui Garcia, presidente da CM da Moita, explica que os efeitos do novo aeroporto são “irreversíveis e não mitigáveis”, salientando ainda que o “estudo de impacte ambiental menoriza o impacto nas pessoas”.

O autarca diz que o nível de ruído iria subir além do que é previsto por lei e que a Moita não se pode contentar com a ideia de que terá desenvolvimento económico por causa do novo aeroporto. “Isso no século passado era aceitável, não no século XXI”, atirou.

Para o autarca do Seixal, Joaquim Santos, o aeroporto no Montijo é “inaceitável quando existem outras soluções com menor impacto nas pessoas e no meio ambiente”. Para reforçar a sua posição, Joaquim Santos realçou que cerca de mil pessoas participaram na consulta pública e “apenas cerca de uma dezena disseram que era positivo”.

Inês Cardoso, da Liga para a Proteção da Natureza, lembrou que o estuário do Tejo “é um ecossistema complexo” e que qualquer avaliação dirá que é uma “zona de risco”. Por sua vez, o representante da Sociedade Portuguesa para o Estudo das Aves denunciou falhas do EIA, nomeadamente por não ter sido “avaliado o impacto de colisão com aviões” e o problema para a alimentação das aves migratórias.

A “Plataforma NAL na BA6 Não” disse que “o estudo de impacte ambiental não é imparcial”, uma vez que ainda antes do estudo já o então ministro das Infraestruturas Pedro Marques tinha assinado o acordo com a ANA.

Medina apela ao “avanço” na decisão

O presidente da Câmara de Lisboa, Fernando Medina apelou ao “avanço” na decisão sobre a construção do novo aeroporto do Montijo, advertindo que a quebra do tráfego aéreo “é temporária”.

“É essencial avançar para a expansão da capacidade, é essencial que essa capacidade se faça de forma a contribuir e a ser o motor da economia da região e que não se faça em sobrecarga do que hoje já é uma violação da lei e dos direitos dos cidadãos”, considerou Fernando Medina.

O autarca explicou que a Câmara de Lisboa não formalizou nenhuma posição sobre a construção do novo aeroporto na Base Aérea N.º 6, no Montijo, devido a “opiniões diferentes dos vários grupos políticos”.

No entanto, afirmou que há “uma posição muito clara sobre a urgência de um avanço” na construção de uma nova solução aeroportuária.

“Muitas vezes se fala da solução Montijo e também de uma solução Alcochete, mas o que é claro, visto do outro lado [Lisboa], é que qualquer uma das duas significa a manutenção do Aeroporto Humberto Delgado em largas décadas dentro da cidade e dentro de uma zona que hoje é bastante densa do ponto de vista populacional e residencial”.

Por este motivo, pediu para que se aproveite o contexto causado pela pandemia da covid-19, com a redução do número de passageiros no Aeroporto de Lisboa, “para se tomarem as decisões estratégicas para o futuro”.

“Não tenho nenhuma ilusão de que a quebra no tráfego aéreo é temporária, o crescimento do tráfego aéreo regressará em força”, apontou.

Nesta audição, o autarca aproveitou para pedir o “apoio do parlamento” em várias diligências, porque tem havido “uma grande opacidade relativamente aos impactos do tráfego aéreo”.

“Queria pedir uma solicitação formal à Autoridade Nacional da Aviação Civil (ANAC) sobre o número de infrações e de coimas detetadas ao regime legal em vigor sobre os voos noturnos. Acho que houve omissão grave do regulador aos voos noturnos na cidade de Lisboa”, apontou.

Segundo Fernando Medina, há “numerosas centenas de voos justificados ao abrigo de critérios de exceção”, mas “não são conhecidas autuações que tenham sido feitas”, nem se conhece nenhuma companhia “que tenha sido autuada por infringir a lei e perturbar a qualidade de vida de qualquer residente no município”.

Para o autarca, esta informação não só deveria ser pública, como deveria ser criado um portal “com a identificação de todos os voos realizados com a atualização diária”.

Além disso, também defendeu a instalação de um sistema autónomo “para medição dos níveis de ruído e de emissões atmosféricas, incluindo micropartículas, na zona de influência do Humberto Delgado”.

Já no âmbito do projeto do novo aeroporto, solicitou à Agência Portuguesa do Ambiente o envio do “plano de expansão detalhado sobre a capacidade de expansão aeroportuária de Lisboa e o seu plano de acessibilidades, que ainda não aconteceu”.

ZAP // Lusa

PARTILHAR

5 COMENTÁRIOS

  1. É tempo de pararem com a palermice de equacionarem um novo aeroporto na margem sul do Tejo. Para além de todas as considerações técnicas e ambientais, a localização é a pior possível, afastada de tudo. A ter que ser feito um novo aeroporto façam-no perto de Santarém, algures entre o Carregado e o Entroncamento. É uma zona com infraestrutura rodoviária e de linha férrea, onde estão instaladas inúmeras operações logísticas de âmbito nacional, que comprovam a boa localização. Seria assim um aeroporto que além de servir bem Lisboa, serviria também o país de forma efectiva, dada a sua muito maior centralidade.

  2. Aeroporto na margem sul?Jamais!!! Ele é que tinha razão!! Os flamingos deixariam de colorir as águas do Tejo em Alcochete e atordoados com o monstruoso ruído. na sua fuga, entrariam nos motores dos aviões podendo dar origem a terríveis acidentes. Parece que os estudos realizados não ligaram muito a este pormenor!!!!

RESPONDER

O Bosão de Higgs foi apanhado a fazer algo inesperado

Uma equipa de cientistas do Laboratório Europeu de Física de Partículas (CERN) observou o Bosão de Higgs, a fazer algo inesperado: à medida que caía, esta parecia decompor-se numa combinação inesperada de partículas. De acordo com …

Feitos de estrelas. Os nossos ossos são compostos por estrelas que explodiram

Uma nova investigação concluiu que metade do cálcio do nosso Universo é oriundo de uma supernova rica em cálcio, que explodiu há milhões de anos. O novo estudo, cujos resultados foram esta semana publicados na revista …

"Monarquia criminosa". Parlamento declara Catalunha republicana e não reconhece o rei

O Parlamento catalão aprovou esta sexta-feira uma resolução na qual declara que “a Catalunha é republicana e, portanto, não reconhece nem quer ter um rei”, rotulando a monarquia de “criminosa”. A resolução foi aprovada em sessão …

Novo método deteta metais tóxicos em alimentos e água em apenas algumas horas

Uma equipa de cientistas da Universidade de Joanesburgo, na África do Sul, desenvolveu um método sensível para detetar níveis perigosos de metais pesados em alguns alimentos e água. Os vestígios de metais como chumbo (Pb), arsénico …

Meghan Markle vence primeira batalha judicial contra jornal britânico

A Duquesa de Sussex conseguiu que o Tribunal Superior de Londres optasse por manter anónima a identidade das suas cinco amigas, como parte da ação legal que está a ser levada a cabo. O 39º aniversário …

Cientistas obrigados a rebatizar dezenas de genes humanos. A culpa é do Excel

Só no ano passado, os cientistas viram-se obrigados a mudar os nomes de 27 genes humanos por causa de um erro de leitura do Microsoft Excel. Tal como explica o portal The Verge, que avança …

"Vai continuar a queimar". Covid-19 é mais parecida com um fogo florestal do que com ondas e picos

Com o surgimento do novo coronavírus no mundo, vários especialistas previam que este iria surgir em ondas e picos. Agora a visão de futuro é outra e os especialistas dizem que a pandemia se compara …

Mudanças climáticas podem vir a causar mais mortes do que a covid-19, alerta Bill Gates

  As mudanças climáticas podem custar muito mais vidas nas próximas décadas do que a pandemia do novo coronavírus (covid-19). O alerta é do co-fundador da Microsoft, Bill Gates, que, através de uma reflexão no seu …

Descoberta a primeira disrupção gigante nas nuvens de Vénus

Uma equipa internacional de cientistas, que incluiu um investigador do Instituto de Astrofísica e Ciências do Espaço (IA), descobriu a "primeira disrupção gigante" nas nuvens de Vénus que tem fustigado as zonas profundas da atmosfera …

TVI aposta em estúdio a Norte. Nuno Santos quer Informação mais ao estilo da SIC Notícias do que da CMTV

O diretor-geral da TVI, Nuno Santos, afirmou, em entrevista ao jornal Público, que a estação de Queluz de Baixo vai apostar num estúdio no Norte, revelando ainda que pretende mudar a Informação do canal mais …