Sanções duras em cima da mesa para Nice e Marselha. Bancada dos Ultras já foi suspensa

O Ministério Público de Nice abriu vários inquéritos após os incidentes durante o Nice-Marselha da Liga francesa de futebol. Além disso, a Comissão Disciplina da Liga também está a investigar a invasão de campo e as agressões, e os dois clubes arriscam sanções duras.

O autarca dos Alpes-Marítimos, departamento onde se situa Nice, já decidiu interditar a chamada “Bancada Sul”, onde ficam os adeptos ultra do Nice, durante quatro jogos.

Foi precisamente desta bancada que saíram os adeptos que invadiram o relvado durante o Nice-Marselha, depois de o capitão dos visitantes, Payet, ter devolvido uma garrafa de água que tinha sido atirada contra as suas costas.

Uma decisão justificada com “a gravidade dos incidentes” verificados e “sem esperar as sanções que cabem à Liga de Futebol Profissional (LFP) decidir”, conforme comunicado do autarca Bernard Gonzalez.

Entretanto, as autoridades detiveram um homem de 28 anos por suspeitas de agressão a um jogador do Marselha. Será um elemento já conhecido da polícia, segundo avança a imprensa francesa.



O Le Parisien avança que é “o homem vestido com uma t-shirt preta que se atirou ao atacante do Marselha Dimitri Payet”, conforme imagens divulgadas nas redes sociais.

No decurso dos incidentes, foram presos três menores, mas que acabaram por ser libertados e entregues às famílias.

Enquanto o Ministério Público investiga o que aconteceu, com inquéritos em torno de factos como o “arremesso de projécteis” e a “violência voluntária agravada”, a Comissão de Disciplina da LFP também já abriu uma investigação. Na quarta-feira, vai ouvir elementos dos dois clubes.

Mas os eventuais castigos a definir só deverão ser conhecidos dentro de 15 dias. E podem passar pela perda de pontos, interdição do Estádio e até pela suspensão de alguns dos elementos das duas equipas que se envolveram nos confrontos no relvado.

Marselha disposto a repetir jogo em campo neutro

Também será preciso decidir o resultado final do Nice-Marselha. A falta de comparência dos visitantes para o retomar da partida levou o árbitro a decretar a derrota por 3-0, mas o jogo até pode vir a ser repetido.

Contudo, ainda se pode confirmar esse resultado ou até decidir a derrota do Nice devido à invasão de campo. Todos os cenários estão, para já, em aberto.

O Marselha já manifestou disponibilidade para repetir o o jogo num campo neutro. E o capitão da equipa, Steve Mandanda, veio explicar que os jogadores marselheses recusaram voltar ao desafio porque sentiam que tinham a sua “segurança” em risco

Mandanda refere que sentiam que corriam “perigo” depois de vários jogadores terem sido “agredidos”. “Quando vemos que há entre 500 a 1000 adeptos que entram em campo para nos atacar, é algo que não podemos tolerar”, aponta.

“Um insulto ao futebol”

O Sindicato dos Jogadores Profissionais de Futebol (UNFP na sigla original em Francês) condena os incidentes, considerando que “atacar assim a integridade física dos futebolistas ultrapassa os limites do suportável“.

E também a ministra dos Desportos de França, Roxana Maracineanu, veio a terreiro pedir sanções duras, considerando que o que se passou foi “um insulto ao futebol”.

Membros do grupo de adeptos “Bancada Sul” vieram, entretanto, a público condenar os incidentes e prometem expulsar os elementos que não tenham “um comportamento exemplar”.

Já o Nice defendeu os seus adeptos, embora condenando o arremesso de garrafas e projécteis, mas criticando a “atitude irresponsável de vários membros do clube marselhês”.

Susana Valente, ZAP //

PARTILHAR

RESPONDER

"Poço do Inferno". Espeleólogos encontram serpentes, mas não demónios

No deserto da província de Al-Mahra, no leste do país, um buraco redondo e escuro de 30 metros de largura serve de entrada para uma caverna de cerca de 112 metros. Uma maravilha natural que …

Vitória SC 1-3 Benfica | “Águia” passa tranquila em Guimarães e continua a voar no topo

Naquele que era apontado como o mais duro teste à sua liderança até ao momento, o Benfica passou com relativa tranquilidade em Guimarães. Frente a um Vitória que tentou discutir o jogo de igual para igual …

Fazer umas calças de ganga exige 10 mil litros de água. Dez marcas estão a criar jeans sustentáveis

As calças de ganga são das peças de vestuário com piores impactos para o ambiente, mas há marcas que estão a apostar na sustentabilidade como um factor atractivo para os consumidores. Estão sempre na moda e …

"Guerra das matrículas" faz escalar tensão entre Sérvia e Kosovo

Esta semana, a fronteira entre o norte do Kosovo e a Sérvia esteve bloqueada por protestos de elementos da etnia sérvia, que não aceitam a decisão do governo kosovar, de etnia albanesa, de proibir a …

Num golpe de "fake it until you make it", Hong Kong vai a eleições a saber o vencedor

Hong Kong prepara-se para as primeiras eleições legislativas após as mudanças no sistema eleitoral implementadas pela China para garantir a vitória dos seus aliados. Aos olhares mais desatentos, as eleições em Hong Kong são mais um …

Stefano Pioli propõe regra de basquetebol que contribui para um "futebol de ataque"

O treinador do Milan, Stefano Pioli, propõe uma alteração nas regras do futebol que promete revolucionar o desporto rei. De forma semelhante ao basquetebol, uma vez dentro do meio campo adversário, as equipas não poderiam voltar …

Um dos maiores sites de dados sobre a covid-19 na Austrália é, afinal, gerido por adolescentes

Aproveitando o momento em que passaram a integrar as estatísticas que os próprios fazem chegar diariamente à população australiana, o grupo de três jovens revelou a sua identidade para surpresa de muitos dos seus seguidores. …

Mais cinco mortes e 713 casos confirmados em Portugal

Portugal registou, este sábado, mais cinco mortes e 713 casos confirmados de covid-19, de acordo com o mais recente boletim epidemiológico da Direção-Geral da Saúde (DGS). Este sábado registaram-se mais cinco mortes e 713 novos casos …

Dirigente da Huawei detida no Canadá pode voltar à China após acordo com EUA

A justiça dos EUA aceitou hoje o acordo entre o Departamento da Justiça e a Huawei, que vai permitir à filha do fundador e diretora financeira do conglomerado chinês de telecomunicações regressar à China. Uma juíza …

Depois do coro de críticas, brasões da Praça do Império passam do jardim para a calçada

Os brasões florais que representam as capitais de distrito e as ex-colónias portuguesas vão mesmo ser retirados da Praça do Império, em Lisboa, mas passarão a estar representados em pedra da calçada. É a solução …