/

Neurocientista cria imagem para provar que o cérebro é facilmente enganado

4

Alice Proverbio / Twitter

Ilusão de ótica criada por uma neurocientista

Para provar que o cérebro é facilmente enganado, uma professora de neurociência italiana juntou-se a um cartunista para criar uma imagem estática que parece mover-se.

PUBLICIDADE
PUBLICIDADE

Depois dos morangos vermelhos que afinal não o são, do clip de aúdio ou do .gif mudo com som, uma neurocientista criou uma nova ilusão que está a ganhar força na Internet.

Mesmo não se tratando de uma imagem no formato .gif, a imagem parece mover-se e, de acordo com o Diário de Notícias, tal acontece quando a nossa perceção entra em colapso – resultando numa ilusão de ótica.

A ilusão acontece no córtex visual do cérebro que é ativado por dois estímulos diferentes – um dedicado ao movimento e outro às cores e formas. Este último, segundo explica a neurocientista e professora Alice Proverbio, da Universidade de Milão, está “saturado” de tal forma que cria a ilusão de ótica.

A neurocientista explica ainda que se trata de “uma interação muito complexa, que leva a tais ilusões”.

As ilusões de ótica que aparecem na Internet não são novidade. Muitas delas tornam-se verdadeiros quebras-cabeças virais e até são capazes de se tornar em casos de estudo. – como é o caso da famosa imagem da mulher velha ou nova que pode revelar a nossa imagem.

  ZAP //

4 Comments

  1. Não é necessário um neurocientista para provar essa teoria. Em Portugal, todos os dias, há pelo menos um vendedor de automóveis usados que o faz. No Brasil, há um candidato que tenta fazer o mesmo, e nos EUA, um presidente fê-lo de forma brilhante.

Deixe o seu comentário

Your email address will not be published.