NASA abre vaga para “protetor da Terra” contra ameaça de extraterrestres

(CC0/PD) Comfreak / pixabay

A principal ameaça são, na verdade, os humanos

A agência espacial norte-americana está à procura de um novo “protetor planetário” com a tarefa de defender a Terra contra ameaças de extraterrestres. Mais especificamente, a principal preocupação do trabalho é evitar a “contaminação biológica da exploração espacial por homens e robôs”.

Esta contaminação aplica-se tanto às naves espaciais que regressem à Terra como ao risco que humanos contaminem outros planetas – e a NASA oferece um bom salário anual, entre os 124 mil e os 187 mil dólares.

As vagas foram abertas a cidadãos americanos em julho e as pessoas podem candidatar-se até meados de agosto. Mas a ideia não é nova. O acordo internacional da ONU sobre exploração espacial, assinado em 1967, pedia que as potenciais nações espaciais tivessem cuidado com os contaminantes.

Entre os objetivos do Escritório de Proteção Planetária da NASA, está o de manter os outros mundos “no seu estado natural” e “tomar precauções para proteger a biosfera da Terra no caso de existir vida noutros lugares”.

A ideia de contaminação indesejada por extraterrestres é muito comum nos filmes e livros de ficção científica. A atual ocupante do cargo, Catharine Conley, disse em 2015 ao New York Times que recebeu óculos escuros ao estilo dos filmes “Man in Black” no seu primeiro dia no trabalho, mas que a principal ameaça é, na verdade, os humanos.

“Se estamos à procura de vida em Marte, seria mau levar a vida da Terra para lá e acabar por encontrar isso no planeta”, disse ao jornal americano.

As grandes responsabilidades podem explicar o salário generoso – mas as qualificações exigidas são complexas. Além de ter um “conhecimento avançado sobre proteção do planeta”, o candidato precisa de ter experiência em “programas espaciais de importância nacional” e uma formação em física, engenharia ou matemática. E o trabalho exige que o candidato consiga trabalhar sob o mais alto nível de sigilo.

A NASA leva a proteção planetária tão a sério que vai destruir a nave Cassini, que orbita Saturno – para que não contamine outro planeta depois da sua missão. Foi o mesmo que a agência espacial fez com a Gallileo, que orbitou Júpiter até 2003.

Mas se em décadas passadas havia quem receasse o risco de um sonda espacial trazer para a Terra um potencial vírus mortal que devastasse a vida no nosso planeta, e embora tal seja algo que mereça consideração, as preocupações actuais prendem-se mais com a a possibilidade de ser afinal a Terra a contaminar o Universo.

As sondas são normalmente enviadas com bilhete só de “ida” e nunca regressarão – o que coloca a preocupação em como evitar que não sejamos nós a contaminar o alvo de interesse que se deseja estudar.

Recentemente, a questão da limpeza e descontaminação das naves espaciais esteve em debate, depois de o vice-presidente dos Estados Unidos, Mike Pence, se ter encostado a uma peça de equipamento da NASA – apesar do enorme aviso de “não tocar”.

A peça será usada na nave Orion, que está a ser construída para transportar astronautas à Lua, a Marte e a asteróides. Para garantir que o toque do vice-presidente norte-americano não a contaminou, a NASA garantiu que a superfície do equipamento será limpa antes de ser enviada ao espaço.

ZAP // BBC

PARTILHAR

RESPONDER

Crise poderá levar a Juve a vender Ronaldo por 70 milhões

A crise financeira causada pela pandemia de covid-19 poderá "obrigar" a Juventus a vender Cristiano Ronaldo por 70 milhões de euros, avança a imprensa italiana, frisando que existem mais dois cenários em cima da mesa. O …

Pavilhão Rosa Mota transformado em "Hospital de Missão" com 300 camas

O Pavilhão Rosa Mota, no Porto, entrará, na próxima semana, em funcionamento como “Hospital de Missão” e, com 300 camas, servirá para acolher doentes com poucos sintomas de covid-19 ou até assintomáticos sem “retaguarda familiar”. “Trata-se …

Maduro acusa EUA de provocarem "perigoso momento de tensão" no continente

O Presidente da Venezuela, Nicolás Maduro, enviou na segunda-feira uma carta aos governantes internacionais, alertando que os Estados Unidos (EUA), ao oferecerem uma recompensa por informações que levem à sua detenção, conduzem a "um perigoso …

Prestações ao banco vão subir para quem recorrer à moratória

As prestações dos créditos à habitação vão subir para empresas e clientes particulares que pedirem a sua suspensão no âmbito da moratória criada pelo Governo. Os juros vencidos durante os seis meses da moratória serão …

BE e PCP querem isenção do pagamento de propinas durante estado de emergência

O Bloco de Esquerda e o Partido Comunista Português consideram que os alunos do Ensino Superior devem ficar isentos do pagamento de propinas durante o estado de emergência. Tanto o BE como o PCP sempre defenderam …

Menina de 12 anos morre na Bélgica vítima da covid-19

Uma menina de 12 anos morreu esta segunda-feira na Bélgica devido à pandemia de covid-19, anunciaram esta terça-feira as autoridades de saúde deste país. "É um caso muito raro, mas que nos afeta muito, é um …

"Bomba" de Graça Freitas rebentou-lhe nas mãos. Governo rejeita cerco sanitário ao Porto

O Secretário de Estado da Saúde, António Sales, rejeitou, nesta terça-feira, a possibilidade de impor um cerco sanitário ao Porto. Esta hipótese foi avançada pela directora-geral da Saúde, Graça Freitas, e foi fortemente criticada por …

Novo máximo diário. Covid-19 mata mais 849 pessoas em Espanha

Espanha registou, nas últimas 24 horas, 849 mortos com o novo coronavírus, um novo recorde de falecidos num só dia, elevando o balanço total para 8189. Os números do Ministério da Saúde espanhol revelam ainda um …

Termina esta terça-feira o prazo para reclamar das despesas para IRS

O prazo para consultar e reclamar das despesas gerais e familiares apuradas pelo fisco para efeitos de deduções à coleta termina esta terça-feira. Os contribuintes têm até esta terça-feira, 31 de março, para consultar e reclamar …

Ryanair avança com lay-off em Portugal a partir de 1 de abril

A Ryanair vai avançar com o lay-off simplificado, considerando o recurso à medida "indispensável para a manutenção da viabilidade e preservação dos postos de trabalho". Segundo a comunicação da sucursal em Portugal aos sindicatos relativamente à …