Já não há crianças em contentores no Hospital de São João

José Coelho / Lusa

O internamento de crianças em 36 contentores no Centro Hospitalar Universitário São João (CHUSJ) acabou e as estruturas, provisórias há cerca de 10 anos, vão ser desmontadas, revelou a instituição.

Num “edifício de alvenaria”, situado junto aos contentores e também exterior ao corpo principal do hospital, “ficam agora 24 camas” para internamento pediátrico, adianta em comunicado o hospital de São João, que espera até ao fim do ano arrancar com a construção de uma nova Ala Pediátrica e que no fim de maio transferiu dos contentores para o edifício principal as crianças com doença oncológica.

“As crianças que estavam em enfermarias colocadas em contentores foram deslocadas para um internamento de 25 camas pediátricas situadas no edifício principal do CHUSJ, utilizando espaços que ficaram livres com a relocalização de outros serviços e onde irão manter-se até estar terminada a construção da ala pediátrica”, escreve aquela unidade hospitalar.

O São João acrescenta que “os 36 contentores da pediatria ocupavam uma área de 470 metros quadrados” e “representavam um custo anual próximo dos cem mil euros”. O internamento de crianças em contentores terminou “logo que foi possível reunir as condições necessárias para a dispensa daquela solução, após oito anos de utilização”.

O São João não especificou quantas crianças foram transferidas dos contentores, descrevendo apenas que a nova área de internamento, no edifício principal, “está a ser partilhada com as crianças que estavam internadas na Cirurgia Pediátrica, que assim também obtiveram uma melhoria na sua qualidade assistencial”.

“A abertura das novas instalações reduz significativamente a necessidade de transporte de ambulância entre o internamento e o edifício principal, para muitas das crianças internadas”, destaca o hospital. A instituição refere ainda que “a relação de proximidade com outros serviços hospitalares e a melhoria das condições de tratamento” se “vão, seguramente traduzir numa melhoria da eficácia clínica”.

“Já no dia 1 de junho, Dia Mundial da Criança, o internamento das crianças com doença oncológica no CHUSJ havia igualmente passado para instalações no edifício principal”, lembra.

A 31 de maio, Filomena Cardoso, enfermeira diretora do São João e membro da administração daquele centro hospitalar disse que as 24 crianças do serviço de pediatria geral iam permanecer em contentores até ao final de junho, altura em que seriam internadas num edifício de alvenaria.

Há 10 anos que o hospital tem um projeto para construir uma ala pediátrica, mas desde então o serviço era prestado em contentores. Em novembro de 2018, pais e mães de crianças internadas alertaram para os contentores “indignos e desumanos” do internamento pediátrico do Hospital de São João.

Em entrevista à Lusa, descreveram “quartos minúsculos sem janelas”, “cartão a tapar buracos na parede”, portas vedadas com “adesivo do hospital” e “uma sanita e duche para os 40 ou 50 pais”. A 28 de maio, o presidente do Conselho de Administração do hospital, Fernando Araújo, disse que a construção da ala pediátrica deve começar até ao final do ano.

“Excelente” seria que ala pediátrica arrancasse

A Associação Pediátrica Oncológica (APO) considerou que o anúncio do Hospital Universitário de São João seria “excelente” se incluísse dados sobre o arranque da obra da ala pediátrica.

Se terminarem os contentores, é uma boa notícia. Sempre que se termina uma coisa que é má, ou péssima, ou miserável, é sempre uma boa notícia. Mas temos de ser muito vigilantes e ativos. A excelente notícia era: as crianças vão para o edifício central e a obra vai arrancar”, disse, à Lusa, o presidente da associação, Jorge Pires.

Para Jorge Pires, a nota do CHUSJ “está confusa” e “só serve para baralhar a opinião pública e passar uma imagem positiva, que faz entender que o problema está resolvido”.

“Vão acabar com os contentores, mas continuamos na mesma distância ao hospital e a ter de circular de ambulância, porque quando as crianças precisam de um tratamento, de um exame, têm de ir ao edifício central. Não podemos esquecer que a construção da ala pediátrica é que é prioritária e necessária. E o hospital e o Governo estão, assim, a baralhar a opinião pública e passar uma imagem positiva que faz entender que o problema está resolvido e não está”, considerou.

O responsável pela associação que representa pais de crianças com cancro internadas em contentores provisórios desde 2011 no hospital de São João vincou mesmo: “A construção podia ter começado com ajuste direto e não começou”.

“O hospital contactou 14 empresas há cerca de um mês para começarem a obra, quando tinha hipótese de contactar uma ou duas. E essas 14 empresas não se manifestaram ainda e ninguém sabe quando se vão manifestar. Dessas 14 empresas, basta haver uma que levante uma dúvida ou suspeita e há mais atrasos no arranque da obra”, recordou.

No final de maio, em declarações aos jornalistas, o presidente do Conselho de Administração, Fernando Araújo, garantiu que a construção da ala pediátrica deverá iniciar-se até ao final do ano.

ZAP // Lusa

PARTILHAR

RESPONDER

Johnson & Johnson acusada de vender pó de talco com propriedades cancerígenas a mulheres negras

A gigante farmacêutica Johnson & Johnson continuou a comercializar pó de talco para mulheres negras, apesar de existirem provas de que esses produtos causam cancro. A queixa contra a Johnson & Johnson, apresentada pelo Conselho Nacional …

Termina hoje prazo para receber reembolso do IRS

O prazo para a Autoridade Tributária e Aduaneira (AT) liquidar as declarações de IRS termina este sábado, depois de uma campanha que contou com mais quase seis milhões de entregas. De acordo com o portal da …

UE condena "instrumentalização" de refugiados pela Bielorrússia

A União Europeia (UE) condenou esta sexta-feira "a instrumentalização de migrantes e refugiados pelo regime bielorrusso", alegando que é "totalmente inaceitável" usar pessoas para "promover objetivos políticos" e prometeu avaliar hipótese de punição de contrabandistas. O …

André Ventura - Chega

Autárquicas serão "início do fim do reinado" de Costa. Em Moura, Ventura é apelidado de "fascista"

Esta sexta-feira à noite, em Moura, um grupo de pessoas juntou-se perto do comício de André Ventura, em protesto, apelidando o líder do Chega de "fascista". O líder do Chega, André Ventura, apresentava esta sexta-feira os …

Incêndios na Turquia chegam a zonas turísticas. Há suspeitas de mão criminosa

Os devastadores incêndios que se estão a fazer sentir na zona sul da costa da Turquia já fizeram pelo menos quatro mortes. Depois das ondas de calor mortais nas Américas, inundações na Europa e China e …

Sonae vende 24,99% da empresa que detém o Continente por 528 milhões de euros

O grupo Sonae acordou vender uma participação de 24,99% na Sonae MC, a proprietária dos supermercados Continente, por 528 milhões de euros, informou em comunicado à Comissão do Mercado de Valores Mobiliários (CMVM). A alienação de …

Supertaça. Sporting e Sp. Braga defrontam-se 39 anos depois (e adeptos regressam aos estádios)

Sporting e Sp. Braga lutam este sábado pelo primeiro título da época (e os adeptos já vão estar na bancada). O encontro da 43.ª edição da supertaça Cândido de Oliveira está marcado para este sábado, …

Vacinação de crianças divide peritos. Mas sem a inoculação dos mais novos a imunidade pode não chegar

Na sexta-feira, a Direção-Geral de Saúde anunciou que recomenda que a vacinação contra a covid-19 de jovens dos 12 aos 15 anos com comorbilidades. No entanto, o tema está a gerar controvérsia e divide opiniões …

Governo com margem política para abdicar de 15% do Novo Banco

Em 2022, o Governo tem margem política para abdicar do direito de entrar como acionista no Novo Banco (NB), inicial­mente com uma participação de mais de 2%, mas que pode subir a 15%. Para já, nem …

Tóquio2020. Biles renuncia também às finais de salto e barras assimétricas

A ginasta norte-americana Simone Biles, que renunciou à final do concurso geral individual dos Jogos Olímpicos Tóquio2020, também não vai participar das finais de domingo de salto e barras assimétricas, informou esta sexta-feira a Federação …