Museu chinês causa revolta ao comparar pessoas negras a macacos em exposição

A exposição “This is Africa”, do premiado fotógrafo chinês Yu Huiping, na qual o artista compara pessoas negras a macaco, lançou a indignação nas redes sociais e uma onda de protestos.

De acordo com um comunicado enviado à imprensa, as fotografias, que estavam expostas no Museu Provincial de Hubei, em Wuhan, foram removidas do local esta semana, após diversos protestos e acusações de racismo.

Entre as diversas imagens a comparar expressões humanas com a de animais, há uma foto de um jovem africano a olhar por cima do ombro ao lado de uma foto de um macaco, na mesma pose. Há também uma fotografia na qual uma criança com a boca aberta é colocada ao lado de um chimpanzé.

A exposição, que começou há três semanas e deveria encerrar brevemente, recebeu a visita de mais de 170 mil pessoas. Yu Huiping, um premiado fotógrafo e bastante conhecido no meio artístico chinês, não comentou o caso.

Segundo o New York Times, o curador da exposição, Wang Yuejun, afirmou que pendurar fotografias de pessoas ao lado de animais foi ideia dele e não do fotógrafo Yu Huiping.

“O principal público-alvo da exposição é de maioria chinesa”, disse Wang Yuejun, acrescentando que as comparações entre pessoas e animais são comuns na China e frequentemente vistas como um elogio.

O curador disse que muitos visitantes da exposição admiram os animais familiares, que fazem parte do zodíaco chinês. “Em muitos provérbios chineses, os animais são venerados e elogiados”, disse Wang.

Ainda segundo o NYT, o “racismo casual” também é comum na China, que considera um país diverso com mais de mil milhões de habitantes – agora uma potência mundial, depois de décadas de isolamento internacional.

O jornal afirma que o poderio chinês, que entre outras coisas tornou a China o maior parceiro comercial dos países africanos, causou maior interação com estrangeiros, o que tem causado situações de racismo no país.

ZAP // Hypeness / nytimes

PARTILHAR

8 COMENTÁRIOS

  1. Parece-me um pouco abusivo sempre que aparece uma pessoa negra em qualquer coisa, dizer-se logo que é racismo.
    No contexto do título da exposição, parece-me ainda mais abusivo chamar-se racismo, já que África é maioritariamente composta por pessoas de raça negra.
    Já vi noutras situações a comparação de gestos/imagens de pessoas de cor branca com gestos/imagens de animais, e ninguém reclamou racismo (experimentem a procurar na web por “comparar pessoa com animal” )!
    Parece-me que o problema é o inverso, pois desta forma, estão a rotular as pessoas negras de uns coitadinhos que precisam de ser ajudados, e então qualquer coisa dizem logo que é racismo.
    Assim, sugiro, que seja mudada a mentalidade, e que tratem as pessoas efectivamente como pessoas, independentemente cor ou da raça!

  2. Outros títulos deste mesmo artigo: “Outrage as museum depicts African people next to animals ”
    1º – O fotógrafo juntou numa mesma moldura o retrato de uma pessoa africana com um animal africano. Existem diversos animais, tais como girafa, leão, elefante, etc.
    2º – O título do artigo é enganador como é hábito para estimular manifestações conflituososas por parte dos leitores, dado que o fotógrafo não comparou pessoas negras a macacos.
    3º – Não existe qualquer indício de racismo nesta exposição.

  3. Será que os “bem aventurados simples” que ganharam o redil do “politicamente correcto, também se insurgiram com as comparações com um leão (pela ferocidade), uma girafa (pela língua preta) ou um elefante (por “trombudo”)?

  4. Ver racismo nesta exposição só mesmo da parte de pessoas complexadas e de fraca mentalidade. Se os retratos utilizados fossem de pessoas brancas ou amarelas não haveria certamente qualquer problema. Até quando vamos permitir que qualquer coisa que envolva pretos seja abusivamente classificada de racista? Se me apresentarem um branco e eu não gostar dele, é normal, pois não temos que gostar de toda a gente. Mas se for um preto e eu não gostar dele, estou lixado, passo a ser racista…

  5. espero que os angolana continuem a bater nas costas dos chineses e a darem-lhe studo em troca de uns dolares.
    é assim que os chineses vêm os pretos em africa, autenticos animais.

Responder a pedro Cancelar resposta

Rainha Isabel II está a procura de um gestor de redes sociais

A família real britânica está à procura de um gestor de redes sociais. O salário vai oscilar entre os 53 e 59 mil euros anuais por 37 horas semanais, de segunda a sexta-feira. A rainha Isabel II …

Cinco antepassados de crocodilos viveram há 150 milhões de anos na Lourinhã

Pelo menos cinco crocodilomorfos, antepassados dos crocodilos, viveram na região da Lourinhã há 150 milhões de anos, durante o período do Jurássico. Num artigo publicado na Zoological Journal of the Linnean Society, os paleontólogos Alexandre Guillaume, …

A radiação de Chernobyl está a deixar as vespas esfomeadas (e isso é má notícia)

A Zona de Exclusão de Chernobyl é a área em torno da cidade ucraniana de Pripyat, onde a Central Nuclear de Chernobyl entrou em colapso em 1986. Apesar de não haver humanos na região, e …

Beethoven deixou a 10.ª sinfonia inacabada (e a IA vai completá-la)

Um dos maiores dilemas da história da música é a obra inacabada de Ludwig van Beethoven (1770-1827), a "10ª sinfonia", com muitos músicos a esforçar-se para finalizá-la, utilizando alguns dos fragmentos disponíveis, mas sem sucesso. Desta …

Orcas bebé têm maior probabilidade de sobreviver se viverem com a avó

Crias de orca que vivam com a avó têm uma maior probabilidade de sobreviver quando comparadas às outras orcas. A experiência destas espécimes mais velhas é essencial para o grupo. Tal como nos humanos, as avós …

A "capital mundial das pessoas feias" mora na Itália

Piobbico, na Itália, é uma cidade medieval repleta de grandes edifícios de pedra cercados por florestas exuberantes. No entanto, a cidade é conhecida pela feiura dos seus habitantes. Esta cidade, com cerca de 2.000 habitantes, alberga …

Jovem norte-americano despistou-se e caiu ao rio. Siri chamou os bombeiros

Um jovem norte-americano estava a caminho da universidade quando perdeu o controlo do carro, que derrapou sobre gelo, e foi parar ao rio Winnebago. Como não conseguiu encontrar o seu telemóvel, recorreu à Siri para …

Basta uma máscara impressa para enganar os sistemas de reconhecimento facial

Especialistas da empresa de inteligência artificial Kneron testaram sistemas em três continentes e vários falharam. O reconhecimento facial é, cada vez mais, um método de controlo e de segurança encarado como credível e, inclusivamente, usado …

Pandit olha para as vacas como família e quer produzir "leite ético" para vegans

Um agricultor nos Estados Unidos quer produzir "leite ético" para vegans, mantendo como prioridade o bem-estar e a saúde das vacas. Ultimamente, o consumo de leite tem sido posto cada vez mais em causa. Não só …

Jogadores do Arsenal doam um dia de salário para ações solidárias

Os futebolistas e a equipa técnica do Arsenal vão doar um dia de salário para ações solidárias de Natal. Os elementos técnicos também entraram na iniciativa, que prevê, ainda, a doação da receita do próximo …