Municípios gastaram 83 milhões com a covid-19. Cascais lidera lista, Lisboa gastou sete vezes mais do que o Porto

Brais Lorenzo / EPA

A administração local do continente celebrou, até setembro, mais de 5500 contratos relacionados com a covid-19, no valor de 83,2 milhões de euros, 80% dos quais por ajuste direto simplificado.

O Tribunal de Contas (TdC) salientou que, a partir da informação no Portal Base, até 30 de Setembro de 2020 as entidades da Administração Local celebraram 5529 contratos relacionados com a covid-19, no valor de 83,2 milhões de euros (87,3% por municípios, 5,9% por comunidades intermunicipais, 4,5% por empresas locais e o restante por serviços municipalizados, associações, freguesias e áreas metropolitanas).

“Destes contratos, 81,8% seguiram o procedimento de ajuste directo simplificado e 16,9% o ajuste direto regime geral, pelo que apenas 1,2% implicaram consulta prévia ou concurso público”, pode ler-se no Portal Base, citado pela agência Lusa.

Segundo o TdC, a quase totalidade destes contratos respeita à aquisição de bens e serviços, nomeadamente de materiais e equipamentos médicos, equipamentos de segurança e de proteção individual, computadores e material informático, produtos alimentares e materiais de limpeza, desinfeção e higienizarão.

A grande maioria destes contratos é de baixo ou muito baixo valor (73% abaixo de cinco mil euros), existindo apenas sete contratos acima de um milhão de euros.

Os 20 maiores contratos foram adjudicados por Cascais (nove), Lisboa (sete), Sintra (um), Loures (um), Oeiras (um) e Gaia (um). Os municípios dos distritos de Lisboa e do Porto concentravam 66% do valor dos contratos relacionados com a pandemia (53,8% para Lisboa e 12,2% para o Porto), seguindo-se Faro com 7,7%.

Por outro lado, 86 municípios não tinham no Portal Base qualquer contrato associado à covid-19, “o que permite colocar reservas à universalidade dos dados daquele Portal, considerando a dimensão relativa dos municípios ausentes e o facto de muitos apresentarem, já então, centenas de casos de doença no respetivo concelho”.

O TdC destacou que há grandes discrepâncias no valor dos contratos celebrados: “seis municípios são responsáveis por mais de 50% do valor total, em termos relativos, seja por residente, seja por caso covid-19”.

Em relação às entidades às quais foram adjudicados os contratos, o TdC salienta “sinais de concentração”, já que cinco beneficiaram de 31,3% do valor total, além de existirem contratos de entidades adjudicatárias em apenas um município, “o que, dada a prevalência do ajuste directo, justifica maior escrutínio e reforço dos mecanismos de transparência”.

“Perante as situações analisadas, o Tribunal recomenda às entidades da administração local, nomeadamente aos municípios, que quantifiquem a despesa com medidas covid-19, bem como a receita não arrecadada, e que divulguem, nos respetivos sítios eletrónicos, dados da execução física e financeira, tratando essa informação na prestação de contas”.

“Equilíbrio financeiro” dos municípios em risco

As autarquias locais do continente pagaram 166,1 milhões de euros em despesas relacionadas com o combate à pandemia até 30 de Setembro de 2020, revelou esta segunda-feira o Tribunal de Contas (TdC).

No relatório “Impacto das medidas adotadas no âmbito da covid-19 nas entidades da Administração Local do Continente”, o Tribunal de Contas salientou que as autarquias “adotaram uma multiplicidade de ações de que foram beneficiárias as famílias, as empresas e as instituições, face aos efeitos económicos, sociais e financeiros da covid-19”.

Segundo o TdC, 20 municípios (dos 278 do continente) localizados sobretudo nas duas áreas metropolitanas, foram responsáveis por 64,3% das despesas pagas líquidas, com destaque para Cascais, Lisboa, Santarém, Sintra e Oeiras.

O semanário Expresso detalha que Cascais foi município que mais gastou a combater a pandemia (20,3 milhões), seguindo-se Lisboa (19,4 milhões), Santarém (10,6 milhões), Sintra (9,1 milhões), Oeiras (6,7 milhões), Vila Nova de Gaia (€3,3 milhões), Amadora (3,1 milhões), Vila Nova de Famalicão (2,9 milhões), Loulé (2,9 milhões). O Porto fecha o top10 da lista com quase €2,7 milhões, sete vezes menos do que Lisboa.

O TdC alerta que, até ao final do terceiro trimestre do ano passado, alguns municípios já tinham gasto com medidas covid-19 “uma percentagem relevante da despesa total do ano anterior, o que poderá afetar o seu equilíbrio financeiro e sustentabilidade”.

Para que as autarquias locais fizessem face à pandemia, o Parlamento aprovou um quadro legislativo excecional simplificando áreas como a contratação pública, o regime de autorização da despesa e medidas excecionais e temporárias de natureza financeira.

O TdC alerta que há impactos destas medidas em várias dimensões que terão “consequências relevantes no desempenho financeiro” dos municípios, nomeadamente no endividamento, mas “cuja extensão só será possível avaliar em próximo relatório”.

ZAP ZAP // Lusa

PARTILHAR

RESPONDER

Médicos alertam que Navalny pode sofrer paragem cardíaca "a qualquer momento"

Alexei Navalny está cada vez mais em risco de insuficiência renal. Médicos próximos do opositor russo alertam que pode sofrer uma paragem cardíaca "a qualquer momento". Médicos próximos do opositor russo Alexei Navalny, detido e em …

Perto de sequenciar 1 milhão de genomas, cientistas querem desvendar segredos genéticos

O projeto All of Us está a recolher informações genéticas, registos médicos e hábitos de saúde de mais de um milhão de pessoas. Os dados podem ser usados para desvendar segredos genéticos. O primeiro esboço do …

"Besta dos cinco dentes". Descoberta nova espécie de mamífero na Patagónia

Paleontólogos descobriram uma nova espécie de mamífero, com dentes peculiares, que viveu na Patagónia durante o período Cretáceo. De acordo com a agência Europa Press, os fósseis foram encontrados em Cerro Guido, na província chilena de …

Com os zoos fechados, tudo serve para entreter uma família de lontras. Até um simples galho de bambu

O confinamento serviu como um lembrete indesejado de que ficar preso dentro de casa sem muito o que fazer pode ser desgastante. O mesmo é verdade para os animais, por isso os jardins zoológicos tiveram …

Uma ilha, cinco géneros. Os Bugis têm palavras para as "cinco maneiras de estar no mundo"

Uma ilha, cinco géneros. O povo Bugis é um poderoso grupo étnico que se destaca pelo reconhecimento de cinco géneros distintos. Na Indonésia, a ilha Sulawesi é a casa de um povo que reconhece cinco …

O "aeroporto do amanhã" está abandonado no meio de um pântano dos Estados Unidos

Era para ser o "aeroporto do amanhã", um centro intercontinental para aviões supersónicos com seis pistas e conexões ferroviárias de alta velocidade para as cidades vizinhas. Hoje, é pouco mais do que uma pista no …

Facebook remove (acidentalmente) página oficial de Ville de Bitche, uma remota cidade francesa

O Facebook apagou a página de Ville de Bitche, uma remota cidade francesa. O município passou um mês a apelar à rede social para repor a página. "Recebemos uma mensagem no Facebook e também percebemos que …

NASA escolheu SpaceX de Elon Musk para a próxima missão tripulada à Lua

Elon Musk fecha contrato de 2,9 mil milhões de dólares para levar o Homem novamente à Lua. O contrato é a mais importante vitória da SpaceX e reforça a posição da empresa como parceira …

Benfica 1-2 Gil Vicente | Galo canta e silencia águia na Luz

STOP. O Gil Vicente visitou na tarde deste sábado o Benfica e saiu do palco da Luz com os três pontos na bagagem e a “cantar de galo”, ao vencer por 2-1, num duelo relativo …

"Longa vida à monarquia." Realeza britânica tende a viver mais três décadas do que a população geral

As diferenças na longevidade de alguns membros da família real em comparação com a população em geral são extremamente grandes, mas não incomuns. O príncipe Filipe, marido da rainha Isabel II e o consorte mais antigo …