//

Edvard Munch escondeu uma mensagem na pintura “O Grito”

WebMuseum at ibiblio / Wikimedia

“O Grito” (1893), de Edvard Munch

Afinal, a pequena mensagem escondida na famosa pintura de Edvard Munch “O Grito” foi escrita pelo próprio artista. Uma nova investigação coloca, assim, um ponto final num dos mistérios mais duradouros da arte moderna.

Só podia ter sido pintado por um homem louco!” Esta é a frase quase invisível que se pode ler no canto superior esquerdo da pintura e que foi objeto de debate durante várias décadas. Até agora, escreve a CNN, pensava-se que a frase era o fruto de um ato de vandalismo.

Recentemente, curadores do Museu Nacional de Arte, Arquitetura e Design da Noruega, em Oslo, garantiram ter desvendado um dos mistérios mais duradouros da arte moderna. Afinal, terá sido o próprio Edvard Munch a escrever a frase.

“A escrita é, sem dúvida, do próprio Munch”, concluiu Mai Britt Guleng, curadora do museu. A inscrição “foi examinada agora com muito cuidado, letra por letra e palavra por palavra, e é idêntica em todos os aspetos à caligrafia de Munch.”

“Não há mais dúvidas”, sublinhou a responsável pela investigação.

A frase, praticamente impercetível a olho nu, foi analisada com ajuda de tecnologia de infravermelhos e comparada com as anotações e cartas do artista. Munch “não escreveu em letras grandes para que todos vissem, é preciso olhar com muita atenção para ver”, detalha Britt Guleng.

A obra-prima expressionista é uma das obras mais célebres dos tempos modernos, anunciada como uma representação atemporal da ansiedade humana. Edvard Munch (1863-1944) passou vários anos da sua vida numa clínica psiquiátrica, onde foi internado depois de um colapso nervoso, em 1908.

“O Grito” está a ser alvo de um restauro com vista a uma nova exposição. Depois de ter sido roubada em 2004 (e recuperada pouco depois), a obra esteve poucas vezes em exibição.

  Liliana Malainho, ZAP //

Deixe o seu comentário

Your email address will not be published.

PUBLICIDADE
PUBLICIDADE