Mulheres sistematicamente violadas e torturadas em campos de “reeducação” uigures, diz relatório

(dr) End Uyghur Forced Labour

Trabalho forçado dos uigures na província de Xinjiang, na China

Mulheres detidas em campos de “reeducação” uigures, na província chinesa de Xinjiang, têm sofrido violação, abuso sexual e tortura, revelou um novo relatório, que inclui depoimentos de algumas das vítimas.

Como relatou a BBC esta quarta-feira, várias ex-reclusas e um guarda relataram as experiências e o que viram nesses campos, que a China tem insistido servirem para “reeducar” os uigures e outras minorias.

Para Adrian Zenz, especialista em políticas chinesas em Xinjiang, os relatos das vítimas são “das evidências mais terríveis” que já ouviu “desde o início das atrocidades”. “Isto confirma o pior” e “fornece evidências confiáveis ​​e detalhadas de abuso sexual e tortura, num nível claramente maior do que o que havíamos presumido”, referiu.

Uma das ex-reclusas, Tursunay Ziawudun, disse que durante nove meses foi torturada em três ocasiões, por dois ou três homens de cada vez. Gulzira Auelkhan, detida por 18 meses, foi forçada a despir outras mulheres e a agarrá-las “para que não se mexessem”, indicando que havia um sistema de violação organizado nos campos.

A China tem sido sistematicamente criticada pelo tratamento aos uigures muçulmanos. Em janeiro, o governo norte-americano acusou o Partido Comunista Chinês (PCC) de genocídio e crimes contra a humanidade, devido à “prisão arbitrária” de mais de um milhão de pessoas, tortura e trabalhos forçados.

No ano passado, Adrian Zenz publicou um relatório no qual acusava a China de utilizar a esterilização e o aborto forçados e o planeamento familiar coercitivo contra a minoria muçulmana – alegações que Pequim afirmou serem infundadas e falsas.

O relatório foi corroborado por Tursunay Ziawudun, que contou à BBC que as mulheres detidas foram forçadas a usar o DIU (dispositivo intrauterino) ou a serem esterilizadas, tendo ainda sido submetidas a “exames médicos inexplicáveis” e obrigadas a tomar comprimidos e ‘vacinas’ a cada 15 dias, que “causavam náuseas e dormência”.

Um guarda, que falou à BBC sob anonimato, revelou que os detidos, levados pelo próprio para o campo, “sofreram vários tipos de tortura”. Embora tenha indicado nada saber sobre as violações, apontou para tortura recorrente.

O porta-voz do Ministério das Relações Externas, Wang Wenbin, negou os depoimentos incluídos no relatório, dizendo à Reuters que “não têm base factual” e acusando os entrevistados pela BBC de “atores que disseminam informações falsas”.

Pequim negou e rejeitou as acusações de abuso nos campos de “reeducação” e disse que o seu objetivo é fornecer treino vocacional e ajudar a erradicar o extremismo e o separatismo islâmico, discurso reforçado num comunicado enviado à BBC.

  Taísa Pagno //

PARTILHAR

RESPONDER

Koeman: "O que se passou comigo é um problema social"

Treinador do Barcelona teve dificuldades em sair do Camp Nou, depois de perder frente ao Real Madrid. A contestação à volta de Ronald Koeman em Barcelona já se verifica há algum tempo (começou em alguns momentos …

Mais de 100 mil doentes podem ter covid longa e sobrecarregar o SNS

Com o crescimento do número de pacientes que reportam sintomas de covid prolongada, os especialistas receiam que o Serviço Nacional de Saúde não tenha capacidade de resposta. Segundo avança o Expresso, os directores e coordenadores de …

O serial killer John Wayne Gacy

Vítima de serial killer identificada 40 anos depois através do ADN de um dente

Os restos mortais de Francis Wayne Alexander foram encontrados há mais de 40 anos na casa do infame serial killer John Wayne Gacy. Mas só agora se conseguiu verificar a sua identidade. Segundo conta a cadeia …

Nem Salah, nem Mané: "Vão escrever livros sobre o Firmino"

Elogios públicos de Jürgen Klopp, depois da goleada do Liverpool contra o Manchester United. O Liverpool silenciou Old Trafford ao vencer por 5-0 na casa do rival Manchester United, graças aos golos de Keïta, Diogo Jota …

Psicólogo holandês diz ter vendido "pó suicida" a mais de 100 pacientes

Wim van Dijk não está preocupado com uma possível pena de prisão. A intenção do psicólogo holandês é alimentar o debate sobre a morte assistida. O psicólogo holandês Wim van Dijk disse ter vendido um "pó …

O setor dos livros também se está a ressentir do aumento de preços e dos atrasos na distribuição de mercadorias

Empresas do setor apontam a subida do preço da energia (e das restantes matérias-primas), juntamente com os atrasos na distribuição como dois dos fatores disruptivos. O setor do livro é um dos que deverá ser atingido …

Técnicos insistem que INEM transporta muitos doentes não urgentes para urgências hospitalares

Os técnicos de emergência pré-hospitalar insistiram na necessidade de rever os fluxos de triagem dos doentes transportados pelo INEM para as urgências dos hospitais e reconhecem maior dificuldade na passagem do doente devido à elevada …

Ministro da Defesa não participou na organização das comemorações do Dia do Exército — onde foi vaiado

João Gomes Cravinho não participou no processo de organização do Dia do Exército, cerimónia onde foi vaiado e onde não foi tocado o hino daquela força militar. O governante foi, nas últimas 24 horas, defendido …

Recorde: Palmeiras de Abel rematou... 36 vezes num jogo

Um "massacre" da equipa de Abel Ferreira, que conseguiu uma vitória difícil contra o Sport. O Palmeiras prolongou a série positiva no Brasileirão. A equipa de Abel Ferreira chegou à terceira vitória consecutiva no campeonato, levando …

A vitória em Barcelona deve ajudar... a bilheteira do Real Madrid

O máximo que o Santiago Bernabéu registou nesta época foi 24 mil espectadores. Com condicionantes. O renovado Estádio Santiago Bernabéu já acolheu três jogos do Real Madrid nesta temporada mas muitas cadeiras ficaram vazias. O mítico palco …