/

Mulheres estão a mudar o seu género no Instagram (e já se sabe porquê)

1

(CC0/PD) picjumbo / pixabay

Há mulheres a mudar o género no Instagram para “masculino” para enganar uma mudança de algoritmo potencialmente sexista que aconteceu no início deste ano.

De acordo com o IFLScience, as diretrizes da comunidade do Instagram afirmam que nudez e conteúdo inapropriado não são permitidos na plataforma. “Isso inclui fotos, vídeos e algum conteúdo criado digitalmente que mostra relações sexuais, genitais e imagens aproximadas de nádegas completamente nuas. Também inclui algumas fotos de mamilos femininos, mas fotos de cicatrizes pós-mastectomia e mulheres que amamentam ativamente são autorizadas.”

No entanto, em abril, o algoritmo do Instagram mudou para rebaixar determinadas publicações, mesmo que não violem tecnicamente as regras definidas pela própria plataforma, de acordo com o HuffPost.

“Começamos a reduzir a disseminação de publicações inapropriadas, mas que não vão contra as Diretrizes da Comunidade do Instagram, limitando a recomendação desse tipo de publicação nas nossas páginas Explorar e hashtags“, escreveram os responsáveis da rede social em comunicado. “Por exemplo, uma publicação sexualmente sugestiva aparecerá no seu feed se seguir a conta que a publica, mas esse tipo de conteúdo pode não aparecer para a comunidade em geral nas páginas Explorar ou hashtags.”

A mudança fez parte das atualizações que o Facebook anunciou na tentativa de “manter as pessoas seguras e manter a integridade das informações que fluem pela família de aplicações do Facebook. Por outro lado, esta mudança e redução de alcance pode estar a afetar desproporcionalmente as comunidades marginalizadas.

No mês passado, a Salty – uma plataforma online para mulheres, pessoas transexuais e pessoas não-binárias – conduziu um inquérito que constatou que utilizadores LGBTQIA+ frequentemente relatavam que as suas contas tinham sido excluídas, que o seu conteúdo era sinalizado desnecessariamente ou que as suas contas eram desativadas por violar as diretrizes da comunidade sem explicações.

Uma utilizadora, que é uma dançarina de pole australiana, descobriu que os seus próprios níveis de alcance na plataforma estavam a diminuir ao longo de um período de vários meses. Para tentar resolver a situação, decidiu alterar o seu género para “masculino” no Instagram, porque muitas pessoas parecem acreditar que é mais provável o conteúdo ser sinalizado se o género não estiver listado como homem.

Poucos dias depois da mudança, os seus níveis de alcance voltaram ao normal. Outras utilizadoras também relataram que os seus níveis de alcance voltaram à normalidade depois de fazer a alteração.

Embora alguns não tenham notado o efeito, parece que as mulheres sentem que precisam mudar de género online para lidar com possíveis discriminações nestas plataformas.

  ZAP //

1 Comment

Deixe o seu comentário

Your email address will not be published.