Mulheres estão a mudar o seu género no Instagram (e já se sabe porquê)

(CC0/PD) picjumbo / pixabay

Há mulheres a mudar o género no Instagram para “masculino” para enganar uma mudança de algoritmo potencialmente sexista que aconteceu no início deste ano.

De acordo com o IFLScience, as diretrizes da comunidade do Instagram afirmam que nudez e conteúdo inapropriado não são permitidos na plataforma. “Isso inclui fotos, vídeos e algum conteúdo criado digitalmente que mostra relações sexuais, genitais e imagens aproximadas de nádegas completamente nuas. Também inclui algumas fotos de mamilos femininos, mas fotos de cicatrizes pós-mastectomia e mulheres que amamentam ativamente são autorizadas.”

No entanto, em abril, o algoritmo do Instagram mudou para rebaixar determinadas publicações, mesmo que não violem tecnicamente as regras definidas pela própria plataforma, de acordo com o HuffPost.

“Começamos a reduzir a disseminação de publicações inapropriadas, mas que não vão contra as Diretrizes da Comunidade do Instagram, limitando a recomendação desse tipo de publicação nas nossas páginas Explorar e hashtags“, escreveram os responsáveis da rede social em comunicado. “Por exemplo, uma publicação sexualmente sugestiva aparecerá no seu feed se seguir a conta que a publica, mas esse tipo de conteúdo pode não aparecer para a comunidade em geral nas páginas Explorar ou hashtags.”

A mudança fez parte das atualizações que o Facebook anunciou na tentativa de “manter as pessoas seguras e manter a integridade das informações que fluem pela família de aplicações do Facebook. Por outro lado, esta mudança e redução de alcance pode estar a afetar desproporcionalmente as comunidades marginalizadas.

No mês passado, a Salty – uma plataforma online para mulheres, pessoas transexuais e pessoas não-binárias – conduziu um inquérito que constatou que utilizadores LGBTQIA+ frequentemente relatavam que as suas contas tinham sido excluídas, que o seu conteúdo era sinalizado desnecessariamente ou que as suas contas eram desativadas por violar as diretrizes da comunidade sem explicações.

Uma utilizadora, que é uma dançarina de pole australiana, descobriu que os seus próprios níveis de alcance na plataforma estavam a diminuir ao longo de um período de vários meses. Para tentar resolver a situação, decidiu alterar o seu género para “masculino” no Instagram, porque muitas pessoas parecem acreditar que é mais provável o conteúdo ser sinalizado se o género não estiver listado como homem.

Poucos dias depois da mudança, os seus níveis de alcance voltaram ao normal. Outras utilizadoras também relataram que os seus níveis de alcance voltaram à normalidade depois de fazer a alteração.

Embora alguns não tenham notado o efeito, parece que as mulheres sentem que precisam mudar de género online para lidar com possíveis discriminações nestas plataformas.

ZAP //

PARTILHAR

1 COMENTÁRIO

RESPONDER

Os animais começaram a fazer sons para poderem conversar no escuro

O reino animal está cheio de diferentes vocalizações. A produção sonora apareceu há entre 100 milhões e 200 milhões de anos e a sua origem está fortemente ligada à vida no escuro. Os vertebrados são animais …

O novo líder do CDS reclama uma nova direita (e quer um partido "sexy")

Francisco Rodrigues dos Santos sagrou-se este domingo o 10º presidente do CDS, reclamando no seu discurso de vitória a herança de todos os seus antecessores, desde o fundador, Freitas do Amaral, a Assunção Cristas. O tom …

Paços 0 - 2 Benfica | “Águia” não vacila e passa pressão

O Benfica foi a Paços de Ferreira vencer por 2-0, colocando pressão sobre o FC Porto, segundo classificado, que na próxima terça-feira recebe o Gil Vicente. A formação “encarnada” foi superior na maioria dos principais momentos …

Governo reabre processo para corrigir mapa das freguesias

O Governo reabriu o processo para a correção ao mapa de freguesias, num compromisso com as associações de municípios e de freguesias, anunciou o secretário de Estado da Descentralização e Administração Local, Jorge Botelho. “Iremos retomar …

Google cria modelo de cérebro mais detalhado (e com maior resolução) de sempre

A recriação 3D do cérebro de uma mosca da fruta - que mostra 20 milhões de sinapses e 25 mil neurónios - é a que tem a maior resolução até ao momento. Uma equipa de …

Morreu Kobe Bryant, uma das maiores estrelas de sempre da NBA

Kobe Bryant, um dos maiores basquetebolistas de sempre, morreu na manhã deste domingo em Calabasas, Califórnia, num desastre de helicóptero. De acordo com a TMZ, Bryant viajava com, pelo menos, três outras pessoas num helicóptero privado, …

Há seis queixas de violência policial por semana

Em Portugal, são apresentadas em média seis queixas semanais por violência policial, escreve o semanário Expresso na sua edição deste fim-de-semana, citando os dados mais recentes da Procuradoria-Geral da República. De acordo com os números, relativos …

CRISPR tornou galinhas resistentes a um vírus comum

A técnica de edição genética CRISPR tem sido usada para tornar as galinhas resistentes a um vírus comum, uma abordagem que poderia aumentar a produção de ovos e de carne em todo o mundo. Mesmo quando …

A Cybertruck de Musk poderá ser "incrivelmente barata" de produzir

A Cybertruck de Elon Musk, CEO da Tesla e da Space X, pode ser "incrivelmente barata" de produzir graças à sua inovadora tecnologia de carroçaria, afirmou um especialista em entrevista à Autoline Network. O engenheiro Sandy …

Novo estudo associa o burnout a uma consequência fatal

Uma nova investigação associa o burnout a um aumento de até 20% no risco de desenvolver fibrilhação auricular, a arritmia crónica mais frequente. O burnout é uma perturbação psicológica causada pelo stress excessivo devido a uma …