Ministério Público quer anular libertação do amante de Rosa Grilo

(dr)

Luís Grilo, triatleta de 50 anos, residente em Vila Franca de Xira, desapareceu a 16 de julho sem deixar rasto

O Ministério Público (MP) pediu a nulidade do despacho judicial que ordenou esta sexta-feira a libertação de António Joaquim, acusado de matar o triatleta Luís Grilo, em coautoria com a mulher da vítima, Rosa Grilo.

“O Ministério Público apresentou requerimento de declaração de nulidade do despacho proferido por violação do contraditório relativo ao Ministério Público. Arguiu ainda a irregularidade da alteração da medida de coação por ausência de fundamentação da decisão”, explicou a Procuradoria-Geral da República, em resposta enviada à agência Lusa.

António Joaquim, que se encontrava em prisão preventiva desde setembro de 2018, assim como Rosa Grilo, que se mantém com a mesma medida de coação, saiu esta sexta-feira em liberdade, na sequência de um requerimento apresentado pela defesa, há dois dias, no qual solicitava a revogação da prisão preventiva por entender que “não existiam elementos provatórios que pudessem sustentar a tese da acusação”.

Ricardo Serrano Vieira, advogado do arguido, explicou esta sexta-feira à agência Lusa que “as circunstâncias que determinaram a prisão preventiva estavam invariavelmente alteradas, assim como a ausência das exigências cautelares”.

A acusação do MP atribui a António Joaquim a autoria do disparo sobre Luís Grilo, na presença de Rosa Grilo, no momento em que o triatleta dormia no quarto de hóspedes na casa do casal, na localidade de Cachoeiras, Vila Franca de Xira (distrito de Lisboa).

O crime, que ocorreu em 15 de julho de 2018, terá sido cometido para poderem assumir a relação amorosa e beneficiarem dos bens da vítima – 500.000 euros em indemnizações de vários seguros e outros montantes depositados em contas bancárias tituladas por Luís Grilo, além da habitação.

O corpo foi encontrado com sinais de violência e em adiantado estado de decomposição, mais de um mês após o desaparecimento, a cerca de 160 quilómetros da sua casa, na zona de Benavila, concelho de Avis, distrito de Portalegre.

Libertação pode antecipar absolvição

A libertação de António Joaquim pode antecipar a absolvição do crime de homicídio, de acordo com o seu advogado. “Tudo se perspetiva nesse sentido”, confirma o advogado que representa a família da vítima, António Jorge Rebelo, em declarações ao Público.

Segundo o advogado, não faria sentido o tribunal libertar o arguido, que tem prisão preventiva decretada até março do próximo ano, para o condenar no próximo dia 10 de janeiro, data em que se vai conhecer a sentença, por um crime de homicídio.

António Joaquim admite apenas ter cometido um dos crimes de que é acusado, o de detenção de arma proibida. Quanto ao homicício e à profanação de cadáver, o arguido sempre negou, dizendo não te sabido nada do homicídio.

MP pede mais de 20 anos de prisão

Em 26 de novembro, o MP pediu no Tribunal de Loures penas acima dos 20 anos de prisão para Rosa Grilo e António Joaquim. Nas alegações finais do julgamento, o procurador do MP, Raul Farias, defendeu perante o tribunal de júri penas acima dos 20 anos e meio de cadeia para os arguidos, sustentando que ambos planearam, delinearam e executaram um plano com vista a matar a vítima, para, segundo a acusação, assumirem a relação extraconjugal e ficarem com cerca de 500.000 euros provenientes de seis seguros.

O procurador admitiu que a prova pericial e testemunhal contra António Joaquim “é zero”, sustentando, no entanto, que foi o arguido quem efetuou o único disparo que matou Luís Grilo, quando este se encontrava na sua casa nas Cachoeiras, na madrugada de 16 de julho de 2018, baseando-se apenas nas declarações da arguida Rosa Grilo.

O procurador justifica esta conclusão com o facto de a arguida “não saber disparar” uma arma e também por “desconhecer como é que o marido foi morto”, pois esta afirmou ter ouvido dois tiros quando a autópsia confirma que Luís Grilo foi morto com um disparo.

De acordo com o procurador, o arguido está a ser julgado apenas devido às declarações de Rosa Grilo, que assumiu ter ido buscar e depois levar a arma à casa de António Joaquim, sem este saber, para se sentir mais segura em sua casa, alegando que o seu marido estaria a ser ameaçado por causa de negócios com diamantes.

Rosa Grilo e António Joaquim conhecem o acórdão em 10 de janeiro de 2020, pelas 14:00.

ZAP // Lusa

PARTILHAR

RESPONDER

Ex-presidente de Santa Comba Dão alega Alzheimer para faltar a julgamento

O ex-presidente da Câmara de Santa Comba Dão alegou sofrer de Alzheimer para faltar ao julgamento, esta segunda-feira, em que está acusado dos crimes de prevaricação de titular de cargo público e fraude na obtenção …

Alemães e ingleses recolheram pistas em Portugal para tentar chegar ao corpo de Maddie

Elementos das polícias alemã e inglesas estiveram no nosso país, no final de Setembro, para uma reunião com investigadores portugueses com o intuito de recolher dados sobre Christian Brueckner que é suspeito de ter raptado …

“Retificações especiais e centralizadas”. China quer acabar com "caos" na Internet

A Administração do Ciberespaço da China exigiu esta terça-feira aos fornecedores de serviços móveis do país que executem uma série de “retificações especiais e centralizadas”, face a “preocupações sociais” perante o “caos” na Internet. As oito …

Football Leaks. Advogado admite que podia ter emails relacionados com o Luanda Leaks

O advogado e ex-sócio da PLMJ João Magalhães Ramalho admite que pudesse ter documentos relacionados com o Luanda Leaks e com Isabel dos Santos na sua conta de email, que alegadamente foi pirateada por Rui …

Portugal regista mais 3.299 casos e 28 mortes por covid-19

Portugal contabiliza hoje mais 28 mortes e 3.299 casos confirmados de infeção com o novo coronavírus, de acordo com o boletim epidemiológico da Direção-Geral da Saúde (DGS). Nas últimas 24 horas, Portugal conta com mais 3.299 …

Argentina levanta restrições na capital. Rússia regista recorde de mortes diárias e aumenta contenção

A Argentina prorrogou esta semana as medidas para combater a pandemia de covid-19 nas zonas mais afetadas do país, ao mesmo tempo que prossegue a reabertura na capital, onde os casos têm vindo a diminuir. Desde …

Maioria dos portugueses defende Orçamento viabilizado à esquerda (e rejeita demissão do Governo)

Uma sondagem da Aximage para o Jornal de Notícias e a TSF revela que a maioria dos portugueses - cerca de 60% - defende que o Orçamento de Estado para 2021 (OE2021) seja viabilizado com …

Ministro Manuel Heitor já não está infetado com covid-19

O ministro da Ciência, Tecnologia e Ensino Superior já não está infetado com covid-19, depois de ter recebido, esta segunda-feira, um teste com resultado negativo. De acordo com o semanário Expresso, Manuel Heitor recebeu, ao final …

"Só aumentariam as insuficiências". Médicos respondem a carta aberta da Ordem que pede uso dos privados

Um grupo de médicos respondeu à carta aberta assinada pelo atual bastonário da Ordem dos Médicos e quatro ex-bastonários, que defendem uma maior utilização dos serviços de saúde privados para responder à situação gerada pela …

Ensaio clínico de tratamento com anticorpos cancelado por ineficácia

As autoridades norte-americanas decidiriam cancelar um ensaio clínico de um tratamento experimental com anticorpos que estava a ser administrado a doentes hospitalizados com covid-19, justificando que o medicamente não se revelou eficaz na recuperação dos …