/

Morte de criança por suspeitas de maus-tratos. Mãe estava sinalizada pela Comissão de Protecção de Menores

6

PJ / Facebook

Uma ama e a mãe da criança são suspeitas no caso da morte de uma menina de três anos em Setúbal. A Polícia Judiciária (PJ) está a investigar possíveis maus-tratos. A mãe tem seis filhos, mas apenas a menina que morreu estava ao seu cuidado.

A menina de três anos era a única que continuava ao cuidado da mãe que estava sinalizada pela Comissão de Protecção de Crianças e Jovens (CPCJ), conforme avança o Correio da Manhã (CM). O jornal refere que os outros cinco filhos da mulher já lhe tinham sido retirados, sem apontar as razões para isso.

A criança “morreu com lesões traumáticas que não parecem ser compatíveis com uma queda”, segundo as primeiras conclusões da PJ, como nota o CM.

O Jornal de Notícias (JN) apurou também que a menina apresentava marcas de agressões antigas no corpo, o que podem ser “sinais de violência continuada”.

À espera dos resultados da autópsia

Foi a mãe quem chamou o INEM para socorrer a filha depois de já a ter ido buscar à ama onde a criança ficou durante os seus últimos cinco dias de vida, até esta segunda-feira.

A menina estaria “sonolenta, pouco colaborante e a desfalecer gradualmente“, como terá dito a mãe à PJ, segundo refere o CM. “Deixou-a dormir e só alertou o 112” mais tarde, “quando já nada havia a fazer”, aponta ainda o jornal.

Quando os paramédicos do INEM chegaram fizeram manobras de reanimação e a menina ainda chegou com vida ao Centro Hospitalar de Setúbal (CHS), onde foi “entubada e ventilada”, apurou o CM. Contudo, acabou por falecer.

A autópsia vai, agora, ser decisiva para determinar a causa de morte e, nomeadamente, para perceber se a administração do anti-histamínico Atarax terá contribuído para a morte da criança.

A mãe da criança alega que a ama terá dado o medicamento à menina para a acalmar depois de esta ter sofrido, alegadamente, uma queda.

Mas o JN avança que a ama nega esta versão, garantindo que não deu qualquer medicamente à menina.

Ama e mãe são ambas suspeitas no caso e a PJ de Setúbal já as interrogou nesta terça-feira. Foram também realizadas buscas nas respectivas residências.

Menina terá chegado a casa da mãe “toda negra”

A mãe terá 35 ou 37 anos, segundo o que vem na imprensa, e é fadista, além de “cantar à noite em karaokes de diversos bares”, como apurou o CM que sublinha que “está desempregada“.

Terá sido vítima de violência doméstica numa anterior relação e terá chegado a dormir na rua com a filha. Os outros cinco filhos estarão ao cuidado dos pais, de acordo com o JN.

Atualmente, vive com o companheiro que é pescador no bairro piscatório Santos Nicolau, em Setúbal, como nota o mesmo jornal.

Ao companheiro, a mulher terá dito que a filha estava numa “colónia de férias do infantário”, como reporta o CM.

Em declarações a este jornal, o pescador refere que a criança chegou a casa, vinda da ama, “toda negra”, nomeadamente no nariz, e que tinha “o coração a bater muito rápido“.

O pai da menina terá regressado há pouco tempo da Holanda, onde terá residido, para retomar o “contacto esporádico com a menina”, frisa ainda o diário.

A ama tem 70 anos e vive num quadro “problemático”, com o marido, uma filha e uma neta bebé, “numa casa degradada a apenas 500 metros da PJ de Setúbal“, sublinha o CM. “Não era vista pela vizinhança com outras crianças”, frisa o jornal.

  ZAP //

6 Comments

  1. Portanto, a mãe:
    – não tem trabalho regular
    – tem filhos de vários homens diferentes
    – pelo menos a última relação envolveu violência doméstica
    – todos os outros filhos lhe foram retirados

    Só miséria. A pobre menina estava condenada à nascença.

    • Exacto! 🙁
      Precisamente o q/disse, mas por outras palavras (mas o meu comentário ainda não foi publicado).
      Cumprimentos

  2. Bom dia.
    Pelo q/ouvi nas notícias (vale o q/vale), a criança estaria “sinalizada pela CPCJ desde os primeiros meses de vida”.
    Tendo a mãe CINCO filhos, ao q/percebi, de pais diferentes, desempregada e AINDA c/a sinalização da CPCJ, COMO é q/ainda é possível estas situações acontecerem? COMO?!?!?!?!
    Se fosse uma dívida ao Fisco ou à Segurança Social, já lhe tinha caído em cima o “Carmo e a Trindade”, provavelmente até já estaria presa….
    Mas é SÓ MAIS UMA VIDA INOCENTE de APENAS 3 ANOS DE IDADE q/se perde para sempre, deixa de existir, FIM.
    E mais não digo… para quê?! E até quando…?!
    Bom resto de semana para todos.

Deixe o seu comentário

Your email address will not be published.