//

Morreu o príncipe Filipe, marido de Isabel II. Tinha 99 anos

1

Morreu na manhã desta sexta-feira, aos 99 anos, o príncipe Filipe, duque de Edimburgo, marido da rainha Isabel II.

O príncipe Filipe, marido da rainha Isabel II e o consorte mais antigo de qualquer monarca britânico, morreu esta sexta-feira aos 99 anos.

“É com profunda tristeza que Sua Majestade a Rainha anunciou a morte do seu amado marido, Sua Alteza Real o Príncipe Filipe, Duque de Edimburgo. A sua Alteza Real faleceu pacificamente esta manhã no Castelo de Windsor”, lê-se numa nota do Palácio de Buckingham. “Mais anúncios serão feitos no devido tempo. A Família Real une-se às pessoas ao redor do mundo no luto pela sua perda.”

No últimos mês, o príncipe Filipe foi submetido “com sucesso” a um procedimento médico para tratar um problema cardíaco no Hospital St. Bartholomew, em Londres.

O marido da Rainha Isabel II esteve hospitalizado várias semanas devido a uma infeção e àquele problema cardíaco.

O Palácio de Buckingham garantiu, desde o início, que a doença não estava relacionada com o novo coronavírus. Tanto o príncipe como a monarca receberam as vacinas contra a covid-19 em janeiro e decidiram falar sobre o assunto para encorajar outros britânicos a tomar também a vacina.

A imprensa britânica avançou, na altura, que, devido à idade avançada do duque de Edimburgo, que completaria 100 anos a 10 de junho, estariam já definidos os preparativos para cumprir o protocolo em caso de um óbito real.

O príncipe Filipe passou 65 anos a apoiar a rainha, aposentando-se do seu cargo público em 2017 e permanecendo praticamente fora da vida pública desde então.

Nos seus anos ativos, o consorte ajudou a definir um novo rumo para a monarquia sob uma jovem rainha, defendendo a Grã-Bretanha, bem como as causas ambientais, ciência e tecnologia.

O casal tem quatro filhos, oito netos e 10 bisnetos.

“Um servidor público extraordinário”

O primeiro-ministro britânico Boris Johnson lamentou a morte do Príncipe Filipe e deixou uma palavra de homenagem à vida do marido da Rainha Isabel II. “Ajudou a conduzir os destinos da Família Real e a monarquia garantindo que esta continuasse a ser uma instituição inegavelmente vital para o equilíbrio e para a felicidade da nossa vida nacional”, apontou Boris Johnson, de acordo com jornal britânico The Guardian.

O primeiro-ministro australiano Scott Morrison também lamentou a morte do Duque de Edimburgo. “Durante perto de 80 anos, o Príncipe Filipe serviu a sua Coroa, o seu país e a Commonwealth. Sua Alteza Real, o Duque de Edimburgo, era nas palavras de Sua Majestade [Isabel II] a sua “força e estabilidade”. Corporizou uma geração que nunca mais veremos”.

PUBLICIDADE
PUBLICIDADE

“Nós, australianos, enviamos o nosso amor e as nossas maiores condolências a Sua Majestade e a toda a Família Real. A família da Commonwealth junta-se em luto e em graças pela perda e pela vida do Príncipe Filipe”.

O atual líder do Partido Trabalhista britânico, Keir Starmer, também reagiu à notícia. “O Reino Unido perdeu um servidor público extraordinário. O Príncipe Filipe dedicou a sua vida ao nosso país – desde a carreira distinta que teve na Marinha Real durante a Segunda Guerra Mundial às suas décadas de serviço como Duque de Edimburgo”, lembrou.

“Será recordado acima de tudo pelo seu extraordinário compromisso e devoção à Rainha. Esteve a seu lado mais de sete décadas. O casamento dos dois tem sido um símbolo de força, estabilidade e esperança mesmo quando o mundo à volta deles mudou – mais recentemente, durante a pandemia. Foi uma parceria que inspirou milhões de pessoas no Reino Unido e por todo o mundo”, referiu.

“A nossa nação une-se em luto e para recordar a vida do Príncipe Filipe”.

  Maria Campos, ZAP //

1 Comment

  1. Aguentou-se bem à custa de muita homeopatia, diziam eles pelo menos. Enfim… Paz à sua alma. Só foi pena não se aguentar até aos 100.

Deixe o seu comentário

Your email address will not be published.