Montenegro quer ganhar as autárquicas, baixar impostos e devolver o D ao PSD

José Coelho / Lusa

O ex-líder parlamentar do PSD, Luís Montenegro

Luís Montenegro apresentou este domingo a sua candidatura à liderança dos social-democratas com as promessas de uma baixa de impostos, IRS, IRC e IVA, e de “devolver o ‘D’ ao PSD”, porque o país já tem “PS a mais”.

O candidato fez um discurso de 40 minutos, dirigido aos militantes, mas também a todos os portugueses, numa sala decorada e com luzes laranja, num espaço junto ao Tejo, em Lisboa, em que falou de tudo, com críticas à estratégia do líder, Rui Rio, ao Governo, passando pela situação mundial e na União Europeia.

O social-democrata revelou que, se for eleito, nas diretas de janeiro de 2020, uma das suas primeiras propostas é de política fiscal e prevê uma baixa de impostos para “impulsionar o crescimento da economia, desafogar a classe média, aumentar os rendimentos das famílias, contribuir para melhorar salários e pensões”.

Luís Montenegro, o ex-líder parlamentar do PSD durante o tempo do Governo PSD/CDS-PP, prometeu uma “redução gradual faseada ao nível do IRS e IRC” e a simplificação do regime do IVA (Imposto sobre o Valor Acrescentado), de “fusão da taxa intermédia e mais elevada”, que estimou não ser “superior a 20%”.

Internamente, falando para o partido e sobre a sua estratégia, o antigo líder parlamentar disse que quer “devolver o ‘D’ ao PSD”, o que causou sorrisos e palmas na sala, porque “o país já tem PS a mais”, o “Estado já tem PS a mais” e não precisa de ter um “PSD subalterno ao PS”.

O ‘D’ do PSD representa, segundo afirmou, o ‘D’ da “democracia, da diferença, da dignidade, desenvolvimento, dinamismo, disrupção”.

No seu discurso, apontou ao Governo do PS de António Costa, que acusou de ser primeiro-ministro de um país “do poucochinho” por dizer que Portugal está a convergir com a União Europeia, mas que tem “20 países à frente” em termos de indicadores económicos.

O resultado é que o Governo “passou a viver da herança [dos resultados] do Governo do dr. Pedro Passos Coelho”, afirmou, arrancando uma salva de palmas dos apoiantes, entre eles muitos ex-deputados do ‘passismo’, como Carlos Abreu Amorim, Teresa Morais, Paula Teixeira da Cruz ou a antiga ministra das Finanças Maria Luís Albuquerque.

Mais uma vez, recusou que o partido, sob a sua liderança, venha a ser “a bengala suplente do PS” quando falham os apoios da esquerda, BE e PCP, para “caucionar mais ou menos discretamente as habilidades deste Governo”.

E deu o exemplo dos acordos entre a direção do PSD de Rui Rio, sobre fundos europeus e descentralização, que, segundo disse, serviram para ajudar a “simular a moderação e o recentramento” do PS quando ainda era apoiado pelos partidos de esquerda, na anterior legislatura.

O novo Governo de António Costa é “grande” em número de ministros e secretários de Estado, com “promessas e banalidades a mais” e com resultados que “são perigosamente pequenos”, numa altura em que “as pessoas e as empresas” vivem “atulhados em impostos”.

O candidato à liderança do PSD apontou como objetivo o partido vencer as próximas eleições autárquicas, em 2021, a começar pela Câmara de Lisboa. Na apresentação da sua candidatura, em Lisboa, Luís Montenegro afirmou que, “neste novo ciclo” político, o seu objetivo é o partido “liderar o poder local”, “ganhar a maioria das câmaras, a começar pela Câmara Municipal de Lisboa”.

As eleições autárquicas, afirmou, é uma prioridade para a sua liderança, se ganhar as diretas de janeiro de 2020, e será ele próprio, enquanto líder, a coordenar o processo autárquico, ao contrário do que tem acontecido noutras eleições, em que esse papel é desempenhado pelos secretários-gerais, por exemplo.

Sei bem o que quero para voltar a ganhar em Lisboa. Sei bem qual a estratégia e protagonistas”, disse, sem adiantar mais pormenores.

Nas autárquicas de outubro de 2017, o PSD teve o seu pior resultado de sempre em eleições locais, ganhando em 98 municípios, em listas próprias e com outros partidos. As eleiçõs foram ganhas pelo PS, que conquistou 161 câmaras, duas das quais em coligação.

Além das eleições autárquicas, Luís Montenegro quer vencer as próximas legislativas, e não “ganhar nas sondagens ou nas expetativas” e “ficar à espera” que os portugueses se virem para o PSD “quando as dificuldades apertarem”.

Por quatro vezes, e um mês depois da derrota do PSD de Rui Rio nas legislativas de 6 de outubro, Luís Montenegro falou na necessidade de ganhar eleições. “Não chega proclamar vitórias morais para disfarçar derrotas abissais”, afirmou, numa indireta a Rio, que desdramatizou os resultados dos sociais-democratas nas eleições de outubro.

Sem nunca referir diretamente o nome de Rui Rio, o antigo líder parlamentar criticou a forma como a direção geriu o partido nos últimos anos, com divisões que não são aceitáveis, entre “os bons e os maus”, os “puros e impuros”, os “desejados e discriminados”, criticando que quem, dentro do partido, “pensava pela sua própria cabeça era dispensado”.

E prometeu que, consigo na liderança, o PSD “vai voltar a ser o que sempre foi”, “abrangente”, onde a “unidade se constrói na ação e não no conflito”, exemplo do que disse ter feito quando dirigiu o grupo parlamentar na Assembleia da República.

Montenegro teve a seu lado o ex-líder do partido e ex-ministro Rui Machete, a militante n.º 2 do PSD, Conceição Monteiro, e ex-deputados como Hugo Soares, o presidente da Câmara de Viseu, Almeida Henriques, Nuno Serra ou Amadeu Albergaria.

A sala estava decorada em tons laranja, cor do partido, com imagens de todos os líderes que foram primeiros-ministros, de Sá Carneiro, Carlos Mota Pinto, Pinto Balsemão, Cavaco Silva, Durão Barroso, Pedro Santana Lopes e Pedro Passos Coelho.

As eleições diretas para a escolha do presidente do PSD foram agendadas para 11 de janeiro e congresso nacional realiza-se entre 7 e 9 de fevereiro, em Viana do Castelo. Até ao momento, há três candidatos: Rui Rio, o atual presidente; Luís Montenegro, ex-líder parlamentar; e Miguel Pinto Luz, vice-presidente da câmara de Cascais, distrito de Lisboa, e que apresenta formalmente a sua candidatura no dia 18 de novembro.

ZAP // Lusa

PARTILHAR

15 COMENTÁRIOS

  1. Vai sonhando, Montenegro!
    A verdade é que este ciclo ainda não é o do regresso do PSD ao poder, sendo mais do que certa a manutenção das principais autarquias sob controle do PS. Com exceção de Braga, visto que se Rui Moreira não se candidatar, Provavelmente também o Porto cairá nas mãos de Costa.
    Vão ter de esperar pelo agravamento da conjuntura internacional e pela formalização do divórcio à esquerda.

      • Mas qual esquerda (ou direita)?!
        Quanta ingenuidade (ou pior)!…
        Este advogado parasita mafioso quer é continuar a parasitar e a abrir caminho para os seus negócios (como fez enquanto deputado!), estando-se completamente nas tintas para a esquerda ou direita!!
        Só mesmo quem anda a dormir na forma é que ainda não percebeu ao que este monte-de-estrume vem!…

  2. Ó Monte de, não prometas o que sabes que não vais fazer, desde 2002 que ouço a promessa tanto do PPD como do PPD/CDS e do PS com essa conversa, sobre o aparelho de Estado estar a ser do PS, é igual já quando teve o PPD e o PPD/CDS no governo fizeram precisamente o mesmo, só para te lembrar o Mota da lambreta só de uma assentada meteu 18 digo bem (dezoito) boys do PPD e do CDS como dirigentes na Segurança Social, até fizeram uma lei para que todas as nomeações e os seus vencimentos passaram a ser confidenciais.

  3. Certas personagens com falinhas mansas são de se estar sempre com um pé atrás. Depois repara-se no bolorento circundante, com excepção de alguns idosos. Ficam aqueles urubus a circundar, reles e silenciosos à espera do festim.

RESPONDER

Vibrações provocadas por "estrelamotos" permitem precisar a idade da Via Láctea

Os tremores estelares registados pelo telescópio espacial Kepler, da NASA, ajudaram a responder a um antigo enigma sobre a idade do "disco espesso" da Via Láctea. Uma equipa de cientistas, liderada por investigadores do Centro de …

Este casaco foi desenhado para nos ajudar a dormir em qualquer lado

A britânica Vollebak lançou um casaco, inspirado nos astronautas, que facilita a ideia de poder dormir, literalmente, em qualquer lado. A pensar em todas aquelas pessoas que gostam de fazer uma sesta ou outra, independentemente do …

DJ Juice WRLD morre aos 21 anos

A estrela do hip-hop norte-americano Juice WRLD faleceu este domingo (8), depois de sofrer convulsões no Aeroporto de Midway, em Chicago, avança o TMZ. O rapper tinha feito 21 anos a 2 de dezembro. De acordo …

"A Favorita" arrebata prémios do cinema europeu

O filme "A Favorita", do realizador grego Yorgos Lanthimos, arrecadou oito prémios da Academia de Cinema Europeu, numa cerimónia realizada em Berlim. "A Favorita" conquistou, entre outros, os prémios de Melhor Filme Europeu, Melhor Comédia, Realização …

Belenenses 1-1 Porto | "Dragão" escorrega e deixa fugir líder

O FC Porto não foi além de um empate na visita ao Jamor, ante o Belenenses. André Santos abriu as “hostilidades” e Alex Telles, na marcação de uma grande penalidade, fixou o resultado final. Com esta …

Caligrafia desleixada de Isabel I denuncia-a como a tradutora anónima de um livro romano

A rainha Isabel I de Inglaterra foi identificada como a tradutora anónima do livro "Anais" de Tácito. As idiossincrasias da sua caligrafia acabaram por ser fundamentais para a descoberta. Na análise a uma tradução de século …

Hashtags políticas como #MeToo tornam as pessoas menos propensas a acreditar em notícias

Tendem a passarem despercebidas, mas as hashtags são mais importantes do que julgamos. A questão que se impõe é: serão benéficas para a saúde democrática da Internet? Uma hashtag (#) é uma marca funcional, amplamente usada …

Sporting 1-0 Moreirense | "Leão" resolve à cabeçada

O Sporting regressou às vitórias na Liga NOS, embora não sem sentir algumas dificuldades, em especial no ataque. Os "leões" bateram o Moreirense por 1-0, numa partida em que remataram muito (28, máximo na Liga até …

Orçamento do Estado. "Sentido de voto do BE está completamente em aberto"

A coordenadora do BE afirmou, este domingo, que o sentido de voto do partido sobre o Orçamento do Estado para 2020 está "completamente em aberto", desejando que o Governo socialista atenda às reivindicações bloquistas. "Fizemos uma …

João Cotrim Figueiredo eleito presidente da Iniciativa Liberal com 96% dos votos

João Cotrim Figueiredo foi eleito, este domingo, presidente da Comissão Executiva da Iniciativa Liberal, uma candidatura única que recolheu 96% dos votos na III Convenção Nacional do partido. A III Convenção Nacional do partido decorre hoje …