Moção de censura derruba Governo de Sebastian Kurz na Áustria

Florian Wieser / EPA

O Parlamento austríaco aprovou esta segunda-feira uma moção de censura apresentada pela oposição, fazendo cair o executivo liderado pelo chanceler e líder do Partido Popular Austríaco (ÖVP), o conservador Sebastian Kurz.

A moção foi votada no Parlamento na sequência de um escândalo que envolveu a extrema-direita austríaca (Partido da Liberdade da Áustria-FPÖ), que integrava o governo de coligação liderado pelo partido de Kurz. A moção de censura passou com os votos dos sociais-democratas e dos nacionalistas do FPÖ.

A Áustria enfrenta uma crise política depois da coligação governamental entre direita e extrema-direita ter sido quebrada, devido a um vídeo comprometedor para o líder nacionalista Heinz-Christian Strache, que era o número dois do executivo austríaco.

Na sequência do escândalo, foi anunciado que a Áustria iria avançar para a realização de eleições antecipadas em setembro.

As legislativas foram convocadas por Kurz após a divulgação de extratos de um vídeo em que o líder do FPÖ, Heinz-Christian Strache, foi filmado, por uma câmara oculta, a prometer a uma suposta sobrinha de um milionário russo, alguns meses antes das eleições legislativas austríacas de 2017, a adjudicação de contratos públicos em troca de apoio financeiro e mediático ao seu partido.

O escândalo veio perturbar a cena política austríaca e levou à demissão de Strache de todos os seus cargos, incluindo o de vice-chanceler e o de líder do partido de extrema-direita, e posteriormente à saída do governo de todos os ministros do FPÖ.

Kurz, que assumiu o poder em finais de 2017 e que mantém níveis altos de popularidade, é o primeiro chanceler austríaco a ser derrubado por moção de censura.

“Ninguém no país entenderá a vontade de derrubar o governo”, disse Kurz, antes da votação, acrescentando que a decisão poderia prejudicar a estabilidade do país.

Nos últimos dias, o FPÖ tinha intensificado os ataques contra Kurz e as críticas à forma como o chanceler geriu as consequências do escândalo que ficou conhecido como “Ibizagate”. Para Heinz-Christian Strache, exigir a saída de Kurz foi “lógica”. A “confiança desapareceu”, reforçou, por sua vez, o secretário-geral do FPÖ, Harald Vilimsky.

Moção “reforça” Kurz

O politólogo e historiador Andreas Maislinger defende que  conservador Sebastian Kurz sairá reforçado e deverá ser o candidato vencedor nas legislativas antecipadas.

Os austríacos deram ao Partido Popular Austríaco (ÖVP) praticamente 35% dos votos nas eleições europeias, uma diferença de mais de dez pontos percentuais em relação à segunda força mais votada. Apesar disso, os sociais-democratas do SPÖ e o partido nacionalista FPÖ votaram a saída do seu líder e chanceler da Áustria, Sebastian Kurz.

Para o analista político austríaco Andreas Maislinger, a vitória do partido de Kurz nas europeias, com um resultado acima do previsto, “não foi uma surpresa”.

“Justifica-se com a competência do cabeça de lista, Othmar Karas, e com o forte empenho de Sebastian Kurz”, mesmo depois de um escândalo político que abalou o país, e que envolveu o vice-chanceler, líder do partido de extrema-direita, sublinhou em declarações à agência Lusa.

“Fosse ou não afastado do governo [através de uma moção de censura], Sebastian Kurz sairia sempre a ganhar e mais reforçado. Este chumbo ao governo surgiu como consequência dos resultados do SPÖ nas eleições e por cooperar com FPÖ [formando uma coligação]”, revelou Maislinger, sublinhando que será precisamente o partido social-democrata austríaco a sofrer as consequências.

“Neste momento o SPÖ tem um problema com a sua credibilidade. Era um partido com orgulho e de sucesso, mas o que querem hoje em dia? Alguns dos meus conhecidos e militantes estão incomodados com o partido pois parece estarem a brincar com a liberdade”, frisou o politólogo e historiador.

Sebastian Kurz propôs ao Presidente eleições antecipadas e manter-se como chanceler até à votação, que deverá realizar-se em setembro. Com a moção de censura, a Áustria fica com um Governo de gestão durante os próximos meses.

“Acredito que Kurz será o candidato pelo ÖVP e que conseguirá mais de 40% dos votos. A questão é quem poderá substituir a atual líder do SPÖ, Pamela Rendi-Wagner que já não reúne consenso dentro do partido”, considerou Andreas Maislinger.

ZAP // Lusa

 

 

PARTILHAR

RESPONDER

Ciência explica porque é que alguns cheiros desencadeiam memórias fortes

O cheirinho de pão acabado de sair do forno pode, por exemplo, funcionar como um portal do tempo, levando-nos de volta àquele pequeno café em Paris que visitámos há alguns anos. Os cheiros têm a capacidade …

Quase 40% dos americanos com dificuldades financeiras. Doar sangue é a sua maior receita

A economia dos Estados Unidos (EUA), considerada uma das maiores do mundo, permitiu avanços sociais e tecnológicos inestimáveis. Contudo, atualmente, cerca de 40% dos norte-americanos afirmam ter dificuldade em pagar por comida, por habitação, por …

"Políticos devem ser colocados contra a parede". Greta pede desculpa

A ativista do clima Greta Thunberg pediu desculpa por ter dito que os políticos devem ser colocados “contra a parede”, após diversas pessoas terem considerado que a jovem estava a defender a violência. A sueca de …

Carnaval belga retirado da lista de Património Imaterial da UNESCO após queixas de antissemitismo

As festas da cidade de Aalst, na Bélgica, foram retirada da lista do Património Imaterial da Humanidade, depois de a UNESCO ter sancionado a presença de carros carnavalescos contendo imagens antissemitas. O presidente da Câmara …

Conselho de Ministros aprova proposta de OE2020 (e foram quase 10 horas de reunião)

O Conselho de Ministros aprovou hoje a proposta de Orçamento do Estado para 2020, dez horas depois de a reunião extraordinária ter começado, anunciou hoje o primeiro-ministro na sua página na rede social Twitter. "O Conselho …

Nova espécie de baleia mostra como este animal evoluiu para conseguir nadar

Cientistas descobriram uma nova espécie de baleia, que existiu há 35 milhões de anos, que pode dar novas pistas sobre como as baleias evoluíram para conseguir nadar. De acordo com a revista Newsweek, os investigadores analisaram …

Casal separado após sobreviver a Auschwitz reencontra-se 72 anos depois em Nova Iorque

Em 1944, David Wisnia e Helen "Zippi" Spitzer eram dois prisioneiros judeus e secretamente namorados que, miraculosamente, conseguiram sobreviver ao campo de concentração nazi Auschwitz, na Polónia. Porém, no final da guerra, foram separados depois de …

Benfica 4-0 Famalicão | Pizzi entrega saco cheio de Natal

O Benfica terminou o seu ano de Liga NOS com mais uma vitória, de novo por 4-0, tal como havia acontecido na anterior partida no Estádio da Luz, ante o Marítimo. Desta vez frente ao …

Morreu o ator Danny Aiello

Morreu esta quinta-feira, em Nova Jérsia, o ator Danny Aiello, que recordamos pelos seus muitos êxitos dos anos 80. Tinha 86 anos. "É com profunda dor que comunicamos que Danny Aiello, amado marido, pai, avô, ator …

Videojogo chinês incita jogadores a atacar os "traidores" em Hong Kong

Há um novo videojogo que está a ganhar popularidade na China. Chama-se "Fight the Traitors Together" e permite que os jogadores ataquem manifestantes de Hong Kong. No jogo, os jogadores podem bater nos manifestantes pró-democracia, sendo …