Greve dos motoristas. Ministro da Economia quer rever a Lei da Greve

António Cotrim / Lusa

O ministro Adjunto e da Economia, Pedro Siza Vieira

Pedro Siza Vieira considera que se deve avaliar se a Lei da Greve deve ser mantida ou não. O ministro da Economia sublinhou ainda a necessidade de “moderar consumos” na fase que se avizinha, a greve dos motoristas.

Esta terça-feira, o ministro da Economia, Pedro Siza Vieira, questionou se a Lei da Greve, dos anos 1970, deve ser mantida ou não.

Em entrevista à RTP, o governante disse que a lei deveria ser revista: “tem de ser equacionada do ponto de vista político”, disse, citado pelo Observador.

“Os protagonistas políticos têm que verificar e ponderar a conveniência, a necessidade de rever a lei da greve nessa matéria”, disse, acrescentando que “faz sentido” pensar se se deve manter a lei ou não. A questão está relacionada com a greve dos transportadores de matérias perigosas e, segundo o ministro, com a “regulação das situações de trabalho”.

De acordo com a Renascença, Arménio Carlos, líder da CGTP, disse que “a declaração do ministro da Economia é um atentado aos direitos, liberdades e garantias, nomeadamente ao direito à greve”.

Sérgio Monte, secretário-geral adjunto é da mesma opinião e considera que não é necessário mudar a lei. “Nestas alturas – e não é a primeira vez – quando aparece uma classe profissional com mais poder reivindicativo, ou uma greve que se prolonga por mais tempo, há sempre esta vontade de mudar a lei da greve, mas não devemos fazer qualquer mudança a qualquer lei em cima do acontecimento.”

Já Luís Gonçalves da Silva, professor de Direito do Trabalho na Faculdade de Direito de Lisboa, concorda com o ministro e defende que o “diploma de 1974, precisa de ser revisitado e de ser objeto de uma reflexão profunda”.

Ainda sobre a greve, que irá iniciar no dia 12 de agosto, o ministro da Economia disse que “o sindicato tem dito que vai cumprir os serviços mínimos que forem determinados” e garantiu que “haverá meios alternativos de natureza pública”.

Além disso, Pedro Siza Vieira frisou a necessidade de se “moderar os consumos” durante a greve e que “se evitem deslocações desnecessárias” durante esses dias. Em declarações à RTP; afirmou: “é preciso encarar com alguma calma e tranquilidade esta situação”.

ZAP ZAP //

PARTILHAR

3 COMENTÁRIOS

  1. Rever a lei da greve, pois aquando do famoso 25 Abril de 1974 tudo e todos tinham direito á greve, passados quase 5 décadas os da esquerda querem esquecer (limpar) esse mesmo direito. Que pela ótica só será para alguns ou talvez para ninguém !! Os politicos são mesmo assim mudam conforme as conveniências para eles não é para o povo. Já dizia o Mario Soares Só um burro é que não muda ou o que hoje é verdade amanhã é mentira – isto só é aplicado por pessoas SEM PALAVRA e Sem qualquer RESPEITO pela dita Democracia, que não sabemos onde anda… Se os trabalhadores não se podem manifestar c/ greves vão-se manifestar como? Enfim Politicos…

  2. Obviamente que a lei da greve tem de ser revista!! E por várias razões:
    1 – Passaram 45 anos desde 1974!!! O mundo mudou muito neste período! Tudo está diferente: a distribuição das classes sociais, as empresas e as relações empregador-empregado, a estrutura produtiva do país (mais setor terciário), etc. Tudo boas razões para rever a Lei da Greve á luz da realidade actual! Houve mudanças para melhor, e outras para pior, mas o importante neste contexto é que tudo está diferente!!!
    2 – Quando existe alguma greve, de maior ou menor impacto, o que se mede não são os resultados alcançados!! O que se mede, e o que é alardeado, é a percentagem de adesão, e principalmente os incómodos causados a terceiros, e os prejuízos que foram causados a alguém!
    3 – Não sei quantos trabalhadores existem que possam fazer greve: alguns setores do funcionalismo público, transportadores (pessoas e mercadorias perigosas ou não), saúde, e pouco mais! Não sei se estes setores representam, ou não, uma maioria da população, mas suspeito que provavelmente não! O que significa que a maioria da população (ou pelo menos uma percentagem significativa), não tem força política, nem material, para fazer greve! E portanto existe aqui claramente uma forte injustiça.
    4 – Em muitos casos a greve acaba por ser quase vantajosa para os empregadores, porque “poupam” nos salários! E digam-me, de todas as greves existentes nos últimos tempos, quais os benefícios reais e efectivos que foram obtidos??? Os sindicatos dirão que foram imensos, mas a realidade nua e crua qual é??

    Deve existir o direito à greve? Seguramente que sim!!! O que não deve existir é o direito de prejudicar milhões de pessoas para uns poucos benefícios de algumas centenas ou poucos milhares!
    E é por tudo isto… que a Lei da Greve, tal como muitas outras leis desajustadas, deve ser revista!
    E os trabalhadores terão de ser criativos a encontrar outras formas de luta, mais eficazes e menos injustas!!

    • Não vou comentar este tema !!!………………… Sr. Nuno, opinou e argumentou, da mesma forma que eu iria comentar. Há pessoas de bom senso, e Você e Eu somos duas .

RESPONDER

Fé nos números. Foi o voto não religioso que Donald Trump perdeu em 2020 

Em novembro de 2020, Joe Biden foi eleito Presidente dos Estados Unidos da América. Uma análise revelou recentemente que a derrota de Donald Trump dependeu daqueles que não se identificam com nenhuma religião. Ryan Burge, professor …

Chega apresenta oito candidatos para o distrito do Porto. Ventura acredita que vai ter "grande resultado"

O líder do Chega anunciou este sábado oito candidatos às próximas eleições autárquicas no distrito do Porto, onde André Ventura acredita que o partido vai ter "um grande resultado". "Fizemos esta deslocação ao Porto para anunciar …

"A política ama traição, mas despreza o traidor". Sócrates acusa PS de "ataque injusto" (e diz-se alvo de "vingança" da direita)

"A política ama a traição, mas despreza o traidor". No livro "Só Agora Começou", que será publicado nos próximos dias, José Sócrates acusa a atual direção do PS de traição. De acordo com o Diário de …

"Novas dificuldades e entropias". Autarcas independentes exigem extinção imediata da CNE

Os presidentes de Câmara e representantes de movimentos independentes decidiram este sábado dar um novo prazo aos partidos para que estes possam alterar a lei eleitoral autárquica. Porém, exigem a extinção imediata da Comissão Nacional …

Estudo mostra que as ovelhas preferem acasalar com machos subordinados

Um novo estudo descobriu que, ao contrário do que se podia pensar, as ovelhas preferem acasalar com machos que estão mais abaixo na hierarquia. Atualmente, a vida sexual da maioria das ovelhas é controlada pela indústria …

“Vamos iniciar uma nova etapa". Madeira vai testar toda a população (gratuitamente)

O Governo da Madeira vai desencadear uma campanha de testagem massiva da população da região, ainda sem data, que será gratuita, para aferir da evolução da pandemia da covid-19 no arquipélago, anunciou este sábado o …

O armazenamento de energia "sem massa" está a chegar

Uma equipa de cientistas da Chalmers University of Technology, na Suécia, produziu uma bateria estrutural com um desempenho dez vezes melhor do que todas as versões anteriores. A descoberta abre caminho ao armazenamento de energia …

Ataque terrorista a cidade na Nigéria atinge organizações humanitárias e instalações da ONU

Jihadistas alegadamente ligados ao Estado Islâmico atacaram este sábado as instalações de várias organizações humanitárias e das Nações Unidas na cidade nigeriana de Damasak, e ainda estão no local, afirmaram fontes das organizações não-governamentais (ONG). O …

Os humanos foram "superpredadores" durante dois milhões de anos

Uma nova investigação revelou que os humanos foram um predador de ponta durante cerca de dois milhões de anos. Só a extinção da megafauna e o declínio das fontes de alimentos de origem animal no …

Paços de Ferreira 0-5 Benfica | Seferovic “parte tudo” na Capital do Móvel

Na noite deste sábado, o Benfica somou o sétimo triunfo consecutivo no campeonato, ao golear o Paços de Ferreira por 5-0, num embate relativo à 26.ª jornada do campeonato. A equipa de Jorge Jesus, que acabou …