Mineração de ouro deixa terras da Amazónia áridas por vários anos

A mineração de ouro na Amazónia está a deixar as suas terras áridas durante vários anos. Além disso, os rios também ficam altamente contaminados com mercúrio.

A mineração de ouro aumentou rapidamente em toda a região amazónica nos últimos anos, especialmente ao longo do Planalto das Guianas, onde é responsável por até 90% da desflorestação total. O Planalto abrange Guiana, Suriname, Guiana Francesa, Venezuela e pequenas partes da Colômbia e norte do Brasil, e as suas florestas retêm aproximadamente 20 mil milhões de toneladas de carbono.

Grande parte da perda de floresta na região é causada por mineiros artesanais e de pequena escala, que respondem rapidamente a aumentos nos preços internacionais do ouro. Muitas vezes, deixam para trás uma extensa erosão do solo e rios contaminados com mercúrio.

Os cientistas tinham analisado como é que as florestas recuperam após serem convertidas em campos e pastagens, e depois abandonadas. Eles descobriram que estas “florestas secundárias” em recuperação foram capazes de manter a biodiversidade e acumular carbono, entre outras coisas. No entanto, nenhum desses estudos comparou a recuperação de florestas após a agricultura com o que acontece após a mineração de ouro.

Um novo estudo publicado este domingo no Journal of Applied Ecology revela que a mineração de ouro limita significativamente a regeneração das florestas amazónicas e reduz bastante a sua capacidade de acumular carbono. As taxas de recuperação em poços de mineração abandonados estavam entre as mais baixas já registadas em florestas tropicais, em comparação com a recuperação da agricultura e pastagem.

Os investigadores estimam que, na Amazónia, a mineração de ouro faz com que cerca de 2 milhões de toneladas de carbono florestal sejam perdidas a cada ano. A falta de regeneração observada mostra que esse carbono perdido pode não ser recuperável, dentro do que seria considerado um período normal de regeneração, simplesmente deixando essas minas abandonadas para a natureza.

Também foi observado que os locais de mineração ativos tinham, em média, 250 vezes mais concentrações de mercúrio do que os locais abandonados. A poluição por mercúrio é especialmente prejudicial para os peixes, que são parte integrante da dieta das comunidades locais e indígenas nesta parte do mundo.

A recuperação mais lenta devido à mineração é particularmente preocupante, uma vez que a mineração é um fator cada vez mais importante da desflorestação na Amazónia, com mais de um milhão de quilómetros quadrados que poderiam ser reservados para a mineração de ouro e outros minerais.

PARTILHAR

1 COMENTÁRIO

RESPONDER

China parece ter controlado segunda vaga de coronavírus em 21 dias, sem registar mortes

A China parece ter controlado a segunda vaga de covid-19 após um surto que começou num mercado de Pequim, em junho, e que levou a pelo menos 328 novos casos e ao encerramento parcial da …

Guerra aberta pelo ouro da Venezuela em Inglaterra. Maduro ordena investigação ao "roubo"

Nicolás Maduro, Presidente da Venezuela, ordenou uma "investigação penal" ao que denomina "o roubo de ouro venezuelano" que está depositado no Banco Central de Inglaterra. Esta é a resposta do governante depois de o Tribunal …

Hospitais da Papua-Nova Guiné recusam atender grávidas. Médico aconselha mulheres a evitar gravidez

Um obstetra da Papua-Nova Guiné aconselhou as mulheres daquele país a não engravidarem nos próximos dois anos, revelando que o medo de transmissão do coronavírus tem levado os hospitais a recusarem atender grávidas. Segundo noticiou esta …

China vai encerrar gradualmente todos os mercados de aves vivas

A China vai fechar gradualmente todos os mercados onde aves vivas são vendidas, visando reduzir os riscos para a saúde pública, informou hoje a imprensa oficial. Chen Xu, alto funcionário da Administração Estatal de Regulação do …

Em 33 anos, Amazónia perdeu 72,4 milhões de hectares de floresta. O equivalente ao território do Chile

A floresta amazónica, presente em nove países da América do Sul, perdeu 72,4 milhões de hectares de cobertura vegetal entre 1985 e 2018, uma área equivalente ao território do Chile, segundo dados divulgados na quinta-feira …

Decisão do Reino Unido é "absurda", "errada" e "desapontante"

O chefe da diplomacia portuguesa considerou hoje a decisão do Reino Unido de excluir Portugal dos “corredores de viagem internacionais” como um “absurdo”, “errada” e que causa “muito desapontamento”, trazendo ainda graves consequências económicas e …

"Peixe racista". Estátua da Pequena Sereia novamente vandalizada

A icónica estátua da "Pequena Sereia" em Copenhaga, um dos monumentos mais famosos da Dinamarca, foi novamente vandalizada, ao ter sido pintada com uma frase antirracismo, divulgou hoje a polícia dinamarquesa. “A Pequena Sereia foi vandalizada …

Itália admite segunda vaga e defende restrições a viagens

Itália abriu esta terça-feira fronteiras aos viajantes de países que não integram o espaço europeu de livre circulação Schengen, mas com restrições. O ministro da Saúde de Itália afirmou, esta quinta-feira, não poder afastar uma segunda …

Menos férias e mais dias de aulas para quem não tem exames no próximo ano letivo

O próximo ano letivo vai ter menos dias de férias e mais dias de aulas para os alunos que não tenham exames. Os alunos terão aulas presenciais e aulas à distância. O ministro da Educação, Tiago …

FC Porto revela camisola para a próxima época (e as opiniões dividem-se)

O FC Porto revelou a camisola oficial do clube para a próxima temporada. Pelas redes sociais, as opiniões dividem-se, havendo quem não esteja satisfeito com a mudança. Os adeptos portistas acordaram esta sexta-feira com a imagem …