Millennials trocam empregos nos bancos para fazer fortuna com a bitcoin

Os millennials – também conhecidos por geração Y – estão a deixar os seus empregos em bancos e fundos de investimento para investir em criptomoeda. Os bancos, que reagiram tarde à chegada da economia blockchain, estão a perder toda uma geração de jovens talentos.

Asim Ahmad não lhe dirá quão rico é – e por que motivo deveria? Antes de o jovem britânico ter chegado aos 30 anos, já tinha deixado o seu emprego na gigante de investimentos Blackrock, em Londres. Esse foi o fim dos seus dias a trabalhar num escritório. O que tem feito desde então?

Ahmad vive agora de lucros feitos com a criptomoeda Ether durante os seus tempos livres. O jovem conta ter investido cerca de 13.000 dólares em Ether, quando o preço rondava os 10 dólares – recentemente, a moeda foi avaliada em 470 dólares e, no início do ano, chegou mesmo a ultrapassar os 1.000 dólares.

No entanto, Ahmad não é um caso isolado. Muitos jovens que estão a iniciar as suas carreiras em grandes bancos e fundos de investimento estão a fazer o mesmo.

“A volatilidade de um dia na minha carteira é maior que o meu salário. Por isso, se eu conseguir fazer alguns investimentos certos, farei a mesma quantidade de dinheiro que o meu salário anual”, explicou o britânico à agência financeira Bloomberg. “Tudo o que conseguir acima disso é um bónus”, disse.

“Crypto-hype” tem fome de novos talentos

O Deutsche Bank e a Goldman Sachs perderam jovens promissores talentos para a economia blockchain: em vez de continuar a trabalhar em instituições financeiras, muitos destes jovens estão agora a começar as suas próprias empresas com os lucros arrecadados através da criptomoeda.

Adrian Xinli Zhang, de 29 anos, estás prestes a ser promovido a diretor do Deutsche Bank, em Nova Iorque. Ao mesmo tempo, está a construir uma plataforma de operações para ativos digitais, principalmente para criptomoedas, com os seus lucros da bitcoin.

De acordo com informações privilegiadas, Zhang já é milionário. Já não é necessário trabalhar como gestor de ativos de risco num grande banco  para fazer fortuna.

Bancos têm dificuldades com a volatilidade das criptomoedas

Embora se tenham recusado comentar o assunto, este é um problema real para muitos bancos, que reagiram demasiado devagar à chegada das criptomoedas, tendo construído as suas equipas tardiamente, perdendo assim toda uma nova geração que já se encontrava ocupada a usar o tempo livre para ganhar o que não conseguiam no escritório.

No entanto, ainda resta saber se esta terá sido a melhor decisão a longo prazo: mesmo Ahmad e Zhang estão cientes da natureza volátil das criptomoedas. Ahmad pode ganhar o salário anual em poucos dias, mas pode também perdê-lo rapidamente quando o valor da moeda cai abruptamente.

“Se começarmos a gastar mentalmente esse dinheiro, vai doer-nos quando a moeda começa a cair”, explicou Ahmad, acrescentando que “se gostarmos da volatilidade que encontramos no caminho, temos que ser capazes de aceitar que a moeda cai rapidamente e, às vezes, esta queda é ainda mais rápida que a própria subida“.

Burlões usam criptomoedas

No entanto, para os bancos, este é um modelo de negócio complicado. Os bancos são ainda incapazes de planear de forma adequada num ambiente tão volátil e, as criptomoedas ainda não são regulamentadas por lei.

Esta questão torna-se particularmente problemática na Ásia, onde muitos burlões usaram ilegalmente a “criptografia” para encher os bolsos dos seus clientes. Para a criptomoeda, não há uma instituição com autoridade equivalente à da bolsa de valores. Os criptoburlões raramente são apanhados e levados à justiça.

Isto deixa os bancos divididos: até os especialistas da velha guarda começam a ficar entusiasmados com a tecnologia Blockchain e, muitos deles até já trabalham ou investem em projetos baseados em Blockchain. No entanto, muitos ainda se mostram céticos relativamente ao futuro das criptomoedas.

Enquanto as gerações mais antigas e bem estabelecidas pesam as vantagens e desvantagens da criptomoeda, os recém chegados já estão a “embarcar” neste navio.

PARTILHAR

2 COMENTÁRIOS

  1. E olha que ainda recentemente muitos ficaram a ganir com a queda da bitcoin que de resto deu um grande trambolhão. Isto é quase um esquema piramidal que vive da crença generalizada de que vale alguma coisa. Continuo a sustentar que de nada vale porque uma moeda tem necessariamente de ser “controlada”, “disciplinada” pelo poder político. Não pode ser de outra forma. Caso contrário temos financiamento do terrorismo, temos operações fora de controlo e da alçada dos estados,…

RESPONDER

Rainha Isabel II está a procura de um gestor de redes sociais

A família real britânica está à procura de um gestor de redes sociais. O salário vai oscilar entre os 53 e 59 mil euros anuais por 37 horas semanais, de segunda a sexta-feira. A rainha Isabel II …

Cinco antepassados de crocodilos viveram há 150 milhões de anos na Lourinhã

Pelo menos cinco crocodilomorfos, antepassados dos crocodilos, viveram na região da Lourinhã há 150 milhões de anos, durante o período do Jurássico. Num artigo publicado na Zoological Journal of the Linnean Society, os paleontólogos Alexandre Guillaume, …

A radiação de Chernobyl está a deixar as vespas esfomeadas (e isso é má notícia)

A Zona de Exclusão de Chernobyl é a área em torno da cidade ucraniana de Pripyat, onde a Central Nuclear de Chernobyl entrou em colapso em 1986. Apesar de não haver humanos na região, e …

Beethoven deixou a 10.ª sinfonia inacabada (e a IA vai completá-la)

Um dos maiores dilemas da história da música é a obra inacabada de Ludwig van Beethoven (1770-1827), a "10ª sinfonia", com muitos músicos a esforçar-se para finalizá-la, utilizando alguns dos fragmentos disponíveis, mas sem sucesso. Desta …

Orcas bebé têm maior probabilidade de sobreviver se viverem com a avó

Crias de orca que vivam com a avó têm uma maior probabilidade de sobreviver quando comparadas às outras orcas. A experiência destas espécimes mais velhas é essencial para o grupo. Tal como nos humanos, as avós …

A "capital mundial das pessoas feias" mora na Itália

Piobbico, na Itália, é uma cidade medieval repleta de grandes edifícios de pedra cercados por florestas exuberantes. No entanto, a cidade é conhecida pela feiura dos seus habitantes. Esta cidade, com cerca de 2.000 habitantes, alberga …

Jovem norte-americano despistou-se e caiu ao rio. Siri chamou os bombeiros

Um jovem norte-americano estava a caminho da universidade quando perdeu o controlo do carro, que derrapou sobre gelo, e foi parar ao rio Winnebago. Como não conseguiu encontrar o seu telemóvel, recorreu à Siri para …

Basta uma máscara impressa para enganar os sistemas de reconhecimento facial

Especialistas da empresa de inteligência artificial Kneron testaram sistemas em três continentes e vários falharam. O reconhecimento facial é, cada vez mais, um método de controlo e de segurança encarado como credível e, inclusivamente, usado …

Pandit olha para as vacas como família e quer produzir "leite ético" para vegans

Um agricultor nos Estados Unidos quer produzir "leite ético" para vegans, mantendo como prioridade o bem-estar e a saúde das vacas. Ultimamente, o consumo de leite tem sido posto cada vez mais em causa. Não só …

Jogadores do Arsenal doam um dia de salário para ações solidárias

Os futebolistas e a equipa técnica do Arsenal vão doar um dia de salário para ações solidárias de Natal. Os elementos técnicos também entraram na iniciativa, que prevê, ainda, a doação da receita do próximo …