Militar que ouviu chamada de Trump diz que a transcrição oficial tem duas omissões

Shamn Thew / EPA

O tenente-coronel Alexander Vindman

O tenente-coronel Alexander Vindman, que fez parte do grupo seleto de pessoas que ouviram a controversa chamada entre Donald Trump e o Presidente da Ucrânia, Volodymyr Zelensky, disse que a transcrição oficial que resultou daquela chamada tem algumas omissões.

Foi essa a maior revelação do seu depoimento, que respondeu na terça-feira às perguntas da comissão de inquérito que a Câmara dos Representantes pôs em marcha quando os democratas aprovaram o início do processo de ‘impeachment’ contra Donald Trump. Alexander Vindman ouviu a conversa por ser o maior especialista no Conselho de Segurança Nacional no tema da Ucrânia, noticiou o Observador esta quarta-feira.

De acordo como seu relato à porta fechada, do qual o New York Times foi informado por fontes daquela comissão de inquérito, o tenente-coronel disse que a transcrição oficial da chamada não incluiu uma referência que Donald Trump terá feito sobre uma suposta gravação do ex-vice-Presidente Joe Biden a falar de corrupção na Ucrânia.

A outra omissão, continuou o Observador, dirá respeito a uma vez em que o Presidente da Ucrânia falou diretamente da Burisma Holdings, a empresa de energia para a qual o filho de Joe Biden, Hunter Biden, trabalhou.

Sem explicar quais terão sido os motivos por trás dessas omissões, Alexander Vindman referiu ainda que o primeiro rascunho da transcrição contava com outras ocasiões em que esta não refletia o verdadeiro conteúdo da conversa. Essas omissões, porém, e ao contrário daquelas duas, acabaram por ser corrigidas e incluídas na transcrição final da chamada.

Chamadas nunca são gravadas

A seguir à administração de Richard Nixon, as chamadas telefónicas dos presidentes dos EUA com líderes estrangeiros deixaram de ser registadas com uma gravação áudio. Em vez disso, aquele registo passou a ser feito por escrito, havendo para esse efeito anotadores responsáveis por transcreverem em tempo real a chamada.

Mais recentemente, continuou o Observador, esses anotadores passaram a contar com a ajuda de um ‘software’ de reconhecimento de discurso que, sem gravar um ficheiro áudio, faz uma transcrição da conversa.

Além de referir aquelas duas supostas omissões, Alexander Vindman disse à comissão de inquérito da Câmara dos Representantes que o alegado pedido que Donald Trump está a ser acusado de fazer ao Presidente da Ucrânia poderia colocar em causa a segurança nacional dos EUA.

O tenente-coronel refere-se ao pedido de Donald Trump para que aquele país investigasse a passagem de Hunter Biden pela Burisma Holdings, numa altura em que os EUA tinham suspendido um pacote de ajuda militar de que a Ucrânia, em guerra com milícias pró-Rússia, necessitava.

“Não creio que tenha sido adequado exigir que o governo estrangeiro investigasse um cidadão dos EUA e fiquei preocupado com as implicações [que isso podia ter] no apoio do Governo dos EUA à Ucrânia”, disse aquele especialista em assuntos ucranianos do Conselho de Segurança Nacional. “Tudo isto iria prejudicar a segurança nacional dos EUA”.

Trump tenta lançar dúvidas sobre testemunho

O testemunho de Alexander Vindman foi mal recebido por Donald Trump, que reagiu no Twitter. “Porque é que há pessoas sobre as quais eu nunca ouvi nada a testemunhar sobre a chamada? Simplesmente leiam a transcrição da chamada e a conspiração do impeachment está terminada. A Ucrânia disse [que não houve] nenhuma pressão”, escreveu o Presidente dos EUA.

Noutra publicação, Donald Trump perguntou: “Quantos mais Never Trumpers é que vão testemunhar sobre uma chamada completamente adequada quando o que todos têm a fazer é ler a transcrição?”. “Never Trumper” é o termo utilizado para descrever pessoas do Partido Republicano que se opuseram, e opõem, a Donald Trump.

Além do próprio Presidente, houve comentadores da direita norte-americana que saíram a público para lançar a ideia de que o tenente-coronel Alexander Vindman não tinha os interesses dos EUA em primeiro plano, podendo inclusive estar a agir como um espião. Nenhuma destas insinuações foi acompanhada de provas.

Alexander Vindman nasceu na Ucrânia, país do qual emigrou com os pais aos três anos para os EUA. Foi ali que foz toda a sua formação académica e militar, tendo chegado a cumprir uma missão no Iraque. Por ter sido ferido em combate, recebeu a condecoração Purple Heart (Coração Púrpura).

“Aqui temos um funcionário da segurança nacional dos EUA que está a aconselhar a Ucrânia ao mesmo tempo que trabalha na Casa Branca e que, aparentemente, está a ir contra os interesses do Presidente”, disse a apresentadora e comentadora da Fox News Laura Ingraham.

A sua convidada em estúdio, John Yoo, que fez parte da administração de George W. Bush, respondeu que achava que aquilo era “inacreditável” e acrescentou: “Há quem chame àquilo espionagem“.

Na CNN, o ex-congressista republicano Sean Duffy também disse que “parece claro que ele está imensamente preocupado com a defesa da Ucrânia, [mas] não sei se está preocupado com as políticas da América”. “Todos nós temos uma afinidade com a terra de onde vimos”, acrescentou. “Tal como eu tenho, estou certo que Vindman tem a mesma afinidade”.

Taísa Pagno ZAP //

PARTILHAR

RESPONDER

"Ihor gritava como um cão atropelado". Seguranças contam nova versão em tribunal

O segurança Manuel Correia testemunhou esta quarta-feira que “ouviu gritos” de Ihor Homeniuk vindos de uma sala do SEF no aeroporto de Lisboa e que encontrou um dos inspetores com um pé em cima da …

Dos pés de Cancelo para a cabeça de Bernardo Silva. City ganha na Champions com um golo 100% português

Os internacionais portugueses João Cancelo e Bernardo Silva foram fundamentais para a vitória do Manchester City sobre o Borussia Monchengladbach (2-0), na primeira mão dos oitavos da Liga dos Campeões, com ação direta nos dois …

"População não interiorizou a gravidade da situação". Depois de Siza, Cabrita aponta o dedo aos portugueses

Num relatório sobre a aplicação do decreto do estado de emergência na segunda quinzena de janeiro, Eduardo Cabrita justifica o fecho das escolas e o fim das vendas ao postigo, culpando a população pelas decisões …

Esta época há menos 500 clubes. "É o drama absoluto", diz presidente da FPF

Esta época há menos 500 clubes em comparação com a temporada transata. O presidente da FPF, Fernando Gomes, classifica a situação de "drama absoluto". A pandemia de covid-19 e a consequente interrupção das competições foi um …

Psicólogos no recrutamento e mudanças na formação. IGAI quer acabar com discriminação na polícia

A Inspeção-Geral da Administração Interna (IGAI) quer envolver psicólogos no processo de recrutamento de novos polícias e rever os currículos de formação para acabar com práticas discriminatórias nas forças de segurança. As alterações no processo de …

Coleção de joias da era Viking é encontrada na Ilha de Man. É "excecionalmente rara"

Uma coleção de joias da era Viking foi encontrada na Ilha de Man, entre Inglaterra e a Irlanda, em novembro de 2020 e foi agora classificada como tesouro. Os especialistas acreditam que os artefactos, descobertos …

“As brasileiras são mercadoria". Professor da UP suspenso por comentários machistas e xenófobos nas aulas

Após uma denúncia que reuniu assinaturas de mais de uma centena de alunas, o professor auxiliar Pedro Cosme da Costa Vieira foi suspenso pelo período máximo de 90 dias, da Faculdade de Economia da Universidade …

Houve buzinão na Luz (mas sem "carinho"). Jesus culpa covid-19 pela crise do Benfica

Algumas dezenas de adeptos protestaram junto ao Estádio da Luz com um buzinão, entre gritos de "Rua Vieira" devido aos maus resultados do Benfica. Antes disso, Jorge Jesus tinha apelado a um "buzinão de carinho" …

Marcelo remete diretamente para o Governo limites ao ruído nos prédios

O chefe de Estado incluiu o detalhe "decreto-lei do Governo", no novo decreto para a renovação do estado de emergência, para permitir que o Executivo limite o ruído nos prédios. No último decreto que executou o …

Clubes ingleses decidiram: não há público, acabou a época

Decisão não afeta a Premier League mas antecipa o final de quatro divisões do futebol inglês. Na época passada os campeonatos também não chegaram ao fim. Muitos dos campeonatos não-profissionais (em várias modalidades) estão parados, não …