Especialista que ouviu chamada entre Trump e Presidente ucraniano diz-se “perturbado” com exigências a Kiev

Jim Lo Scalzo / EPA

O Presidente dos EUA, Donald Trump

O tenente-coronel Alexander Vindman, especialista em assuntos ucranianos no Conselho de Segurança Nacional dos Estados Unidos (EUA), fez parte de um pequeno grupo de funcionários da Casa Branca designados para acompanhar o telefonema entre o Presidente norte-americano, Donald Trump, e o seu homólogo da Ucrânia, Volodymyr Zelensky.

Esta terça-feira, Alexander Vindman é ouvido pelos investigadores do ‘impeachment’ e, segundo um rascunho da sua declaração de abertura, dirá que ficou “perturbado” com a exigência de Donald Trump para Kiev investigar Joe Biden, noticiou o Expresso.

“Não achava apropriado exigir que um Governo estrangeiro investigasse um cidadão dos EUA, e estava preocupado com as implicações no apoio do Governo americano à Ucrânia”, dirá Vindman, de acordo com o Washington Post.

O diário lembrou que o testemunho do oficial do Exército é o primeiro de um funcionário da Casa Branca que ouviu a polémica chamada telefónica, que foi revelada por um denunciante e desencadeou o processo de destituição presidencial.

As declarações de Alexander Vindman reforçam os testemunhos anteriores da sua antiga chefe no Conselho de Segurança Nacional, Fiona Hill, e do embaixador interino dos EUA na Ucrânia, William Taylor.

Alexander Vindman e a sua família fugiram da União Soviética quando este tinha três anos, descrevendo-se simultaneamente como um imigrante e um patriota. “É meu dever sagrado e uma honra promover e defender o nosso país, independentemente de partidos ou políticas”, dirá antes de ser ouvido pelos investigadores. E acrescentará: “Não sei quem é o denunciante e não me sinto à vontade para especular”.

O oficial deverá ainda referir-se a uma reunião, a 10 de julho, durante a qual Gordon Sondland, um dos principais doadores de Donald Trump e embaixador dos EUA na União Europeia, terá dito que, para conseguirem um encontro o Presidente norte-americano, os ucranianos teriam de “investigar as eleições de 2016, os Bidens e a Burisma”.

A Burisma é uma empresa ucraniana de gás natural que contratou um dos filhos de Joe Biden, Hunter Biden, para integrar o seu conselho de administração. Joe Biden, ex-vice-Presidente de Barack Obama, está na linha da frente da corrida à nomeação democrata para as eleições do próximo ano, em que Donald Trump tentará a reeleição.

“Eu disse ao embaixador Sondland que as suas declarações eram inapropriadas, que o pedido para investigar Biden e o seu filho nada tinha a ver com segurança nacional, e que tais investigações não eram algo em que o Conselho de Segurança Nacional iria envolver-se ou pressionar”, prosseguirá Alexander Vindman.

E concluirá: “Uma Ucrânia forte e independente é fundamental para os interesses de segurança nacional dos EUA porque a Ucrânia é um baluarte contra a agressão russa”.

O testemunho de Alexander Vindman acontece dois dias antes de uma votação para autorizar o processo de ‘impeachment’, solicitado pela presidente da Câmara dos Representantes, Nancy Pelosi. A convocatória da líder democrata segue-se às críticas do Partido Republicano de que o processo visa apenas ganhos políticos e impede Donald Trump de se defender convenientemente.

ZAP //

PARTILHAR

2 COMENTÁRIOS

  1. Se calhar ficou traumatizado e necessita urgentemente de drogas farmacêuticas da psiquiatria! Mas desde quando se fica perturbado na casa branca? Aquilo sempre foi um antro mafioso do pior calibre, nada que não se saiba há um século.

RESPONDER

FMI avisa que vêm aí "tempos sombrios" e que "todos vão sofrer"

Kristalina Georgieva, chefe do Fundo Monetário Internacional (FMI), avisou que os próximos tempos serão sombrios e que todos irão sofrer. Numa introdução às reuniões da primavera do FMI e do Banco Mundial, que decorrem entre 14 …

Merkel pede paciência: situação continua "frágil"

Angela Merkel pediu paciência aos alemães e admitiu que "não será necessário" impor no país medidas mais rigorosas de confinamento. A chanceler alemã, Angela Merkel, apelou esta quinta-feira à paciência dos alemães, num momento de crescente …

Detido bilionário chinês que criticou Presidente Xi Jinping. Estava desaparecido há um mês

O bilionário chinês Ren Zhiqiang que criticou a forma como Presidente da China, Xi Jinping, lidou com a pandemia, está sob custódia das autoridades chinesas devido a uma investigação em que é o principal suspeito. …

Bloqueio dos coronabonds pela Holanda é "irresponsável"

Jean-Claude Juncker, antigo presidente da Comissão Europeia, considera que o bloqueio pela Holanda do uso do Mecanismo Europeu de Estabilidade é "irresponsável". O antigo presidente da Comissão Europeia, Jean-Claude Juncker, considerou esta quinta-feira “irresponsável” o bloqueio …

Creche recusou receber filho de enfermeira por falta de funcionários. Meteram baixa

A creche e pré-escolar "Voar mais alto", em Setúbal, recusou receber uma criança de três anos, filha de uma enfermeira, por falta de funcionários. A notícia é avançada esta quinta-feira pelo Observador que adianta que as …

Subsídio por assistência a filhos vai ser pago 100% em toda a função pública

O subsídio por assistência a filho sobe de 65% para 100% do salário aos funcionários públicos inscritos na Caixa Geral de Aposentações. O Governo aprovou, esta quinta-feira, um diploma que aumenta o subsídio por assistência …

Espanha avança com novo prolongamento do estado de emergência. Contágios em Itália voltam a subir

O primeiro-ministro espanhol, Pedro Sánchez, avançou que dentro de quinze dias terá de voltar ao parlamento para prolongar o estado de emergência por mais duas semanas. Depois de afirmar que Espanha não terá ainda "posto fim …

Boris Johnson saiu dos cuidados intensivos

O primeiro-ministro britânico saiu dos cuidados intensivos, avançou Downing Street. De acordo com o comunicado, Boris Johnson está "muito bem-disposto". Boris Johnson saiu esta tarde dos cuidados intensivos, segundo um comunicado de Downing Street. O primeiro-ministro …

SEF instaurou inspeção interna à morte de ucraniano, mas não detetou suspeitas de crime

Esta quarta-feira, o ministro da Administração Interna prestou esclarecimentos sobre a morte de um cidadão ucraniano à guarda do SEF, no aeroporto de Lisboa, na Comissão de Assuntos Constitucionais, Direitos, Liberdades e Garantias. Eduardo Cabrita considerou …

Colocações no ensino superior adiadas para o final de setembro

Na sequência do adiamento nos calendários dos exames nacionais do ensino secundário, o acesso às licenciaturas é também atrasado. O calendário de acesso ao ensino superior vai ser atrasado em cerca de três semanas. Os resultados …