Militantes do PSD de Seia impedidos de votar admitem recorrer a tribunal

Mário Cruz / Lusa

Cerca de 40 militantes do PSD em Seia foram impedidos de votar nas diretas por os seus nomes não constarem nos cadernos eleitorais e dois deles admitem participar o caso ao Ministério Público.

Os militantes, inscritos na secção concelhia local, não votaram para a liderança do partido por não terem recebido atempadamente as referências multibanco para pagarem as quotas, apesar de terem enviado a atualização dos seus dados por correio até 13 de dezembro, que era a data limite.

José Figueiredo, militante do PSD “há quase 40 anos”, foi um dos que não votou no ato eleitoral de sábado e não esconde a revolta pela situação, alegando que sempre acreditou que, mesmo não tendo pago as quotas com antecedência, o pudesse fazer momentos antes de exercer o direito de voto.

O social-democrata disse à Lusa que só soube que não podia votar quando se dirigiu à mesa de voto e verificou que o seu nome não constava nos cadernos eleitorais. “Os documentos saíram atempadamente de Seia e, em Lisboa, trancaram as coisas e não deram aos militantes a possibilidade de votar”, lamenta.

No sábado, o militante, “um dos mais antigos” de Seia, entregou um documento ao presidente da mesa a manifestar desagrado pela situação.

“Se não me enviarem [os elementos necessários] para poder votar na segunda volta, meto o PSD no Ministério Público e, depois, eles [os dirigentes nacionais] que se entendam, porque [o PSD] me negou o direito de militante de poder escolher o líder”, disse José Figueiredo.

A militante Micaela Aguiar também não votou e coloca a possibilidade de recorrer ao tribunal, “se for necessário”, por considerar o caso “inadmissível”. Contou que enviou o pedido de atualização de dados por correio dentro do prazo, mas não tem culpa “que os correios não funcionem em condições”.

Depois de ter apelado para o Conselho de Jurisdição Nacional e de lhe ter sido indicado que iria receber a referência multibanco para pagar as quotas, tal não aconteceu, referiu.

“Como qualquer cidadão, temos o direito a exercer o voto e fomos impedidos. Estamos a ser humilhados, impedidos de exercer um direito que é nosso”, lamenta a social-democrata que também exarou um protesto junto do presidente da mesa da secção de Seia do PSD.

Micaela Aguiar espera que o assunto fique ultrapassado até sábado, quando decorre a segunda volta das eleições internas no partido, porque, a manter-se, “será incompreensível”.

O presidente do PSD e recandidato ao cargo, Rui Rio, conseguiu 49,44% dos votos nas diretas, falhando por 173 votos a necessária maioria absoluta e disputará no sábado a segunda volta com Luís Montenegro, inédita na história do partido.

ZAP // Lusa

PARTILHAR

RESPONDER

Homem pede "julgamento por combate" com espadas japonesas para resolver disputa legal com a ex-mulher

Para resolver uma disputa legal com a sua ex-mulher, David Ostrom sugere que seja feito um "julgamento por combate" com espadas japonesas. Há precedentes legais que o podem favorecer em tribunal. O insólito aconteceu no Iowa, …

Crimes violentos podem aumentar drasticamente nos EUA devido ao aquecimento global

O número de crimes violentos nos Estados Unidos pode aumentar drasticamente nos próximos anos devido ao aquecimento global, concluiu uma nova investigação levada a cabo por cientistas da Universidade do Colorado, em Boulder. "Dependendo da rapidez …

Twitter pede desculpa por permitir anúncios direcionados a neonazis

O Twitter emitiu esta quinta-feira um pedido de desculpa público depois de a BBC denunciar que a rede social estava a permitir anúncios direcionados a neonazis, islamofóbicos e outros grupos de ódio. A emisorra britânica …

Carlos Silva alega falta de apoio do PS e anuncia saída da liderança da UGT

O secretário-geral da UGT não é candidato a um novo mandato na central sindical, alegando que o “desgaste tem sido tremendo” e que é visto como força de bloqueio. “Não quero continuar”, “já está decidido e …

A maior aeronave do mundo vai ficar ainda maior. Medirá quase 100 metros

A maior aeronave do mundo vai ficar ainda maior: o dirigível híbrido Airlander 10, que media 92 metros de comprimento, vai bater o seu próprio recorde. De acordo com a emissora britânica BBC, a aeronave passará a …

Mortes nos Comandos. Governo só indemniza famílias se for condenado

O Governo deu ordem para parar as negociações com as famílias dos recrutas que morreram durante o 127.º Curso de Comandos, que decorreu na região de Alcochete, em 2016. Segundo o Jornal de Notícias, o Governo …

Eduardo Cabrita diz que polícias compram equipamento "porque querem"

O ministro da Administração Interna afirmou que os agentes policiais que compram equipamento de proteção do seu próprio bolso fazem-no porque o querem. Numa entrevista ao Diário de Notícias e à TSF, divulgada este fim-de-semana, o …

Chuva deixa Austrália entre incêndios e cheias. Número de mortos sobe para 29

A chuva trouxe algum alívio aos bombeiros e habitantes do leste da Austrália, mas também causou cheias e novos problemas. As equipas ainda combatem cerca 100 focos de incêndio na região e o número de …

Sem Joacine, nova direção do Livre foi eleita com 95 votos a favor e 15 brancos

Este domingo, no segundo dia do IX congresso do Livre, a nova direção do partido foi eleita com 95 votos a favor e 15 brancos (e não conta com a deputada Joacine Katar Moreira). No final …

Juiz pede escusa do caso dos emails por ser adepto do Benfica

O juiz desembargador apresenta vários motivos para pedir escusa do processo, nomeadamente por ser "sócio do Benfica desde 1968". De acordo com o jornal Público, Eduardo Pires, juiz desembargador do Tribunal da Relação do Porto (TRP), …