Miguel Duarte foi ilibado da acusação de auxílio à imigração ilegal, “mas não foi feita justiça”

(dr) PPL

Miguel Duarte, o português acusado pela justiça italiana por ter resgatado migrantes no Mediterrâneo

Miguel Duarte que, juntamente com outros ativistas, estava a ser acusado pela justiça italiana de ajuda à imigração ilegal, foi “ilibado”, mas “o caso segue para tribunal com uma acusação aos restantes membros”.

A revelação foi feita pelo próprio Miguel Duarte no Facebook esta quarta-feira.

“A investigação contra nós acabou. Mas não foi feita justiça”, escereveu o jovem português que trabalhou como voluntário na ONG alemã Jugend Rettet, em missões de resgate de migrantes e refugiados no Mediterrâneo, e que, em 2018, foi constituído arguido por suspeita de auxílio à imigração ilegal por parte das autoridades italianas.

“A procuradoria de Trapani concluiu a investigação criminal sobre a tripulação do Iuventa. Eu e alguns outros fomos ilibados, mas o caso segue para tribunal com uma acusação aos restantes membros por auxílio à imigração ilegal. Um peso enorme saiu dos meus ombros. No final de contas, não vou ter de enfrentar anos de julgamento e a possibilidade de ser preso por um crime que não cometi”, revelou.

Quanto aos restantes “camaradas”, “se eles são culpados eu também sou. Tudo o que eles fizeram, eu fiz também ou teria feito no seu lugar. Quis apenas o acaso que nós 10 fôssemos constituídos arguidos, e quis apenas o acaso que os meus colegas e amigos constassem da lista negra do procurador em vez de mim e de tantos outros”.

“Mas não somos culpados”, disse, acrescentando que “culpada é esta vil Europa que mata e deixa morrer. Só no ano passado, mais de oito mil pessoas foram ilegalmente levadas de volta para a Líbia para o meio de uma guerra civil que não tem fim. Ao mesmo tempo, afogaram-se 10 pessoas por semana ao tentar atravessar o mar em busca de segurança”.

Para o jovem, os “líderes europeus” são os culpados. “Acuso-os de perverterem o discurso político para permitir que isto continue. Acuso-os de participarem na morte de cada uma dos milhares de pessoas que encontraram o seu destino final na fronteira mais mortal do mundo. A acusação está feita e será a História a julgá-los quando a próxima geração nos perguntar porque escolhemos deixar morrer 20 mil pessoas em 7 anos”.

“Isto não é propriamente uma vitória”

Em declarações ao semanário Expresso, Miguel Duarte explicou que o facto de ter sido ilibado “não é uma vitória”.

Isto não é propriamente uma vitória. Eu fui ilibado mas quatro outras pessoas da minha tripulação foram acusadas”, disse. “Continua um mistério a razão pela qual estas pessoas foram acusadas e as outras não. Na organização quem fazia o resgate marítimo eram sempre voluntários – como eu -, que subiam a bordo e tomavam diferentes funções”.

“Não foi feita justiça. Os trabalhadores humanitários continuam a ser acusados. Os meus colegas e amigos vão ter de estar vários anos, presumivelmente, a ser julgados por um crime que não cometeram”, defendeu Miguel Duarte, em entrevista ao jornal Público.

Se forem condenados, os membros acusado podem enfrentar uma pena de 20 anos de prisão.

Miguel Duarte juntou-se à Jugen Rettet em 2016 e foi em missão para o Mediterrâneo: primeiro como tradutor, depois como a pessoa que faz o primeiro contacto com os migrantes.

Em agosto de 2017, a tripulação do Iuventa tomou conhecimento de que havia uma investigação em curso, quando o navio foi arrestado pelas autoridades italianas. Cerca de um ano depois, dez pessoas foram constituídas arguidas.

Miguel foi apoiado por uma equipa de advogados, liderada por Nicola Canestrini, que estimou que os custos legais do processo chegassem aos 500 mil euros. Foi então criada uma campanha de crowdfunding, cujo objetivo era angariar dez mil euros para ajudar o jovem, que estava a completar o doutoramento em Matemática, no Instituto Superior Técnico de Lisboa.

Poucos dias depois, a campanha ultrapassou o objetivo, atingindo os 30 mil euros. Atualmente, foram angariados quase 50 mil euros.

Na altura, o ministro dos Negócios Estrangeiros português garantiu todo o apoio a Miguel Duarte, sublinhando que é preciso ter noção de que as suas ações “são inspiradas por razões humanitárias“.

A situação não demoveu Miguel Duarte, que admite regressar em breve a Mediterrâneo. “Muito proximamente, provavelmente, até volto para o mar Mediterrâneo (…) através de outra organização certamente”.

Maria Campos, ZAP //

PARTILHAR

RESPONDER

Pizza para Itália e salmão para a Noruega. Emissora pede desculpa por imagens usadas nos Jogos Olímpicos

O canal de televisão sul-coreano MBC pediu desculpa publicamente após usar imagens para representar países durante a cerimónia de abertura dos Jogos Olímpicos de Tóquio. Fotos de pizza para a comitiva italiana, de salmão para a …

"Quanto mais cedo, melhor". A dona da Marlboro apoia a proibição dos cigarros até 2030

O CEO da Philip Morris Internacional, dona da Marlboro, apoia a proibição da venda de cigarros, mas os activistas anti-tabaco já acusaram a empresa de hipocrisia por tentar comprar uma farmacêutica enquanto lucra com o …

Bezos e Branson não são astronautas, clarifica Administração da Aviação norte-americana

Dúvida instalou-se depois dos voos que levaram os dois bilionários ao espaço. Novas diretrizes da Administração Federal de Aviação vêm esclarecer.  Após os voos que os tornaram nos primeiros turistas espaciais, Jeff Bezos e Richard Branson …

Soldados afegãos buscam refúgio no Paquistão após perderem postos na fronteira

Quase meia centena de soldados afegãos buscaram asilo no Paquistão após perderem para os Talibãs o controle das posições militares na fronteira, informou o exército paquistanês esta segunda-feira. Centenas de soldados do exército afegão e oficiais …

Portugal ultrapassa Estados Unidos em população com vacinação completa

EUA vivem atualmente um planalto no seu processo de vacinação, com pouco mais de meio milhão de cidadãos a serem vacinados diariamente. Desaceleração no ritmo de inoculações é atribuída a motivações pessoais da população e …

Mulher que vestia camisola com capa do Charlie Hebdo ferida em Londres

Uma mulher que vestia uma camisola estampada com uma capa da revista satírica francesa Charlie Hebdo foi ferida levemente com arma branca no domingo em Hyde Park, em Londres, informou a polícia, que pediu colaboração …

Novo Banco. Comissão de inquérito aprova que resolução do BES foi "fraude política"

A comissão de inquérito ao Novo Banco aprovou uma proposta do PCP de alteração ao relatório referindo que a resolução do BES e a sua capitalização inicial, de 4.900 milhões de euros, foi "uma fraude …

BCP prevê saída de mais de 800 trabalhadores e admite despedimento coletivo

O presidente do BCP disse esta segunda-feira que deverão sair do banco mais de 800 trabalhadores, abaixo da meta inicial de 1.000, mas que depende dos funcionários que aceitarem rescindir e mantém a possibilidade de …

Jogos Olímpicos. Ouro e prata para atletas de...13 anos

Pódio muito jovem na estreia do skate feminino. A espreitar o pódio ficou uma norte-americana com quase o triplo da idade. O skate está a "viver" os seus primeiros dias na história dos Jogos Olímpicos. Inserido …

SEF e PSP reforçam fiscalização às regras aplicáveis nas viagens de avião

O SEF e a PSP reforçaram a fiscalização nos aeroportos às regras do tráfego aéreo devido às variantes de covid-19 e ao aumento do número de voos previsto para as próximas semanas, segundo um despacho …