A migração para o Reino Unido diminuiu com o Brexit (mas só por parte dos europeus)

Desde a votação do Reino Unido para sair da União Europeia (UE), em 2016, a migração de cidadãos europeus para o país caiu 70%, passando a ser de 57 mil por ano, o número mais baixo da última década. Contudo, a chegada de pessoas de fora do bloco europeu aumentou.

De acordo com dados do Instituto Nacional de Estatísticas Britânico, divulgados pelo OZY esta segunda-feira, o número de migrantes da UE a entrar no país, em 2016, era de 189 mil por ano. Em 2018, caiu para 57 mil por ano, o mais baixo da última década.

Segundo a mesma fonte, o número de pessoas de países da Europa Central e Oriental que aderiram à UE em 2004 – como a Polónia – que está a deixar o Reino Unido é maior do que aquele relativo às que está a chegar. Entre 2016 e 2018, os números de Segurança Social atribuídos a cidadãos da UE caíram um terço.

Contudo, a migração por parte de cidadãos de fora da UE continua a aumentar, tendo o mesmo crescido em mais de um quarto de janeiro a setembro de 2018.

Sean Dempsey / EPA

Porém, alguns economistas britânicos alertaram sobre este aumento, indicando que o número de 261 mil cidadãos de fora da UE que chegaram ao Reino Unido pode não ser confiável, devido aos problemas de longa data que o país mantém relativamente aos dados de migração dos estudantes.

Caroline Nokes, ministra da Imigração, disse que o Reino Unido “continua a atrair e reter trabalhadores altamente qualificados”, incluindo médicos e enfermeiros. O Ministério do Interior propôs uma revisão abrangente do regime de imigração após o Brexit, incluindo novas e significativas restrições aos futuros migrantes da UE.

Nos termos do plano, a maioria dos cidadãos da UE será elegível para vistos de trabalho a curto prazo, de apenas um a dois anos. Aqueles que querem estabelecer-se no Reino Unido estarão sujeitos a um limite mínimo de ordenado de 39.750 dólares (cerca de 35 mil euros), valor que os empregadores pretendam ver reduzido.

No entanto, enquanto Theresa May tenta conseguir a aprovação da Câmara dos Comuns sobre o Brexit, os empregadores indicam que a incerteza sobre o destino dos cidadãos da UE no caso de uma saída do grupo europeu dificulta a atração e retenção de funcionários.

Para Tom Hadley, diretor de política da Confederação de Recrutamento e Emprego, a queda no número de cidadãos da UE que chegam ao Reino Unido é “preocupante”.

“As empresas britânicas já estão a lutar para encontrar candidatos que preencham as vagas em setores tão variados como tecnologia e saúde”, disse, acrescentando que a clareza sobre os direitos que os trabalhadores da UE “é uma enorme prioridade” quando se trata de contratar funcionários.

“O Reino Unido não é tão atraente para os migrantes da UE como há alguns anos”, devido à incerteza política relacionada com o Brexit, ao valor decrescente da libra – que torna os salários menos atraentes – e ao fato de as oportunidades de emprego terem melhorado noutros países da UE, afirmou Madeleine Sumption, diretora do Migration Observatory, uma instituição de pesquisa de Oxford.

Madeleine Sumption referiu, porém, que como a migração da UE foi “excecionalmente alta” no período que antecedeu o referendo, parte do declínio poderia ter ocorrido mesmo sem o Brexit. A saída do Reino Unido do bloco está programada para 29 de março.

TP, ZAP //

PARTILHAR

RESPONDER

Descoberta rara. Encontrado vapor de água salgada em torno de duas estrelas bebé gigantes

Uma equipa de investigadores descobriu um par de estrelas bebé massivas rodeadas por vapor de água e sal de cozinha, de acordo com um novo estudo. As duas estrelas bebé têm uma massa combinada 25 vezes …

Sonda da NASA deteta nanojatos na coroa solar (e desmistifica a sua extrema temperatura)

Uma equipa de cientistas, liderada pelas Universidades de Northumbria e St. Andrews, em cooperação com a NASA, descobriu um novo tipo de atividade dentro da atmosfera do Sol que poderia explicar como é que a …

Barry Jenkins vai realizar sequela de "O Rei Leão"

O realizador e argumentista de Moonlight foi escolhido pela Walt Disney Studios para realizar a sequência do blockbuster de 2019, O Rei Leão. Ainda não há uma data de lançamento prevista para o segundo filme, mas …

"Não me sinto seguro sem uma". Venda de armas aumentou drasticamente nos EUA

Os EUA continuam a ser um dos países onde os cidadãos comuns têm mais facilidade em comprar armas de fogo. Esta é uma prática recorrente, e mais de um terço das famílias norte-americanas têm uma …

Pássaros de São Francisco aprenderam uma nova (e mais complexa) melodia durante a pandemia

Uma nova investigação científica relata que os pardais-de-coroa-branca de São Francisco, ave que vive nas zonas urbanas e rurais da cidade norte-americana, aprenderam uma nova e mais complexa melodia durante a pandemia. De acordo com …

Enorme espinha dorsal de tubarão-branco dá à costa em Massachusetts depois de uma tempestade

A espinha dorsal que se acredita pertencer a um espécime de tubarão-branco (Carcharodon carcharias) deu à costa numa praia em Massachusetts, nos Estados Unidos, depois de uma tempestade ter atingido a região. A espinha foi encontrada …

A China está a tornar-se o país com maior influência na ONU

Há dez anos, a China começou uma operação que lhe tem vindo a garantir mais influência nas Nações Unidas. Agora, o poder que possui na organização mundial protege o país asiático do escrutínio internacional. De acordo …

Uma droga pode tratar o nanismo (mas há quem defenda o "orgulho anão")

Um estudo vem agora revelar que uma droga pode tratar o nanismo. Porém, a possibilidade de haver um tratamento para esta condição clínica não é consensual. Um novo estudo, financiado pela BioMarin Pharmaceutical e publicado no …

Meghan Markle perde batalha judicial. Em causa está carta que enviou ao pai (divulgada por jornal britânico)

Depois de no passado mês de agosto, Meghan Marke vencer uma batalha judicial contra o Mail on Sunday, desta vez a Duquesa de Sussex não pode festejar mais uma vitória. A norte-americana perdeu a última …

Após acidente, robô-piloto voltou a levantar voo (e pilotou avião durante 2 horas)

O ROBOpilot, um piloto robótico não tripulado, levantou voo pela primeira vez no ano passado, mas sofreu danos durante um dos seus voos. Agora, está apto para voar novamente. No ano passado, um acidente forçou o Laboratório …