MH370. Especialista questiona o facto de o copiloto ter ligado o telemóvel durante o voo

(cv)

O MH370 desapareceu a 8 de março de 2014 e o seu desaparecimento continua a ser um mistério. No entanto, o copiloto ligou o telemóvel antes de o avião desaparecer do radar, um movimento descrito como “muito incomum” por um especialista.

O copiloto ligou o telemóvel momentos antes de o avião da Malaysia Airlines desaparecer dos radares. Este movimento é descrito por vários especialistas como “muito incomum“, especialmente no mundo da aviação. Para muitos especialistas, poderia ser o indicador de que algo de “desagradável” estava a acontecer.

Fariq Abdul Hamid, copiloto do avião, era conhecido por quebrar as regras da aviação. Segundo o Straits Times, Hamid desligou o seu telemóvel antes da descolagem, mas ligou o aparelho novamente a meio do voo. O sinal foi captado por uma estação terrestre na Ilha de Penang, noroeste da Malásia.

É bastante incomum para a tripulação ter os telemóveis ligados quando estão em altitude, e para um dos tripulantes ter o telemóvel ligado e tentar transmitir uma mensagem poderia sugerir algo desagradável”, explica o advogado de aviação James Healy-Pratt ao Express.

Segundo os meios de comunicação, Hamid tinha usado o telemóvel, pela última, para enviar uma mensagem na aplicação WhatsApp, pouco antes de embarcar no Boeing 777 para um voo de seis horas rumo a Pequim.

A maioria das companhias aéreas pede aos passageiros e à tripulação que desliguem os seus aparelhos tecnológicos durante o voo. No entanto, alguns pilotos mantêm os telemóveis ligados, quer intencionalmente quer por engano.

“Se o telemóvel foi ligado repentinamente a meio do voo, essa ação sugere que estava a acontecer algo desagradável. Mas não é incomum haver telemóveis ligados por engano”, adianta uma especialista em aviação e ex-piloto da British Airways, Alastair Rosenschein.

A publicação refere ainda que uma fonte adiantou que o copiloto tentou realizar uma chamada telefónica, sugerindo assim que Hamid poderia estar a fazer um “pedido desesperado” de ajuda. “A torre de telecomunicações estabeleceu a chamada que o copiloto estava a tentar realizar. A razão pela qual a chamada foi cortada não é conhecida, uma vez que o avião estava a afastar-se rapidamente da torre e não tinha entrado na zona da próxima [torre]”, cita o jornal.

O ex-ministro dos Transportes da Malásia, Hishammuddin Hussein, disse que as autoridades malaias não podiam confirmar se Hamid tinha tentado fazer uma chamada, embora tenha sugerido ser improvável. “A menos que possamos ter verificações, não podemos comentar. Se tivesse acontecido, saberíamos antes”, afirmou o governante.

A aeronave do voo MH370 desapareceu no dia 8 de março de 2014, na rota de Kuala Lumpur para Pequim, com 239 pessoas a bordo. Após vários anos de tentativas infrutíferas de localizar os restos do avião, o Governo da Malásia concluiu a busca em maio do ano passado.

  ZAP // Sputnik News

Deixe o seu comentário

Your email address will not be published.

PUBLICIDADE
PUBLICIDADE