/

Meditar deixa marcas no cérebro (literalmente)

5

Uma nova investigação, levada a cabo na IMT School for Advanced Studies Lucca, em Itália, revela que a sensação de bem-estar provocada pela meditação está correlacionada com alterações no cérebro.

Nesta investigação, a equipa de cientistas da IMT School for Advanced Studies Lucca, em Itália, analisou especificamente a Meditação Transcendental (TM), que consiste na repetição silenciosa de um som específico, chamado um “mantra”.

Os investigadores dividiram um grupo de 34 jovens saudáveis em dois: enquanto que o primeiro grupo praticou Meditação Transcendental durante 40 minutos por dia (duas sessões de 20 minutos cada), o segundo não alterou a sua rotina diária.

No início do estudo, os cientistas mediram o nível de ansiedade e stress dos voluntários, assim como a sua capacidade de lidar com situações mais stressantes. Além isso, cada indivíduo foi submetido a um teste funcional de ressonância magnética, cujo objetivo era medir a atividade cerebral em repouso e as alterações na conectividade funcional entre as diferentes áreas do cérebro.

Os mesmos testes foram repetidos após três meses.

A análise dos dados revelou que os níveis de ansiedade e stress foram significativamente reduzidos no primeiro grupo, quando comparado com os voluntários que não praticavam Meditação Transcendental.

“A ressonância magnética também mostra que a redução dos níveis de ansiedade está associada a alterações específicas na conectividade entre diferentes áreas cerebrais, como o precuneus (uma área relacionada com a noção de si mesmo), lobo parietal esquerdo e ínsula, que desempenham um papel importante na modulação das emoções e estados internos”, explica Giulia Avvenuti, primeira autora do estudo.

“O facto de a Meditação Transcendental ter efeitos mensuráveis ​​no ‘diálogo’ entre as estruturas cerebrais envolvidas na modulação de estados afetivos abre novas perspetivas para a compreensão das relações cérebro-mente“, acrescenta Pietro Pietrini, líder do estudo, publicado recentemente na revista científica Brain and Cognition.

A Meditação Transcendental ganhou destaque em todo o mundo como uma prática de relaxamento muito comum. Coerentemente com estudos anteriores, a nova investigação sugere que este tipo de meditação tem efeitos positivos no bem-estar psicológico e que esses efeitos estão correlacionados com mudanças mensuráveis ​​no cérebro.

  ZAP //

5 Comments

  1. O Estado português deveria proporcionar cursos de Meditação Transcendental a todos os portugueses que o desejassem, a partir do 5 anos de idade, mediante o pagamento de uma taxa moderadora. Poupar-se-iam milhões de euros em despesas de saúde, no futuro. É uma questão de estabelecerem uma parceria público-privada com a Cooperativa Cultural Maharishi, representante em Portugal da Meditação Transcendental: https://meditacao-transcendental.pt/

Deixe o seu comentário

Your email address will not be published.

PUBLICIDADE
PUBLICIDADE