Ainda com médicos da linha da frente por vacinar, há informáticos já vacinados

Giuseppe Lami / EPA

Enquanto em alguns hospitais quase todos os profissionais de saúde e até outros funcionários foram vacinados, ainda há hospitais em que médicos na linha da frente não foram vacinados.

A vacinação contra a covid-19 nos hospitais é pautada por algumas desigualdades. Há hospitais em que quase todos os profissionais de saúde e até outros funcionários não prioritários foram vacinados, enquanto noutros ainda há médicos da linha da frente por vacinar.

A Secção Regional do Centro da Ordem dos Médicos (SRCOM) já enviou para o novo coordenador do Plano de Vacinação, o vice-almirante Gouveia e Melo, uma lista com 1.037 médicos prioritários da região ainda por vacinar.

“Há uma diferença na distribuição das vacinas no processo dos hospitais. Não se percebem os critérios”, diz o presidente da Associação Portuguesa de Administradores Hospitalares, Alexandre Lourenço, citado pelo Público. “Não sei se é culpa dos hospitais, se das Administrações Regionais de Saúde, se do Ministério da Saúde”.

O Hospital Beatriz Ângelo, em Loures, por exemplo, já vacinou informáticos e até pessoal administrativo. Isabel Vaz, a administradora do grupo Luz Saúde, ao qual pertence o hospital, diz que se conseguiu vacinar mais pessoas porque se extraiu seis doses de vacina de muitos dos frascos.

“A interpretação do grupo é que todas as pessoas de um hospital são críticas para o seu funcionamento e, por isso, devem ser todas vacinadas”, salientou Isabel Vaz.

O hospital garante que de cada vez que recebeu vacinas, seguiu sempre as listas pelas prioridades e acabou por chegar aos não prioritários. O mesmo aconteceu no Centro Hospitalar do Médio Tejo (CHMT). Numa nota publicado no seu site, o CHMT salienta que incluiu no plano de vacinação de profissionais “canalizadores, eletricistas, informáticos, gestão de acesso/tramitação de doentes e gestão de recursos humanos entre outros”.

Daniel Costa Daniel Costa, ZAP //

PARTILHAR

8 COMENTÁRIOS

  1. Em Portugal gosta-se de arranjar polémicas onde elas não existem. Se os sistemas informáticos num hospital param, o hospital para. É óbvio que se tem que vacinar informáticos, e todo o restante pessoal necessário para manter um hospital a funcionar. Caso contrário, temos médicos e enfermeiros sentados sem poder trabalhar.

  2. Só não percebo como não há vacinas para toda a gente nos hospitais. É que sem a retaguarda administrativa os médicos e enfermeiros não fazem lá nada.
    Não sei o que esse indivíduo são “tásk force” andou lá a fazer.
    É tão competente!

  3. Tremendo egoísmo sobre as vacinas, parece que toda a gente se anda a espiar e a denunciar mutuamente. E a comunicação social vai atiçando a fogueira, esquecendo que afinal todos os que quiserem irão mais tarde ou mais cedo levar a sua dose da vacina.
    Contra a fraude sim, mas também contra o desperdício e a falta de senso

RESPONDER

Médicos alertam que Navalny pode sofrer paragem cardíaca "a qualquer momento"

Alexei Navalny está cada vez mais em risco de insuficiência renal. Médicos próximos do opositor russo alertam que pode sofrer uma paragem cardíaca "a qualquer momento". Médicos próximos do opositor russo Alexei Navalny, detido e em …

Perto de sequenciar 1 milhão de genomas, cientistas querem desvendar segredos genéticos

O projeto All of Us está a recolher informações genéticas, registos médicos e hábitos de saúde de mais de um milhão de pessoas. Os dados podem ser usados para desvendar segredos genéticos. O primeiro esboço do …

"Besta dos cinco dentes". Descoberta nova espécie de mamífero na Patagónia

Paleontólogos descobriram uma nova espécie de mamífero, com dentes peculiares, que viveu na Patagónia durante o período Cretáceo. De acordo com a agência Europa Press, os fósseis foram encontrados em Cerro Guido, na província chilena de …

Com os zoos fechados, tudo serve para entreter uma família de lontras. Até um simples galho de bambu

O confinamento serviu como um lembrete indesejado de que ficar preso dentro de casa sem muito o que fazer pode ser desgastante. O mesmo é verdade para os animais, por isso os jardins zoológicos tiveram …

Uma ilha, cinco géneros. Os Bugis têm palavras para as "cinco maneiras de estar no mundo"

Uma ilha, cinco géneros. O povo Bugis é um poderoso grupo étnico que se destaca pelo reconhecimento de cinco géneros distintos. Na Indonésia, a ilha Sulawesi é a casa de um povo que reconhece cinco …

O "aeroporto do amanhã" está abandonado no meio de um pântano dos Estados Unidos

Era para ser o "aeroporto do amanhã", um centro intercontinental para aviões supersónicos com seis pistas e conexões ferroviárias de alta velocidade para as cidades vizinhas. Hoje, é pouco mais do que uma pista no …

Facebook remove (acidentalmente) página oficial de Ville de Bitche, uma remota cidade francesa

O Facebook apagou a página de Ville de Bitche, uma remota cidade francesa. O município passou um mês a apelar à rede social para repor a página. "Recebemos uma mensagem no Facebook e também percebemos que …

NASA escolheu SpaceX de Elon Musk para a próxima missão tripulada à Lua

Elon Musk fecha contrato de 2,9 mil milhões de dólares para levar o Homem novamente à Lua. O contrato é a mais importante vitória da SpaceX e reforça a posição da empresa como parceira …

Benfica 1-2 Gil Vicente | Galo canta e silencia águia na Luz

STOP. O Gil Vicente visitou na tarde deste sábado o Benfica e saiu do palco da Luz com os três pontos na bagagem e a “cantar de galo”, ao vencer por 2-1, num duelo relativo …

"Longa vida à monarquia." Realeza britânica tende a viver mais três décadas do que a população geral

As diferenças na longevidade de alguns membros da família real em comparação com a população em geral são extremamente grandes, mas não incomuns. O príncipe Filipe, marido da rainha Isabel II e o consorte mais antigo …