Médicos cubanos custam ao SNS mais do dobro

Felipe Pilotto / Flickr

-

Um acordo entre Portugal e Cuba para a contratação de clínicos para médicos de família em Portugal, em vigor desde 2009, custou nos últimos cinco anos anos 12 milhões de euros ao Serviço Nacional de Saúde (SNS).

O jornal i descreve que no âmbito do primeiro acordo entre a Administração Central dos Sistemas de Saúde e a empresa Serviços Médicos Cubanos, em vigor entre agosto de 2009 e 2011, o Estado português pagou 259.600 euros por mês por um contingente de 44 clínicos – 5.900 euros mensais por cada médico – com 40 horas nos centros de saúde e mais 24 horas nas urgências.

No final de 2011, o valor foi revisto para 4.230 euros mensais, ou seja, entre 2012 e 2013 o montante total baixou para 164.970 euros mensais por 39 médicos, sendo o tempo da urgência reduzido para 12 horas.

Pelas contas do i, a despesa mensal será, atualmente, de 219.960 euros, tendo em conta que o Ministério da Saúde anunciou, em maio, a chegada de mais médicos cubanos, depois de, em abril, o acordo ter sido novamente modificado e o SNS ter mantido pagamento de 4.230 euros por médico sem ficar definido, no entanto, um montante mensal de horas nos centros de saúde, que vai variar em função dos médicos destacados e sem horas fixas nas urgências.

No entanto, os médicos cubanos não recebem, efetivamente, a totalidade desse valor. As quantias são depositadas trimestralmente pelas entidades onde estão a trabalhar – neste caso pelo Estado português – numa conta da Serviços Médicos Cubanos, que de acordo com o i paga aos profissionais apenas um quarto do que recebe do Serviço Nacional de Saúde.

Ordem dos Médicos pede reação dos sindicatos

“Já tínhamos ideia da dimensão dos valores, mas agora os documentos oficiais vêm confirmar o que a Ordem dos Médicos há muito diz. A Ordem não pode fazer nada. Continuará a criticar a opção do Governo e esperamos que os sindicatos exijam que o Governo remunere os médicos portugueses com o mesmo que paga por não especialistas cubanos”, afirmou à agência Lusa o bastonário dos Médicos.

José Manuel Silva salienta que a tutela nunca ofereceu estas condições (as que têm os clínicos cubanos) para os médicos portugueses que queiram ficar no interior do país, por exemplo.

À Lusa o bastonário afirma que o Estado oferece 8 euros/hora a médicos especialistas portugueses e 96 euros por hora a cubanos sem especialidade, afirmando não compreender esta opção. “Estes médicos ganham mais de quatro mil euros por mês e o Estado ainda lhes oferece alojamento, paga o gás, água e eletricidade. É mais do dobro do que ganha um português com especialidade“, criticou.

“O Governo deve criar condições para contratar médicos portugueses. Por que é que opta por médicos cubanos sem especialidade, com barreiras linguísticas e culturais?”, questiona José Manuel Silva.

Sobretudo, o bastonário da Ordem dos Médicos diz querer que o Ministério da Saúde “elimine, desista da opção política de financiar o sistema de saúde cubano e olhe para a situação dos médicos portugueses e resolva os problema dos doentes portugueses.

Lembrando que Portugal é o 5º país da OCDE com mais médicos, o bastonário sublinhou que o problema em Portugal “não é a falta de médicos”. “O trabalho médico foi tão desqualificado que os médicos portugueses estão a emigrar e a reformar-se antecipadamente”, sublinhou.

A propósito, o bastonário sublinhou que o Estado português remunera melhor os médicos no setor privado, através de convenções e subistemas de saúde, do que no público.

Ministério da Saúde nega que pague o triplo a médicos cubanos

O Ministério da Saúde lamentou “as afirmações de desconsideração” com os médicos cubanos e lembrou que mais clínicos de outras nacionalidades trabalham em Portugal, para benefício do SNS.

Numa “nota de esclarecimento” divulgada esta terça-feira, a Administração Central do Sistema de Saúde (ACSS) sublinha que o valor pago a cada clínico cubano, inicialmente de 5.900 euros, segundo o matutino, “sofreu uma redução substancial, face ao favor inicial”.

O organismo salientou que a remuneração dos médicos portugueses, de acordo com a actual tabela de 40 horas, em vigor, “varia entre 2.746,24 euros e 5.063,38 euros, referentes ao ingresso na categoria de assistente e na última posição remuneratória da categoria mais elevada — assistente graduado sénior, respectivamente”.

“A estes valores acrescem os encargos sociais correspondentes, em regra, 23,75 por cento, o que totaliza, para cada um dos casos, 3.398,47 euros e 6.265,93 euros mensais. Um montante que pode ser superior quando se tratam de profissionais a exercer numa Unidade de Saúde Familiar”, acrescentou a ACSS.

Neste momento, Portugal tem 18 médicos cubanos de Medicina Geral e Familiar no SNS, num universo de 7.651 médicos portugueses naquela área. Mais 51 chegam ao país em Setembro.

ZAP / Lusa

PARTILHAR

2 COMENTÁRIOS

  1. Completo disparate contratar medicos Cubanos! Mal preparados e sem conhecimentos para exercerem a sua profissao.Vivo en Venezuela,onde ha bastantes e sei o que digo.Façam-lhes primeiro uma prova e vao comprovar o que digo.

RESPONDER

Mapa de férias pode ser decidido até 10 dias após o fim do estado de emergência

As empresas e os trabalhadores poderão decidir o mapa de férias deste ano até 10 dias após o fim do estado de emergência, que termina a 17 de abril, sem prejuízo de haver renovação. Esta quinta-feira, …

9886 casos confirmados e 246 vítimas mortais em Portugal

O boletim epidemiológico da DGS desta sexta-feira revela que há mais 852 infetados pelo coronavírus em Portugal. face ao dia anterior. O número de vítimas mortais é agora de 246. Segundo o Relatório da Direção Geral …

Donos da ANA adiam investimentos e deixam Montijo em risco

O grupo Vinci Airports, que controla a gestora aeroportuária nacional, vai adiar investimentos e o novo aeroporto do Montijo poderá ser uma das baixas. Como seria de esperar, a pandemia de covid-19 está a ter um …

Bancos com mil milhões de euros em pedidos de moratórias em média numa semana

Uma semana depois de a legislação da moratória pública ter entrado em vigor, os bancos nacionais já têm uma estimativa do número de pedidos de particulares e de empresas. De acordo com o Jornal Económico, os …

Idosos em lares infetados vão mudar-se (e podem ir para outros concelhos)

Na sequência do aumento de números de casos confirmados de covid- 19 nos lares, o Governo pretende “encontrar equipamentos alternativos” para alojar idosos, em isolamento profilático e que não precisem de tratamento hospitalar, dentro ou …

Apesar da pandemia, juiz Carlos Alexandre marca sessões do caso Tancos para abril

O juiz Carlos Alexandre marcou o interrogatório do principal arguido do processo relativo ao furto das armas de Tancos, João Paulino, para dia 21 de abril. De acordo com um despacho datado de 1 abril, citado …

Conceição pode estar de saída. FC Porto oferece 5 milhões por ano a Jesus

O treinador portista, Sérgio Conceição, pode estar de saída para a Alemanha. Como alternativa, o FC Porto está disposto a pagar 5 milhões de euros por ano a Jorge Jesus. Sérgio Conceição pode estar de saída …

Estado paga subsídio de refeição em teletrabalho. No privado, os patrões estão confusos

Mesmo à distância, os funcionários públicos mantêm o direito ao subsídio de refeição. No privado, a confusão mantém-se e os patrões estão divididos. De acordo com o secretário-geral da UGT, alguns patrões do privado estão a …

UEFA não quer campeonatos a seguir o exemplo belga

A UEFA reprovou a decisão da Liga de futebol da Bélgica que, esta quinta-feira, recomendou que se dê por terminada a época e se atribua o título ao Club Brugge.  Numa carta conjunta com a Associação de Clubes …

Boris Johnson em cheque. Desta vez, por causa da quantidade ínfima de testes

A pandemia de covid-19 está a ser um calvário político para Boris Johnson. O primeiro-ministro britânico tem sido alvo de várias críticas, sendo que a última tem a ver com a quantidade ínfima de testes …