Médicos testemunham que Floyd morreu “porque não tinha oxigénio no corpo”

Duas testemunhas no julgamento do homicídio de George Floyd defenderam que o homem negro morreu quando o ex-polícia de Minneapolis Derek Chauvin se ajoelhou no seu pescoço até que ele deixar de respirar. 

“Floyd morreu de asfixia posicional, o que é uma forma elegante de dizer que morreu porque não tinha oxigénio no corpo”, disse Bill Smock, um especialista em medicina legal e médico em treino policial, citado pelo jornal britânico The Independent. “Quando o corpo é privado de oxigénio, neste caso devido à pressão no peito e nas costas, gradualmente sucumbiu a níveis cada vez mais baixos de oxigénio até morrer”.

Smok atacou o argumento da defesa, de que uma combinação de uso de drogas e problemas cardíacos matou Floyd, que argumentou ter sido reforçado pelas evidências na autópsia pela ausência de hematomas na garganta do homem.

“Este mito de que é preciso ter hematomas para provar estrangulamento, não, não tem. Pode ser estrangulado até à morte e não ter hematomas“, disse Smock, usando as mãos para demonstrar como alguém estrangulado pode não ter hematomas porque os membros são superfícies largas.

Smock testemunhou ainda que os polícias deveriam ter feito uma reanimação cardiorrespiratória a Floyd “imediatamente” em vez de quando uma ambulância chegasse.

“Assim que Floyd está inconsciente, deveria ter sido virado”, disse. “Temos documentação sobre o vídeo que o pol´ciia diz: Não consigo encontrar o pulso”.

No mesmo dia do julgamento, o especialista pulmonar Martin Tobin chegou a uma conclusão semelhante. “Floyd morreu por causa de um baixo nível de oxigénio”, disse. “É como se o lado esquerdo estivesse com defeito. Está a ser totalmente empurrado para dentro, espremido de cada lado”, acrescentou.

Tobin acrescentou que as pessoas que morrem de overdoses de fentanil começam a perder a consciência e têm um nível respiratório reduzido, enquanto Floyd continuou a respirar com dificuldade até desmaiar. “Uma pessoa saudável submetida ao que Floyd foi submetido teria morrido”, concluiu.

O médico chegou a pedir aos jurados que desabotoassem o colarinho das camisas e sentissem quão sensível é a hipofaringe. Segundo o pneumologista, foi esse o tecido que o polícia comprimiu com o joelho, aplicando uma pressão equivalente a 41,5 quilogramas no pescoço da vítima, travando o processo de respiração a partir da zona inferior da garganta.

Eric Nelson, advogado de defesa de Chauvin, argumentou que as evidências médicas apresentadas não descartam outra causa de morte e observou a excessiva “demanda no coração” que o uso de drogas, problemas cardíacos pré-existentes e uma luta física com os polícias podem produzir.

Porém, Smock argumentou que “não havia absolutamente nenhuma evidência na autópsia que sugerisse que George Floyd teve um ataque cardíaco”, porque não revelou sugestões de coágulo sanguíneo ou hemorragia.

A enxurrada de depoimentos médicos marca uma grande mudança no caso, que se concentrou principalmente no treino da força pela polícia até ao momento. Polícias de alto escalão de Minneapolis testemunharam que Chauvin passou os limites e não seguiu a política do departamento quando se ajoelhou no pescoço de Floyd.

Maria Campos Maria Campos, ZAP //

 

 

PARTILHAR

RESPONDER

Carlos Costa compara venda do Novo Banco a cabaz de fruta "parcialmente apodrecida"

O ex-governador do Banco de Portugal (BdP), Carlos Costa, considerou que o processo de venda do Novo Banco, em 2017, foi como alienar "um cabaz de fruta que está parcialmente apodrecida". "A questão é sempre a …

Irmãos presos injustamente durante 31 anos recebem 75 milhões de dólares

Henry McCollum e Leon Brown estiveram presos durante mais de 30 anos por um crime que não cometeram. Foram detidos em 1983 e condenados à pena de morte pela violação e homicídio de uma criança. …

"Há ali algumas coisas em que tem razão". Rui Rio concorda com críticas de Alberto João Jardim

Alberto João Jardim defendeu que o PSD nacional tem de "acordar" e "mudar já". Rui Rio ouviu o antigo governante madeirense "com atenção" e considera que tem razão. No artigo de opinião no jornal da Madeira …

Votar contra a reforma das Forças Armadas seria "uma contradição muito grande", diz Rio

O presidente do Partido Social Democrata (PSD), Rui Rio, afirmou esta segunda-feira que seria uma "contradição muito grande" votar contra a reforma das Forças Armadas, defendida pelo partido "há anos", só porque foi apresentada pelo …

Testes da vacina da Sanofi-GSK mostram eficácia do composto

Os testes preliminares da vacina contra a covid-19 da Sanofi e GalxoDmithKline demonstraram eficácia nos grupos de adultos inoculados pelos cientistas responsáveis pela Fase 2 do processo. Após as duas doses da vacina, os testes realizados …

Gestor de redes sociais do Chega suspenso pelo Twitter

O gestor das redes sociais do Chega viu a sua conta pessoal ser suspensa pelo Twitter. Na semana passada, apresentou-se em tribunal devido ao processo movido pela família do Bairro da Jamaica. "Falta muito mato para …

Redução nas portagens implica impacto de 160 milhões por ano, diz Governo

O Governo disse esta segunda-feira que a redução de portagens, a partir de 01 de julho, implica um impacto de 160 milhões de euros por ano e, se for considerado todo o período de concessões, …

França, Espanha e Alemanha chegam a acordo para novo sistema de combate aéreo

A França, a Espanha e a Alemanha chegaram a um acordo sobre a nova fase de desenvolvimento do Futuro Sistema de Combate Aéreo (SCAF, na sigla em francês), após negociações intensas entre os três países, …

Legionella. Empresas chegam a acordo com 57 das 58 vítimas assistentes no processo

As empresas arguidas no processo do surto de legionella que ocorreu em Vila Franca de Xira, em 2014, chegaram a acordo com 57 das 58 vítimas que se constituíram assistentes no processo. A informação foi avançada …

Plásticos do Reino Unido são enviados, despejados e queimados na Turquia

Uma investigação levada a cabo por ativistas ambientais da Greenpeace descobriu plástico do Reino Unido despejado e queimado no sul da Turquia. Os investigadores da Greenpeace, uma organização ambientalista internacional, documentaram pilhas de plástico despejadas ilegalmente …